Conecte-se conosco





Cotidiano

VÍDEO: Sentado no chão e com terceirizados em volta, Gladson cobra pagamentos: “Está sobrando só pro meu rabo!”

Publicado

em

Vídeo mostra governador cobrando pagamento de servidores terceirizados. Foto: reprodução

POR TON LINDOSO

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o governador Gladson Cameli (Progressistas) sentado no chão, realizando chamadas telefônicas para membros de sua equipe para tirar satisfações sobre o não pagamento de funcionários terceirizados da empresa Maia & Pimentel.

O vídeo mostra o governador visivelmente irritado com a situação. Em determinado momento, o governador dá a entender que está no município de Cruzeiro do Sul.

No material, o governador cita pelo menos duas pessoas: Paulinho, onde pode estar se referindo a Paulo Justino – nomeado em meados de julho para compor a equipe da Casa Civil; e Alysson, onde pode estar se referindo à Alysson Bestene, secretário da Segov. Nenhuma dessas duas informações foi confirmada, até o fechamento desta reportagem, pela equipe de Gladson.

“Porque vocês não cancelaram esses contratos e chamaram outros (prestadores de serviço, Gladson estava se referindo à empresas)? Esqueceram que isso está só sobrando para o meu (sic) rabo? É todo dia um problema com essa daí (a empresa). Quero saber porque isso está acontecendo. Quantas vezes chamei você e o Alysson para evitar isso?”, cobra.

Não é possível ouvir, com clareza, as respostas dadas por ‘Paulinho’ no telefone, mesmo com o recurso de auto falante ativado. Em determinado momento, Gladson dá a entender que está em Cruzeiro do Sul e que sua esposa, Ana Paula Cameli, já reforçou a importância dos pagamentos.

“Minha mulher saiu daqui semana passada com esse mesmo problema. Chego em Cruzeiro do Sul com a cabeça a mil por hora; os caras aqui, os coitados, que recebem um salário mínimo… sem receber? Muito bonito para minha cara. Muita falta de compromisso! Estou há dois anos falando dessas terceirizadas. Dois anos!”, exclama o governador.

Gladson afirma que deseja concorrer à reeleição mas que, dessa forma, sua chance está comprometia. “Tu há de concordar comigo que isso é uma sem vergonhice? É desse jeito que vocês querem que eu reeleja governador de novo? Desse jeito, preciso de inimigo não!”, diz, rodeado por servidores terceirizados, que ouvem tudo em silêncio.

O governador ainda afirma que o secretário Alysson também recebeu uma ligação e ‘gaguejou’: “Tu tem que entender; porque o Alysson tava gaguejando agora pouco porque eu disse pra ele: prioriza o pagamento dessa empresa. É por isso que as coisas não andam e eu quero saber como vai ficar isso”.

A reportagem tenta contato com a equipe de comunicação do governo e, assim que bem sucedido, deixamos você bem informado sobre esse e outros fatos.

Comentários

Em alta