Conecte-se conosco





Acre

Acre sai de alerta máximo para doenças diarreicas agudas, diz Secretaria de Saúde

Publicado

em

Em boletim divulgado nesta sexta-feira, 8, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) informou que o Estado apresenta um equilíbrio das notificações de doenças diarreicas agudas, fazendo com que o Acre saia do estado de Alerta Máximo e se classifique para situação de Alerta, com notificações dentro do padrão esperado para o período.

De acordo com o documento: “Na SE 35 houve uma diminuição de 12,7% (-146 casos) comparado à SE 34, na SE 36 houve um aumento de 1,4% (14 casos), na SE 37 houve um aumento de 6,7% (73 casos) comparado à SE 36, na SE 38 houve uma diminuição de 5,7% (-62 casos) comparado à SE 37, e na SE 39 houve uma diminuição de 3,6% (-37 casos) comparado à SE 38”.

Até a semana epidemiológica 39, período de 03/01/2021 a 02/10/2021, foram notificados 20.937 casos de Doenças Diarreicas Agudas no estado do Acre. Se comparado ao mesmo período do ano de 2020 (13.971 casos), houve um aumento de 33,3% no número de casos.

Até o momento, dados divulgados pela Sesacre apontam que foram confirmadas duas mortes ocasionadas por surto de diarreia em todo o Estado do Acre. A saúde indígena estadual investiga se outras duas mortes podem ter sido oriundas do mesmo problema.

De acordo com um levantamento do Núcleo das Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar (NDTHA), foram a óbito duas crianças, uma do município de Tarauacá e outra do município de Feijó.

Débora dos Santos, representante do Núcleo das Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar (NDTHA), disse que as pessoas precisam se cuidar em relação à hidratação do corpo. “A diarreia mata, infelizmente, tivemos dois óbitos registrados”, declarou.

Já Rafaela Oliveira, coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Cruzeiro do Sul, relatou que o aumento de casos de diarreia na região superou os últimos 10 anos.

Comentários

Em alta