De acordo com as imagens apenas do satélite de referência AQUA Tarde, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o município acreano de Xapuri foi o primeiro do estado e o terceiro do país a registrar mais focos de queimadas nos últimos dois dias – foram 51 detecções nesse período.

A presença do fogo pôde ser observada em áreas próximas à zona urbana, como nas imediações do bairro Sibéria, no lado oposto do Rio Acre, na última sexta-feira, 25, onde uma extensão de vegetação foi incendiada propositalmente, segundo moradores que relataram risco a propriedades, animais e residências.

De acordo com o comando do Corpo de Bombeiros no município, o fogo foi controlado no período da tarde e novamente provocado à noite. A tenente Marcela Sopchaki informou que uma guarnição retornou ao local, com o apoio de policiais militares, para retomar o combate ao fogo.

O Acre já registrou, em 2020, 7.295 focos de queimadas, 17% a mais do que no ano passado, quando o estado teve 6.218 ocorrências no mesmo período, segundo o banco de dados do Programa Queimadas. O acúmulo é o maior desde o incêndio histórico que atingiu a Reserva Extrativista Chico Mendes em 2005.

Os municípios acreanos com o maior número de focos de queimadas desde 1º de janeiro são: Feijó, com 1.486 (20,4% do total do estado), Tarauacá, com 972 (13,3%), Sena Madureira, com 843 (11,6%), Rio Branco, com 570 (7,8%) e Manoel Urbano, que acumula 419 focos (5,7%).

Comentários