fbpx
Conecte-se conosco

Extra

Pelé, Rei do Futebol, morre aos 82 anos em São Paulo

Publicado

em

Pelé teve descoberto, em setembro de 2021, um câncer no cólon direito REPRODUÇÃO/FACEBOOK/@PELÉ

O ex-jogador enfrentou sucessivos problemas de saúde nos últimos anos e chegou a abrir mão de homenagens por falta de mobilidade

Nascido Edson Arantes do Nascimento e eternizado como o Rei do Futebol, Pelé morreu nesta quinta-feira (29), aos 82 anos, em São Paulo, por falência múltipla dos órgãos. O ex-jogador vinha sofrendo com sucessivos problemas de saúde e, no início de setembro de 2021, teve descoberto um tumor no intestino. A morte foi confirmada por Kely Nascimento, a filha mais velha do Rei, e pelo Hospital Israelita Albert Einstein, pouco tempo depois.

Pelé foi internado pela última vez em 29 de novembro de 2022, no Hospital Albert Einstein, na capital paulista, para reavaliação da terapia quimioterápica e tratamento de uma infecção respiratória. Em 21 de dezembro, o quadro se agravou, com a aceleração do câncer e problemas renais e cardíacos.

Pelé chegou a demonstrar otimismo em sua recuperação após cirurgia no intestino

Pelé chegou a demonstrar otimismo em sua recuperação após cirurgia no intestino Reprodução/Instagram/@Pelé

Em 2021, o jogador chegou a ser operado do tumor no colón direito e, desde então, se manteve em tratamento de quimioterapia e radioterapia para controlar a doença. Na época, foi a maior internação do Rei do Futebol e o momento em que a saúde dele ficou de vez debilitada.

O ex-jogador passou internado a maior parte da última Copa do Mundo. Do Catar 2022, atletas, dirigentes e torcedores de diversas partes do mundo mandaram mensagens de apoio e estimas de melhoras à saúde do Rei. Kylian Mbappé, vice-campeão com a França, e a seleção brasileira homenagearam Pelé. Prédios na capital catari também faziam menção ao Atleta do Século, que se manifestou apenas nas redes sociais.

Pelé ainda chegou a responder a mensagens, sempre com frases de otimismo, mas, com a evolução da doença, mesmo as postagens passaram a ser raras. Os familiares se reuniram no quarto do hospital para passar o Natal ao lado do Rei.

Início das complicações

Ainda em abril de 2019, Pelé passou mal em um evento em Paris e precisou ficar hospitalizado por cinco dias na capital francesa, por conta de uma infecção urinária. Na volta ao Brasil, foram mais seis dias internado no Einstein, para a retirada de um cálculo renal.

A partir daí, o Rei do Futebol, que já havia sido ausência marcante na Copa do Mundo da Rússia em 2018, deixou de comparecer a grandes eventos públicos e homenagens — a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) chegou a inaugurar uma estátua do ídolo, em tamanho real, sem que ele estivesse presente.

As ausências passaram a ser rotineiras, porque Pelé não se sentia à vontade com a cadeira de rodas. Segundo pessoas próximas, inclusive havia um certo quê de vergonha de quem sempre esbanjou saúde como atleta. Mas o apoio passou a ser necessário depois de duas cirurgias no quadril, em novembro de 2012 e em dezembro de 2015, além da operação na coluna, em julho de 2015, para a descompressão da raiz nervosa.

Na primeira cirurgia no quadril, Pelé teve implantada uma prótese para corrigir a artrose que o incomodava desde 2009 e que não passou com exercícios de fisioterapia. Sob a alegação inclusive de erro médico, o ex-jogador passou por uma nova cirurgia, dessa vez nos Estados Unidos.

Em fevereiro de 2020, o filho Edinho chegou a dizer que o pai sofria de depressão. Pouco tempo depois, o próprio Pelé foi às redes sociais alegar que passava por “dias bons e maus” apenas, como próprio da idade, segundo ele mesmo — Edinho, técnico do Londrina (PR), encontrou o pai na semana do Natal, no hospital em São Paulo. No mês seguinte, avesso a velórios e com medo da Covid-19, Pelé não compareceu ao enterro do irmão Zoca.

Pelé conquistou três Copas do Mundo com a camisa da seleção brasileira

Pelé conquistou três Copas do Mundo com a camisa da seleção brasileira Divulgação/CBF

Em março de 2021, aos 80 anos, o “cidadão Edson”, como sempre gostava de se diferenciar, tomou a primeira dose da vacina contra a Covid, em sua casa, no Guarujá, no litoral sul de São Paulo.

Reverenciado no mundo inteiro, Pelé deixa hoje números que ficaram para sempre na história do futebol. Tido por muitos até hoje como o maior jogador de todos os tempos, o Atleta do Século foi tricampeão do mundo com a seleção brasileira (1958, 1962 e 1970) e bicampeão do Mundial Interclubes com o Santos (1962 e 1963), tendo marcado 1.281 gols em 1.363 partidas, segundo os números da IFFHS (Federação Internacional de História e Estatística do Futebol, na sigla em inglês).

Além da camisa da seleção brasileira (1957 a 1971), que ajudou a tornar icônico o número 10, Pelé também defendeu as cores do Santos (1956 a 1974) e do New York Cosmos (1975 a 1977).

Pelé deixa a mulher, Márcia Aoki, os filhos Kely Cristina, Jennifer e Edinho (frutos do relacionamento com Rosemeri dos Reis Cholbi), Joshua e Celeste (do relacionamento com Assíria Seixas Lemos) e Flávia Kurtz (de um caso extraconjugal). Sandra Regina Machado (também filha de um caso extraconjugal) morreu em 2006, dez anos depois de ter reconhecida a paternidade.

Veja o boletim médico do Albert Einstein

São Paulo, 29 de dezembro de 2022  O Hospital Israelita Albert Einstein confirma com pesar
o falecimento de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, no dia de hoje, 29 de dezembro de
2022, às 15h27, em decorrência da falência de múltiplos órgãos, resultado da progressão do
câncer de cólon associado à sua condição clínica prévia.

O Hospital Israelita Albert Einstein se solidariza com a família e todos que sofrem com a perda
do nosso querido Rei do Futebol.

 

Comentários

Extra

Com vazante, Rio Acre inicia rastro de destruição em Brasiléia e Epitaciolândia

Publicado

em

Rio Acre continua vazando e marca 12,48 antes do meio-dia desta sexta, dia 1º de março

A segunda fase agora se inicia nas cidades que foram alagadas pelo rio Acre, que marcou 15,58cm na terça-feira, dia 27 de fevereiro, se tornando a maior catástrofe natural da história, passando a de 2015, quando marcou os 15,55cm.

Nesta sexta-feira, dia 1º de março, no segundo dia de vazante, foi registrado 12,48cm por volta do meio-dia, e continuava no mesmo ritmo de um metro por hora. Muitas famílias estão iniciando o retorno para suas casas nas partes que já estão secas, realizando limpeza por completo.

As secretarias de saúde do Estado e dos Municípios afetados, estão alertando os moradores que evitem o contato com as águas desnecessário, afim de evitar um possível contágio de doenças como leptospirose, causado por urina e fezes de rato, entre outras doenças.

O rastro causado pela enchente, mostra muita destruição na parte antiga da cidade de Brasiléia. São comércios em geral, prédios públicos, residências, ruas, praças em situação de guerra, com a diferença que tudo está coberto por muita lama. O retorno é um dos capítulos mais dolorosos para os moradores.

Local onde o rio Acre rompeu a rua de acesso aos Bairro Leonardo Barbosa I e II e 28 de Maio, também destruiu a tubulação de fornecimento de água potável.

Os funcionários do Depasa já estão trabalhando para normalizar os abastecimentos das áreas afetadas, principalmente os bairros Leonardo Barbosa I e II, 28 de Maio, que tiveram a tubulação destruída com o rompimento da rua de acesso.

As prefeituras já estão trabalhando para realizar a distribuição dos kits de limpeza, além de iniciar a retirada dos entulhos e desobstruir as ruas, retirando a lama deixada pelo rio.

Comentários

Continue lendo

Extra

Polícia Civil é acionada para resgatar dois corpos em decomposição dentro de igarapé em Brasiléia

Publicado

em

Moradores do Ramal Nazaré, localizado na parte alta da cidade de Brasiléia, acionaram a Polícia Civil sobre a localização de dois corpos já em estado de decomposição avançada em um local de difícil acesso, dentro de um igarapé.

Uma equipe de agentes junto com Bombeiros se deslocou até o local, onde puderam confirmar a veracidade dos fatos, sendo necessário a utilização de um barco para poder retirar os corpos que estavam próximos um do outro dentro da água.

A cena inicial, se acredita em uma possível execução, mas, somente após os exames periciais poderão dizer a forma do duplo assassinato. Duas fotos que estão circulando nas redes sociais podem ser de dois jovens que estão desaparecidos a cerca de cinco dias.

As primeiras informações que estão sendo levantadas, mas, não são oficiais por enquanto, são que os jovens seriam de uma facção criminosa e foram vistos pelo bairro e depois desapareceram.

Foi informado que os familiares dos jovens desaparecidos serão chamados para tentar ajudar na identificação, como tatuagens, roupas ou sinais de nascença, uma vez que os rostos estavam muitos desfigurados devido a decomposição.

O delegado plantonista e sua equipe de investigadores já estão trabalhando para identificar os corpos e tentar identificar os possíveis executores nos próximos dias. os corpos serão transferidos para o IML na Capital, onde passaram pelo serviço forense e somente depois liberados aos familiares.

Comentários

Continue lendo

Extra

Governador Gladson Cameli visita Brasileia para prestar apoio às famílias alagadas, enquanto Rio Acre apresenta sinais de vazante

Publicado

em

“O momento é de solidariedade, união e forte presença do Estado”, declarou o governador do Acre, Gladson Cameli, durante sua visita à cidade de Brasileia realizada na tarde desta quarta-feira, 28.

O município de Brasileia é um dos mais impactados pela cheia histórica do Rio Acre, que afeta significativamente a região do Alto Acre. Os municípios de Assis Brasil e Epitaciolândia também foram atingidos.

Em menos de um ano, Brasileia enfrenta a segunda alagação, atingindo mais de 75% de seu território e cerca de 50% da população. O Rio Acre chegou a atingir a marca de 15,58m na medição das 12h desta quarta-feira, 28. Segundo a Defesa Civil Estadual, na medição do Rio Acre das 18h, o manancial apresentou três centímetros de vazante, alcançando a marca de 15,55m.

Durante visita, Gladson agradeceu o apoio de todos os envolvidos nos trabalhos. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Segundo o governador Gladson Cameli, o presidente em exercício, Geraldo Alckmin, disponibilizou a estrutura federal por meio do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, com Waldez Góes como titular.

Gladson fez um alerta à população da capital. “Saibam que a tendência dessas águas daqui é chegarem em Rio Branco e, com isso, aumentar o número de desabrigados”, destacou.

Moradores de Brasileia agradecem emocionados o apoio do governo. Foto: Marcos Vicentti/Secom

A prefeita da cidade, Fernanda Hassem, afirmou que o momento é crítico. “Hoje, estamos com nossa cidade quase toda inundada e isolada, com várias comunidades rurais atingidas”, declarou.

A prefeita apresenta ao governador os números da cheia. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Fernanda ressaltou que, mesmo diante da catástrofe, a união de todas as instituições, empresas e cidadãos tem feito a diferença para minimizar os impactos da cheia. “Montamos um comitê de crise, recebemos o secretário de Agricultura, o Tchê, com a estrutura do Estado, para atender as pessoas e prestamos mais ajuda humanitária”, declarou.

Grupo de jovens se despedem do governador cantando músicas de esperança. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Comentários

Continue lendo






Em alta