fbpx
Conecte-se conosco

Brasil

Copa 2023: Espanha supera crise com técnico, bate a Inglaterra e é campeã

Publicado

em

A Espanha é campeã da Copa do Mundo feminina 2023. Com gol da capitã Carmona ainda no primeiro tempo, as espanholas venceram a Inglaterra por 1 a 0, no lotado Accor Stadium, em Sydney, e conquistaram o Mundial pela primeira vez na sua história.

As espanholas controlaram a maior parte do jogo e não conseguiram um placar maior por causa de Mary Earps. A goleira defendeu um pênalti de Hermoso e fez intervenções importantes no decorrer da partida.

A final contou com quase 76 mil pessoas. Os ingleses foram maioria nas arquibancadas, mas a festa foi dos espanhóis.A Espanha superou a crise e boicote de jogadoras para levantar a taça. Ao todo, 12 atletas se recusaram a servir à seleção neste Mundial devido à permanência do técnico Jorge Vilda.

Jorge Vilda foi vaiado no anúncio das escalações. O comandante espanhol é criticado por parte do elenco desde o ano passado, mas foi bancado pela Federação Espanhola.

Do outro lado, Sarina Wiegman é vice pela segunda vez. A técnica da Inglaterra foi a comandante da Holanda no Mundial de 2019.

A Espanha é a terceira seleção europeia a ser campeã do mundo. Ela se junta à Noruega (1995) e Alemanha (2003 e 2007).

Como foi o jogo

Final começou aberta, com bola na trave e milagre de Earps. Espanha valorizou a posse de bola, sempre buscando espaços para aproveitar a velocidade de Paralluelo e Redondo pelos lados e viu a melhor chance parar na melhor goleira do mundo. Do outro lado, a Inglaterra mostrou jogadas mais elaboradas e com recursos para se livrar na forte marcação espanhola, mas a melhor oportunidade explodiu no travessão.Invasão de campo paralisou o jogo. Aos 24 minutos do primeiro tempo, enquanto a Inglaterra se preparava para a cobrança de falta, um torcedor – de máscara e com camiseta contra o Vladimir Putin, presidente da Rússia — invadiu o gramado, chegando próximo à entrada da grande área, mas foi rapidamente contido pelos seguranças.

Espanha saiu na frente com gol da capitã e segurou a Inglaterra até o intervalo. Carmona fez a festa espanhola ao finalizar cruzado e abrir o placar em Sydney. Com a vantagem, a Espanha trocou passes e buscou desacelerar o jogo. Quando não tinha a bola, apostou na marcação para segurar uma desorganizada Inglaterra.

Inglaterra voltou com James e Kelly e foi para cima da Espanha, mas faltou pontaria. As britânicas ficaram mais com a bola e encontraram espaços, principalmente pelos lados do campo. Mas faltou calma na hora de finalizar e empatar o confronto. Do outro lado, a Espanha não abriu mão de atacar e viu Mary Earps manter a vantagem mínima.

Mary Earps encaixou pênalti e deixou a Inglaterra viva no jogo. Após longa demora, o VAR recomendou revisão de toque de mão de Walsh. A árbitra marcou a penalidade, Hermoso foi para a cobrança, e a inglesa mostrou por que é a melhor goleira do mundo e manteve a Inglaterra viva.Espanha segurou a pressão inglesa em 13 minutos de acréscimo e soltou o grito de campeã. As espanholas valorizaram a posse de bola e aproveitaram substituições para matar o tempo. Já a quantidade de acréscimos deveu-se à demora na marcação do pênalti e pelo atendimento à Greenwood após corte na cabeça em dividida com Paralluelo.

Vaias a Vilda e ingleses em peso

O técnico Jorge Vilda foi vaiado no anúncio das escalações no telão do estádio. Enquanto nas capas dos jornais espanhóis ele acabou sendo a estrela, na Austrália a torcida ficou ao lado das jogadoras na polêmica.

Os ingleses estavam em maior número em Sydney e cantaram alto o hino do país, mas ao longo do jogo os espanhóis de fizeram ouvir. Muitas vezes, cantavam muito mais alto.

Gols e lances importantes

Na trave! Aos 16 minutos do primeiro tempo, Daly amorteceu a bola na esquerda da área, ajeitou para Hemp e a atacante, em finalização de canhota, acertou o travessão de Cata Coll.

Defendeu Mary Earps! Aos 17 minutos do primeiro tempo, após jogada pela esquerda, Carmona cruzou, a bola passou por Paralluelo e Redondo finalizou. No reflexo, Earps defendeu e Walsh completou.

Gol da capitã! Aos 29 minutos do primeiro tempo, Carmona foi acionada nas costas de Lucy Bronze, invadiu a área e finalizou cruzado, sem chance para Earps.

Na trave! Aos 46 minutos do segundo tempo, Paralluelo recebeu de Batlle na marca do pênalti, finalizou de primeira e acertou a a trave esquerda.

Pegou, Earps! Aos 6 minutos do segundo tempo, Caldentey arrumou espaço na entrada da área, bateu de chapa no canto esquerdo e Mary Earps voou para espalmar de mão trocada.

Para fora. Aos 9 minutos do segundo tempo, Kelly recebeu de Stanway na direita, cruzou para o segundo pau e, de frente para o gol, Hemp finalizou à esquerda de Cata Coll.Mary Earps! Aos 24 minutos do segundo tempo, Hermoso foi para a cobrança de pênalti — marcado com auxílio do VAR por toque de mão de Walsh dentro da área — e a goleira Mary Earps foi buscar no canto esquerdo.

Mais uma para conta dela! Aos 48 minutos do segundo tempo, Batlle entrou na área pela direita, chutou cruzado e, após desvio de Carter, Earps esticou o pé esquerdo para defender.

FICHA TÉCNICA

Espanha 1 x 0 Inglaterra

Competição: final da Copa do Mundo feminina
Data e horário: 20 de agosto de 2023, às 7h (de Brasília)
Local: Accor Stadium, em Sydney, na Austrália
Árbitra: Tori Penso
Assistentes: Brooke Mayo e Katie Nesbitt
Cartões amarelos: Hemp (Inglaterra); Paralluelo (Espanha)
Gol: Carmona (Espanha), aos 29 minutos do primeiro tempo
Público: 75.784 torcedores

ESPANHA: Cata Coll; Ona Batlle, I. Paredes, L. Codina (Ivana Andrés) e Olga Carmona; Teresa Abelleira, Aitana Bonmati e Jenni Hermoso; Alba Redondo (Hernández), Mariona Caldentey (Putellas) e Paralluelo. Técnico: Jorge Vilda.

INGLATERRA: Earps; Carter, Bright e Greenwood; Bronze, Walsh, Stanway e Daly (Kelly); Toone (England); Russo (Lauren James) e Hemp. Técnica: Sarina Wiegman.

Comentários

Brasil

Crescimento da arrecadação no país alerta sobre aumento no pagamento de impostos

Publicado

em

Em janeiro, o país arrecadou R$ 280,63 bilhões, maior número para o mês em quase 30 anos

Até o último dia de fevereiro, o Impostômetro registrou R$ 643 bilhões de impostos pagos pelos brasileiros em 2024. A ferramenta da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) atingiu a marca de R$ 500 bilhões em 14 de fevereiro, nove dias antes do registrado no ano passado — um aumento de 16,4%.

Em janeiro de 2024 o país teve a maior arrecadação para o mês em quase 30 anos, segundo a Receita Federal, alcançando R$ 280,63 bilhões, com aumento real de 6,67% em relação ao mesmo mês de 2023.

Alterações na legislação e pagamentos atípicos contribuíram para essa alta. Principalmente do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) — que incide sobre o lucro das empresas — que somaram R$ 91,7 bilhões em janeiro.

Após lei sancionada em dezembro, também houve recolhimento extra de R$ 4,1 bilhões do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) – Rendimentos de Capital, referente à tributação de fundos exclusivos, contabilizando arrecadação total de R$ 14 milhões e alta de 24,41% em relação a janeiro de 2023.

Já as desonerações concedidas no Programa de Integração Social/Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (PIS/Cofins) sobre combustíveis impactaram negativamente no resultado.

Para onde vai esse recurso?

Os valores arrecadados são utilizados para as despesas primárias — em políticas públicas em saúde e educação, por exemplo — e financeiras — como empréstimos e financiamentos.

De acordo com o economista da ACSP Ulisses Ruiz de Gamboa, 75% das despesas primárias do governo federal correspondem à previdência e ao pagamento do funcionalismo, ou seja, o custeio da máquina pública.

O especialista explica os motivos para o aumento na arrecadação, que são basicamente dois.

“Quando tem um aumento na atividade econômica a arrecadação aumenta junto, isso é normal. E segundo porque o nosso sistema tributário está muito baseado em impostos arrecadados a partir do consumo e esses impostos são cobrados sobre o preço, então quando o preço aumenta, a arrecadação também sobe. Resumindo, crescimento econômico mais inflação, isso aumenta a arrecadação”, explica.

Tributos

O Brasil está entre os 30 países que mais arrecadam impostos do mundo e é o que menos dá retorno para a população, segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). De acordo com Ruiz de Gamboa, os valores não correspondem com a realidade.

“A carga tributária já está por volta de 35% da renda total do país, é muito elevada, é a carga tributária da Inglaterra, por exemplo. Nós pagamos um valor alto demais e a tendência é aumentar”, comenta.

O economista Aurélio Trancoso é pessimista em relação ao futuro, já que, segundo ele, o governo vem aumentando impostos cada vez mais e retirando benefícios de empresas e para arrecadar mais.

“O governo federal vem com a ideia de aumentar a arrecadação em cima de impostos. O governo não faz redução de custo, ele infelizmente só trabalha com aumento de receita. Quando você vai fazer a Lei de Diretrizes Orçamentárias tem que olhar as despesas do governo, cortar despesas e não focar em arrecadação. A arrecadação é consequência”, avalia.

Em 2023, o trabalhador brasileiro precisou trabalhar 147 dias para pagar impostos, segundo o IBPT.

Comentários

Continue lendo

Brasil

‘Até o final de abril, registraremos outro milhão de casos’, alerta médico sobre avanço da dengue

Publicado

em

Sete estados e Distrito Federal declararam emergência em saúde pública por alta dos casos da doença

Mais de um milhão de casos de dengue foram registrados nos primeiros meses de 2024, além de 214 óbitos e outros 687 ainda em investigação, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde na última quinta-feira (29). De acordo com Renato Kfouri, pediatra infectologista e Presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria, o país tem potencial para registrar mais um milhão de casos até abril, além de ressaltar que 90% dos municípios brasileiros possuem foco da doença.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Roraima tem 45% do total de focos de queimadas do país em fevereiro

Publicado

em

Número de focos no estado chegou a 2.057 no mês passado

O estado de Roraima registrou em fevereiro deste ano 2.057 focos de queimadas, segundo dados do Programa de Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O número corresponde a 45% de todos os focos detectados no país no mês passado (4.568).

Desde o início do ano, são 2.661 focos de queimadas detectados em Roraima. O número é maior do que todos os focos registrados em 2023 no estado: 2.659. Em fevereiro do ano passado, foram registrados 168 focos em Roraima.

O governo do estado decretou situação de emergência em nove municípios de Roraima devido aos efeitos da estiagem na região: Amajari, Alto Alegre, Cantá, Caracaraí, Iracema, Mucajaí, Pacaraima, Normandia e Uiramutã.

Os municípios com mais focos de queimadas em fevereiro são Mucajaí (401), Caracaraí (335), Amajari (235) e Rorainópolis (218).

Estiagem

O estado passa por um período de forte estiagem, agravado pela influência do fenômeno do El Niño. O Rio Branco, o principal do estado, atingiu o nível de – 0,13 metro, segundo a Companhia de Águas e Esgotos de Roraima (Caer).

A produção de água potável nos poços artesianos do estado foi reduzida em 20%, o que, segundo a Caer, acaba ocasionando baixa pressão na rede de distribuição de água dos bairros mais afastados. O governo do estado instalou pontos de coleta de água potável gratuita nas sedes dos municípios e também disponibiliza abastecimento na matriz da Caer.

O Corpo de Bombeiros de Roraima aponta a prática local de atear fogo para “limpar” a terra como uma dos fatores que agravam a situação, uma vez que o fogo pode sair de controle.

Governo do estado

A Secretaria de Comunicação Social de Roraima informou, em nota, que o cenário da estiagem preocupa. “Mas não é possível mensurar em comparações temporais, uma vez que a situação depende do comportamento climático dos próximos meses. Houve períodos anteriores de seca e queimadas no Estados, com destaque para os anos de 1998, 2010 e 2016.”

Entre as medidas de combate às queimadas adotadas pelo governo do estado está a convocação dos prefeitos de todos os municípios para elaborar planejamento das ações de enfrentamento às queimadas. O governo do estado também solicitou reforço do governo federal para atuar de forma integrada e responder à situação.

Comentários

Continue lendo






Em alta