fbpx
Conecte-se conosco

Acre

Acre tem 2º maior valor médio do Bolsa Família em junho; mais de 130 mil serão beneficiados

Publicado

em

Rodada de pagamentos começou na segunda-feira (19) e vai até o dia 30. No total, foram repassados R$ 99,8 milhões divididos aos 22 municípios acreanos.

 

O valor médio do Bolsa Família já está em vigor desde segunda-feira (19) e os mais de 130 mil beneficiários do Acre também terão reajuste no valor do benefício. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), o estado registrou o segundo maior valor médio do país em junho.

Ainda de acordo com o órgão governamental, o valor está em R$764,18, dado como o maior da história do estado. Em comparação com o mês anterior, o aumento foi de R$56,18.

Com 1.737 famílias atendidas, o município de Jordão, no interior do Acre, registrou ainda o maior valor médio no estado: R$ 922,02. Na sequência aparecem Santa Rosa do Purus (R$ 907,80) e Porto Walter (867,95).

Já a capital Rio Branco é o município acreano que conta com o maior número de beneficiários no estado em junho, sendo 43.684. Cruzeiro do Sul (13,9 mil), Tarauacá (9,4 mil), Sena Madureira (9,2 mil) e Feijó (5,5 mil) completam a lista dos cinco municípios.

Ao todo, o Bolsa Família soma 130.655 beneficiários no Acre em junho. No total, foram repassados R$ 99,8 milhões aos 22 municípios.

Aumento

 

O governo passará a pagar R$ 142 por integrante de cada família. Em lares com menos de quatro pessoas, o valor mínimo de R$ 600 permanece, calculado de forma individual. Somado a isso, continuarão a ser pagos R$ 150 por criança entre 0 e 7 anos incompletos.

Os pagamentos começaram já nesta segunda para beneficiários com final 1 no Número de Identificação Social (NIS), e seguem até o próximo dia 30. Confira abaixo o calendário de pagamento.

Também em junho, o Governo Federal faz o pagamento do Auxílio Gás, um benefício de R$ 109 voltado a famílias em maior condição de vulnerabilidade social. No Acre, são 52.681 famílias contempladas a partir do repasse de R$ 5,7 milhões.

Além disso, há os adicionais para a quantidade de criança de 0 a 6 anos, de R$ 150 cada, além do Benefício Variável Familiar de R$ 50, incluído no valor caso a família tenha gestantes e crianças e adolescentes de 7 a 18 anos. No Acre, são 128 mil pessoas, sendo 8,2 mil gestantes, 99,7 mil crianças de sete a 12 anos e 20,5 mil adolescentes de 12 a 18 anos.

Veja abaixo o calendário de pagamento:

 

  • 19 de junho – NIS com final 1
  • 20 de junho – NIS com final 2
  • 21 de junho – NIS com final 3
  • 22 de junho – NIS com final 4
  • 23 de junho – NIS com final 5
  • 26 de junho – NIS com final 6
  • 27 de junho – NIS com final 7
  • 28 de junho – NIS com final 8
  • 29 de junho – NIS com final 9
  • 30 de junho – NIS com final 0

Comentários

Continue lendo

Acre

Imac suspende autorização de queimadas no Acre por causa da seca severa; entenda

Publicado

em

A portaria suspende durante o período de vigência do Decreto Estadual nº 11.492, de 10 de junho de 2024

O Instituto do Meio Ambiente do Acre (Imac) publicou no Diário Oficial do Estado (DOE), nesta quinta-feira (25), uma portaria que suspende a emissão de Autorizações de Queima em todo o estado do Acre

A portaria suspende durante o período de vigência do Decreto Estadual nº 11.492, de 10 de junho de 2024, que trata da situação de emergência ambiental em decorrência da redução dos índices de chuvas e dos cursos hídricos, prejuízos sociais e econômicos, e riscos de incêndios florestais.

“Descumprimento da portaria constituir-se-á em infração à Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, sem prejuízo da apuração de responsabilidade civil e penal, nos termos do Decreto nº 6.514, de 22 de julho de 2008,
bem como da Lei Estadual nº 1.117, de 26 de janeiro de 1994 e alterações”, diz um trecho do decreto.

Imac

Comentários

Continue lendo

Acre

Menina de 7 anos com autismo lança seu primeiro livro e tem mais 14 prontos: ‘Todos com uma essência’, diz pai

Publicado

em

Por

Laura de Oliveira Mota é autista, tem altas habilidades em linguagem e sua principal forma de comunicação é através da escrita. Este é o primeiro livro da pequena a ser lançado.

Laura de Oliveira autografa seu primeiro livro: “As aventuras do kiwi – A fome”. Foto: Hellen Monteiro/g1

Com apenas sete anos, a acreana Laura de Oliveira Mota já tem muitas histórias para contar. Isto pelo menos é o que mostram os seus 14 livros prontos. A pequena é definida por todos que convivem com ela como uma ‘criança de poucas palavras’, mas os pais contam que ela se comunica através da escrita e cria histórias com começo, meio, e fim, em poucas horas.

Laura está no 2º ano do ensino fundamental, é autista e o transtorno foi descoberto pelos pais de primeira viagem há cerca de um ano. Além de inventar histórias completas, a criança ainda faz o designer das imagens do livro com o seu tablet.

“Até descobrirmos, a Laura chorava muito, um choro incontrolável. Levamos ela no psicólogo para entender porque ela chorava tanto e na segunda consulta, a psicóloga já disse que era autismo”, diz Márcio Bento Mota, de 35 anos, pai da criança.

Com o laudo confirmando o Transtorno do Espectro Autista (TEA), veio também a informação de que a menina tem altas habilidades, principalmente em linguagem. A partir de então, em maio deste ano, os pais buscaram acompanhamento no Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S), e aguardam o parecer final detalhando todas as altas habilidades da filha.

“É linguagem, construção de história mesmo. Na semana passada, ela criou três histórias em um dia. Todas as três vão virar livro. E aí vai só criando livro. Ela consegue criar história com início, meio e fim, bem rápido. Todas com uma essência, uma moral e a gente entrega o aplicativo para ela, o tablet, e ela constrói toda a parte gráfica”, explica o pai.

O servidor público fala que após o diagnóstico, a criança evoluiu até mesmo no desenvolvimento de suas atividades rotineiras. Atualmente, os pais descobriram uma nova forma de lidar com Laura evitando frequentar locais com muito barulho, além de adaptarem algumas coisas, como a hora do banho, e as interações sociais.

A neuropsicóloga Vanderly Onorato, que foi uma das profissionais que avaliou a criança, disse que em uma bateria com 15 testes, o caso de Laura foi considerado raro, já que ela superou 93% de outras crianças da mesma idade.

“São avaliados a compreensão verbal, organização perceptual, memória operacional e velocidade do processamento dela. Ela passou pelo teste que ele é titulado como Teste de Inteligência Mundial que foi criado nos Estados Unidos e classifica as pessoas que entram nas universidades, emprego, tudo é baseado em cima dessa escala Wechsler de inteligência”, declara.

Laura teve o apoio dos pais para virar escritora e já ter tantos livros prontos. Foto: Arquivo pessoal

Primeiro livro

A servidora pública Rayane Siqueira de Oliveira, 35 anos, é mãe da pequena escritora e esclarece que o processo para que o livro ‘As Aventuras de Kiwi – A fome’ ficasse pronto foi difícil e precisou ser feito aos poucos. Os custos para a publicação e certificação do registro dos direitos autorais foi todo arcado pela família.

“Fomos fazendo aos poucos, entendendo cada parte do que precisava, parcelando e agora já temos o primeiro livro pronto e outro que fica pronto [impresso] agora em agosto”, afirma ela.

O pai relata que ao ver a primeira vez a história da filha, percebeu que havia algo diferente e perguntou à mãe se ela queria publicá-lo. Ela disse que sim e a partir de então, os dois assistiram vídeos na internet para aprenderem a mexer com a parte gráfica, e assinaram um aplicativo para que ela própria pudesse criar as artes dos livros.

“A gente entrega o aplicativo pra ela, o tablet, e ela constrói toda a parte gráfica. Geralmente, ela passa cinco, seis dias pra construir. Ela constrói tudo no programa. Nesse primeiro livro é a história do Kiwi, que é o pássaro, ele é símbolo da Nova Zelândia. O autista tem geralmente um hiperfoco, e ela tinha o foco nesse pássaro, por isso colocou ele nas histórias”, frisou.

Laura ganhou dos pais uma pelúcia do animal que foi protagonista de seu primeiro livro: o kiwi. Foto: Rita Pontes/CBN Rio Branco

O pai de Laura contou que não sabia nada sobre técnicas de design gráfico. No Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação, conheceu o pai de outra aluna do local que ofereceu um curso para que ele pudesse diagramar corretamente os livros da filha. Segundo ele, a primeira obra foi feita de forma totalmente amadora, mas o segundo exemplar já foi fruto dos seus novos conhecimentos adquiridos.

O método da pequena Laura para a criação de suas histórias funciona da seguinte forma: primeiro ela faz ele completo, à mão, depois faz todo o processo digitalmente. O pai só faz a finalização para que possa ser impresso.

Mota destaca que o primeiro manuscrito foi revisado apenas por ele e a esposa, mas o segundo livro recebeu a correção das professoras do NAAH/S. “Agora a gente está indo para uma versão profissional. Esse segundo livro foi revisado por duas professoras do NAAHS e o bibliotecário”, complementa.

Dois livros já estão totalmente prontos, outros 13 devem ser publicados posteriormente. Foto: Arquivo pessoal

Os outros 14

O primeiro livro de Laura, já publicado, conta a história do kiwi que descobre que algo está dando fome nos kiwis (aves não voadoras da Nova Zelândia) do mundo inteiro. A descrição da história enuncia que “Ameaçado de extinção, esse bravo guerreiro convida seus amigos para descobrir esse mistério e acabar com a fome”.

No entanto, essa é só a primeira obra. A menina já tem outros 14 livros escritos.

São eles:

  • As Aventuras do Kiwi – A fome – publicado
  • As Aventuras do Kiwi – O Meteoro – publicação em agosto
  • A Seringueira
  • O Dólar
  • A Injeção
  • A Risada
  • Perdido na Neve
  • A Viagem
  • A Fila 1
  • A Fila 2
  • A Fila 3
  • Um Dragão em Tanto
  • As Aventuras de Meteorito
  • O Mistério da Fênix
  • Aviões de Guerra

Os pais de Laura disseram que ela não deve parar por aí, já que todos os dias produz novos contos.

A neuropsicóloga, Vanderly Onorato, foi prestigiar o lançamento o livro de Laura. Foto: Arquivo pessoal

Acompanhamento no NAAH/S

O Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S) está vinculado à Divisão de Educação Especial da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes (SEE-AC), oferecendo serviços educacionais especializados no que diz respeito à investigação e ao atendimento dos alunos com características de altas habilidades/superdotação (AH/SD) e à formação continuada dos profissionais que atuam na educação básica, ofertando, também, cursos livres à comunidade.

Jeane Lira Jucá, chefe do NAAH/S-AC, esclarece que o local tem como objetivo identificar e atender os alunos com tais características na educação básica.

“O objetivo do núcleo é identificar o aluno com AH/SD e atendê-lo de forma pedagógica, ou seja, o aluno adentra o Núcleo para um processo de investigação e, uma vez que são confirmadas as características consistentes de AH/SD, ele passa a receber atendimentos de enriquecimento curricular e/ou extracurricular até o final do ensino básico”, diz.

A professora mestra Valdineia da Luz Machado, é quem acompanha Laura nesses três meses no NAAHS e relata que ela é uma criança extremamente criativa, que se expressa, e dá voz a essa expressão, principalmente literária, nas suas criações e nas suas invenções. Ela diz que Laura é muito imaginativa e muito rápida em suas produções.

“As ideias fluem da cabeça dela com uma certa rapidez e agilidade, e a imaginação dela é sem limites. Ela escreve rápido e ela cria histórias com muita facilidade. Sobre todo esse conjunto de fatores que ela traz, que ela mostra, há indícios, fortes indicadores de altas habilidades. Por ela não ser uma pessoa muito verbal, a gente entende que a escrita é a forma em que ela encontra de se comunicar, de ela mostrar como ela vê a vida, como ela vê os seus personagens”, explica.

Valdineia ainda afirma que após ela entrar no NAAH/S, ela passou a desenvolver técnicas na hora da escrita. Antes, ela criava uma história única. Agora, ela cria parte 1 e parte 2 da história.

“Houve, sem dúvida nenhuma, um avanço muito grande nessa orientação da história, na sequência de fatos, na relação que ela estabelece entre um fato e outro, além de a porção textual ter aumentado também. Hoje a Laura escreve muito mais do que ela escrevia há três meses atrás, em termos de mais detalhes, de mais contextualização, de mais caracterização das personagens, então já existe uma condição mais rica na sua produção”, comenta a professora.

Locais para adquirir o livro:

  • Loja física: Livraria Paim – Endereço: Rua Rio Grande do Sul, nº 182 – Bairro: Centro – Cidade: Rio Branco/Acre.
  • E-mail: [email protected]
  • Contato: (68) 99903-0907 – Márcio Mota (Pai)
  • Rede social da escritora: @lauraautora2

Comentários

Continue lendo

Acre

Presbítero da Assembleia de Deus no Acre é afastado após vídeo íntimo com homem

Publicado

em

No vídeo que circula em grupos de WhatsApp e chegou até ao conhecimento nesta quarta-feira (24), o presbítero aparece participando do momento íntimo como ativo, enquanto o outro homem o chama, em alguns momentos, de “pastor”.

A família do religioso está sendo apoiada pela Assembleia de Deus e o caso está sendo considerado como um pecado igual a outros, dos quais qualquer cristão está sujeito. Foto inlustrativa

Um presbítero da Igreja Assembleia de Deus, em Rio Branco (AC), foi afastado após a circulação de um vídeo onde o mesmo foi flagrado em atividade sexual com outro homem. A igreja tomou essa decisão na última semana, marcando um evento significativo na comunidade local.

O vídeo que está circulando em grupos de WhatsApp e chegou até a redação do jornal oaltoacre.com nesta quarta-feira (24) mostra o presbítero participando ativamente de um momento íntimo com outro homem, que em alguns momentos o chama de “pastor”. A câmera que capturou as imagens não parece estar escondida, o que aumenta a repercussão do incidente na comunidade local, principalmente na igreja em questão.

Segundo informações obtidas pela reportagem, a direção da igreja Assembleia de Deus tomou conhecimento do caso na semana passada e decidiu afastar o presbítero de suas funções na igreja. A família do presbítero está recebendo apoio da igreja neste momento difícil. O caso está sendo tratado como um pecado, considerado equivalente a outros aos quais qualquer cristão está sujeito, de acordo com os valores e ensinamentos da denominação religiosa.

Qual é o papel do presbítero na igreja?
O presbítero é o oficial que tem a função de ajudar o pastor, cuja preocupação é a vida espiritual dos rebanhos . Ele funciona, de certa forma, como uma espécie de pastor, ao lado do pastor cuidando da dinâmica espiritual da igreja cristã.

Comentários

Continue lendo