fbpx
Conecte-se conosco

Acre

Advogada apontada como ‘pombo-correio’ de facção ocupava cargo no governo do AC e foi afastada

Publicado

em

Governo informou que Glenda Fernanda Santos Menezes foi afastada sem ônus desde as denúncias, até conclusão das investigações. Ela trabalhava no administrativo da Agência de Negócios do Acre desde abril deste ano.

Advogada apontada como ‘pombo-correio’ de chefes de facção é afastada de cargo na Anac, diz governo — Foto: Arquivo pessoal

A advogada Glenda Fernanda Santos Menezes, que foi presa no último dia 30 de novembro suspeita de agir como “pombo-correio” para facção criminosa, foi afastada do cargo na Agência de Negócios do Acre (Anac). A informação foi confirmada ao g1, nesta quarta-feira (6), pelo governo do estado.

Conforme o governo, a advogada era contratada em regime CLR desde o dia 1 de abril deste ano e atuava no setor administrativo do órgão. O afastamento de Glenda, segundo a nota, é sem ônus.

“Glenda Menezes trabalha no setor administrativo da Agência de Negócios do Acre (Anac S.A.) desde 1 de abril de 2023, contratada no regime CLT e, desde as denúncias envolvendo seu nome, foi afastada de suas funções, sem ônus, até que sejam concluídas as investigações e adotadas todas medidas legais cabíveis”, diz a nota.

A defesa da advogada, Naíza Queiroz, disse que não foi informada do afastamento dela na Anac e que ela tem, inclusive, o apoio da diretora presidente da Anac.

“Entende ser medida de praxes, tendo em vista tratar-se de afastamento, e não exoneração, sobretudo se tem em vista que a própria diretora-presidente da Anac afirmou ser a mesma uma excelente profissional. No mesmo sentido, afirma a defesa que a advogada Glenda Fernanda de Menezes tem total apoio de sua família, amigos e colegas de classe, de forma a comprovar que situações isoladas não afetaram sua carreira e seu profissionalismo construído ao longo destes anos, como ficará provado no decorrer do processo.”

Além de Glenda, outros três advogados foram alvos da operação da Polícia Civil suspeitos de intermediar a transmissão de mensagens dos chefes da organização criminosa para membros das ruas. Dos quatro advogados presos, três estavam no Acre e um no Espírito Santo (ES).

Segundo as investigações, as ações tinham como finalidade manter a condução e organização dos trabalhos criminosos, tendo em vista que os chefes estão cumprindo pena em presídios.

Advogados suspeitos de agirem como "pombos-correio" foram presos — Foto: Reprodução

Advogados suspeitos de agirem como “pombos-correio” foram presos — Foto: Reprodução

Quem são os advogados?

 

  • Juliana Sousa Pereira;
  • João Figueiredo Guimarães;
  • Eronildo Macambira Braga Junior;
  • Glenda Fernanda Santos Menezes.

 

Em pesquisa no Cadastro Nacional dos Advogados (CNA), todos estão em situação regular. O advogado João Figueiredo Guimarães, de 74 anos, foi condenado a mais de 7 anos por tráfico de drogas. Ele foi flagrado pela Polícia Federal tentando entrar no Complexo Penitenciário de Rio Branco com quase meio quilo de entorpecente e cartas em outubro de 2021.

Em audiência de custódia, as prisões foram mantidas. No caso de João Figueiredo, ele segue em prisão domiciliar.

A reportagem não conseguiu contato com as defesas dos advogados.

Em material obtido pelo g1, é possível ver troca de mensagens entre os advogados e chefes de uma facção criminosa que atua no estado. Os informes eram repassados aos advogados para que eles pudessem passar para outros membros. Um dos advogados até revela negociação de assumir um posto dentro da organização criminosa.

Prints mostram troca de mensagens entre advogado e membro de facção criminosa — Foto: Reprodução

Prints mostram troca de mensagens entre advogado e membro de facção criminosa — Foto: Reprodução

Operação

 

A operação foi chamada de “Cupiditas” , que no latim significa ganância – em alusão aos investigados que a todo tempo se utilizavam de garantias e direitos para ascenderem na organização criminosa. Na ação, foram cumpridos mandados judiciais no Acre e Espírito Santo.

“Também foi apurado que um desses advogados teve contato direto, a mando dos principais líderes da organização no Acre, com importante liderança dessa organização no Rio de Janeiro, com a finalidade de pleitear demandas em nome daqueles.”

O delegado da Polícia Federal Felipe Fachinelli, em coletiva, disse que muitos detalhes do esquema estão me sigilo para não atrapalhar as investigações. Os nomes dos advogados não foram divulgados.

“Eles agiam como pombo-correio, uma conduta que é de extrema importância pros líderes da organização criminosa, porque eles estão encarcerados. E, a partir do momento que eles estão encarcerados, eles estão sem contato nenhum com o mundo afora. A partir do momento que algumas pessoas, utilizando sua prerrogativa constitucional, dos seus privilégios, começam a fazer esse leva e traz, de forma que esses pombos-correio começam a dar voz às lideranças que estão presas, e começam a dar ordem das lideranças, as diretrizes das lideranças”, disse.

Segundo a PF, foram cumpridos 5 mandados de busca e apreensão, sendo 5 no Acre e dois no Espírito Santo (ES) e mais cinco prisões, sendo três no Acre e duas em ES. A investigação ocorre desde janeiro.

Três advogados suspeitos de serem 'pombos- correio' de chefes de facção são presos no Acre — Foto: Asscom/PF-AC

Três advogados suspeitos de serem ‘pombos- correio’ de chefes de facção são presos no Acre — Foto: Asscom/PF-AC

“Nós garantimos todas as prerrogativas e direitos dos advogados. Os advogados, pela condição de advogado, têm alguns direitos e algumas prerrogativas. Todos os mandatos de busca, apreensão e prisão cumprido tinham representante da OAB para atestar a idoneidade e legitimidade desses mandatos. Tal como todos os trânsitos processuais e também na investigação a partir de agora será com o acompanhamento do OAB”, disse o delegado.

O que diz a OAB-AC

 

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Acre (OAB/AC) mandou nota sobre o caso, confirmando que tem acompanhado todo o processo.

“Inicialmente, esta Seccional foi acionada para a designação de sua representação de defesa de prerrogativas do advogado para acompanhar o cumprimento de mandados na manhã de hoje, onde foi informado que seriam quatro alvos, todos advogados inscritos nesta seccional, sendo a equipe da Comissão de Assistência e Defesa de Prerrogativas destacada para o acompanhamento da operação. A operação teve como alvos quatro endereços, sendo que um dos advogados não se encontrava na cidade de Rio Branco e foram cumpridos mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva. Nesse contexto a OAB Acre acompanha a situação dos profissionais envolvidos, garantindo o respeito de suas prerrogativas funcionais e permanecerá acompanhando o caso a fim de que tais direitos sejam devidamente respeitados. Ademais, ante os fatos apresentados, esta Seccional solicitará informações do Poder Judiciário acerca das acusações imputadas, a fim de que sejam adotadas eventuais medidas disciplinares.”, dia nota.

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (FICCO), composta pela Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Polícia Penal, e contou com 40 policiais que cumpriram os mandados judiciais no dois estados.

Os investigados, a princípio, devem responder pelos crimes de integrar organização criminosa, cuja pena é de reclusão de 3 a 8 anos, além de eventuais delitos relacionados.

Comentários

Acre

Em reunião com Ministros de Lula, prefeito Jerry solicita construção de moradias

Publicado

em

Nesta segunda-feira , 04, o prefeito de Assis Brasil, Jerry Correia, participou da agenda do governo federal no município de Brasiléia com os ministros da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, e do Meio Ambiente, Mariana Silva, com a presença dos senadores Alan Rick e Sérgio Petecão, deputados federais e estaduais os prefeitos Bira Vasconcelos de Xapuri, Sérgio Lopes de Epitacilandia e Fernanda Hassem de Brasiléia.

Os ministros estiveram em Brasiléia para ver de perto a situação pós-cheia nos municípios da regional do Alto Acre, na oportunidade reuniram com os prefeitos para anunciar ações do governo federal para ajudar as cidades que foram inundadas. O Acre teve mais de 17 municípios atingidos pelas águas este ano.

O prefeito Jerry Correia agradeceu a presença dos ministros e pediu o empenho de todos para soluções a longo prazo. “Quero agradecer ao presidente Lula por meio do ministério pela agilidade na liberação de recursos para os municípios, ao governador Gladson Cameli, e pedir o empenho de todos para que possamos construir projetos habitacionais para atender a população”, disse.

A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, conduziu os ministros e autoridades na vistoria área as áreas atingidas pela cheia e pediu o empenho de todos no sentido de oferecer soluções a longo prazo para o problema das enchentes.

O ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, enfatizou que o governo federal está empenhado a prestar toda ajuda necessária aos municípios.

De seu lado, a ministra do Meio Ambiente, Mariana Silva, destacou o fenômeno das mudanças climáticas como fator determinante para as enchentes e disse que é preciso de projetos para reconstruir as cidades.

Comentários

Continue lendo

Acre

“Não dá para construir mais casas onde alaga. 40 foram levadas pelas águas”, se emociona Fernanda

Publicado

em

Prefeita Fernanda Hassem promete ação imediata após visita dos Ministros às áreas alagadas de Brasiléia

Em um discurso emocionado durante uma reunião entre autoridades na Sede do Senac, a prefeita Fernanda Hassem não hesitou em abordar a urgência da situação enfrentada por Brasiléia após a vistoria dos Ministros Waldez Goes (Integração) e Marina Silva (Meio Ambiente) às áreas alagadas, ocorrida nesta segunda-feira, 4.

“Não dá para construir mais casas onde alaga. Essa oportunidade é única, temos todos os poderes aqui. A prefeita não foge da responsabilidade, o governador também não. E com vocês ministros estão aqui vendo a situação de perto. Vamos trabalhar para mudarmos essa realidade a curto, médio e longo prazo”, enfatizou Hassem, determinada a encontrar soluções efetivas para a comunidade.

Hassem informou às autoridades presentes que pelo menos 40 casas foram levadas pelas águas, garantindo que “essas pessoas não ficarão desamparadas”. Comprometida com a resposta rápida e eficaz, a prefeita ressaltou a necessidade urgente de mudança.

O discurso impactante de Fernanda Hassem terminou em um momento de solidariedade, onde recebeu os abraços reconfortantes do governador Gladson Cameli e da Ministra Marina Silva, demonstrando a união de esforços para enfrentar os desafios que se apresentam.

Com o apoio das autoridades federais e estaduais, a prefeitura de Brasiléia se prepara para iniciar ações imediatas visando mitigar os impactos das enchentes e proporcionar segurança e assistência às famílias afetadas.

Comentários

Continue lendo

Acre

Brasiléia enfrenta cenário de devastação após alagação histórica

Publicado

em

No estado do Acre, a cidade de Brasiléia enfrenta uma situação de calamidade após ser atingida por mais uma alagação de proporção histórica. Ruas se transformaram em rios, casas, praças, escolas foram destruídas pelas águas e pontes na zona rural desabaram, deixando um rastro de destruição que abalou a comunidade local.

De acordo com a Defesa Civil municipal , cerca de 75% da cidade foi afetada pela enchente.

Milhares de famílias estão desabrigadas, incapazes de retornar às suas residências devido às condições precárias em que se encontram.

A situação também impactou severamente os comerciantes locais, que enfrentam prejuízos significativos devido à destruição de seus estabelecimentos.

A alagação do Rio Acre em Brasiléia afetou mais de 15 mil pessoas, destas mais de 1.500 estão em abrigos , sendo necessário mais de 6 mil refeições diária.

Brasiléia luta para se recuperar dos impactos dessa tragédia natural, é fundamental que o apoio continue chegando tanto do governo estadual quanto federal, visando à reconstrução e ao amparo das famílias afetadas por essa calamidade.

Para a prefeita Fernanda Hassem a situação é de um cenário de completa devastação. Fernanda destaca a urgência de apoios para a recuperação da cidade.

“É fundamental destacar que, diante dessa situação gravíssima, a prefeitura de Brasiléia enfrenta limitações para lidar com os estragos causados pela alagação. Por isso, é fundamental o apoio dos governos estadual e federal, bem como de outras instâncias, para que possamos agir de forma eficaz na reconstrução da cidade e na assistência às famílias atingidas. Sozinha, a prefeitura não pode fazer o suficiente para enfrentar essa crise. Precisamos unir esforços e recursos para garantir que Brasiléia se recupere e que as pessoas afetadas recebam o suporte necessário para reconstruir suas vidas.”, finalizou a prefeita.

Comentários

Continue lendo






Em alta