“Frente às atitudes fascistas, radicalizaremos na revolução. Arrancaremos faixas, enfrentaremos as mentiras, desafiaremos os poderosos financiadores.” 

Flagrante do momento em que o jovem petista arranca a faixa da militante do Movimento Basta
Flagrante do momento em que o jovem petista arranca a faixa da militante do Movimento Basta

Gina Menezes, da Agência ContilNet 

No último sábado um grupo de jovens ligados a Juentude do Partido dos Trabalhadores (JPT) foi acusada por jovens manifestantes, os mesmos que integraram o Movimento do Basta, de coagir e agredir algumas pessoas que seguravam faixas criticando a atual gestão petista, na Praça da Revolução, localizada no centro da cidade de Rio Branco.

O conflito entre os jovens só foi contida pela chegada da Policia Militar, que foi chamada ao local para garantir o livre direito de manifestação, conforme assegura a constituição. Na ocasião algumas bandeiras foram rasgadas pelos jovens ligados ao PT.

Um dos líderes do movimento, Gabriel Santos, lamentou o ocorrido e se declarou surpreso com a atitude do grupo petista. “Vivemos em um tempo assim: quem lutou pela democracia, pelo direito de manifestação, contra corrupção, contra o autoritarismo, são as mesmas pessoas que mais praticam tais atos. Quando vejo o presidente da JPT justificar o ato de “companheiro de partido” que tomou das mãos de uma menina uma faixa de protesto, fico estarrecido” afirmou.

Militante da JPT encara um policial militar após ser abordado
Militante da JPT encara um policial militar após ser abordado

O presidente da Juventude do PT no Acre, Cesário Braga, confirmou a tentativa de coagir os manifestantes e justificou a atitude dizendo ser em nome do desenvolvimento do Brasil.
“Frente às atitudes fascistas, radicalizaremos na revolução. Arrancaremos faixas, enfrentaremos as mentiras, desafiaremos os poderosos financiadores. Pelos 40 milhões que tiramos da pobreza, pelos milhões de estudantes do PROUNI, por cada brasileiro e acreano que ainda não consegue lutar”, disse o jovem militante.

Na internet, o assunto repercutiu bastante. Um dos internautas questionou Cesário e afirmou que atitude dos petistas é completamente errada. “Segurar faixas agora é atitude fascista? Precisa estudar um pouco de história, esse rapaz. Quanto a afirmar que arrancaria faixas, se arrancar de alguém à força estará cometendo crime. Sobre o resto do “discurso”, parece que está dizendo: deixem-nos em paz; roubam, mas fazem! E não, nem fazem tanto assim”, declarou.

Um dos jovens petistas, Abimael Lima, usou a pagina pessoal dele no facebook para justificar a atitude dos membros da ala jovem do PT. “Uma articulação interessada apenas em discutir o poder pelo poder, articulada por figuras da oposição politica deste estado sem a menor preocupação com o Estado evolutivo das pessoas. Não vejo uma justificativa ou proposta clara de uma alternativa de governo que se preocupe com nosso estado”, escreveu.

As faixas lembravam da Operação G7 e falavam sobre corrupção
As faixas lembravam da Operação G7 e falavam sobre corrupção

Comentários