Conecte-se conosco

Cotidiano

Veja onde os 26 convocados de Tite estrearam como profissionais

Publicado

em

Atletas iniciaram carreira em 18 times diferentes. São Paulo é o líder

Os 26 jogadores que defenderão o Brasil na Copa do Mundo do Catar iniciaram a carreira por 18 agremiações diferentes. O São Paulo lidera a estatística, sendo o primeiro clube profissional de quatro convocados pelo técnico Tite: os zagueiros Éder Militão e Bremer, o volante Casemiro e o atacante Antony.

Bremer, porém, necessita de um asterisco, já que é o único deles que não defendeu o elenco principal. O zagueiro fez dois jogos profissionais (ambos saindo do banco) na Copa Paulista, torneio estadual realizado no segundo semestre, pela equipe B do Tricolor. Do São Paulo, ele foi para o Atlético-MG, onde disputou as primeiras partidas da carreira pelo time A.

O goleiro Alisson e o volante Fred estrearam como profissionais no Internacional. O Corinthians foi a equipe na qual o zagueiro Marquinhos e o meia Éverton Ribeiro começaram as respectivas carreiras. O América-MG deu as primeiras oportunidades ao lateral Danilo e ao atacante Richarlison. O meia Lucas Paquetá e o atacante Vinícius Júnior debutaram pelo Flamengo, enquanto os atacantes Neymar e Rodrygo vestiram, primeiramente, a camisa do Santos.

Mais nove clubes brasileiros foram responsáveis pela primeira experiência profissional de convocados da seleção. São eles: Remo (o goleiro Weverton), Bahia (o lateral Daniel Alves), RS Futebol (o zagueiro Thiago Silva), Athletico-PR (o lateral Alex Sandro), Juventude (o lateral Alex Telles), Audax-SP (o volante Bruno Guimarães), Palmeiras (o atacante Gabriel Jesus), Fluminense (o atacante Pedro) e Ituano (o atacante Gabriel Martinelli).

Já Ederson, Fabinho e Raphinha iniciaram a carreira no exterior. O goleiro do Manchester City (Inglaterra) começou no Ribeirão, na terceira divisão de Portugal. O volante do Liverpool (Inglaterra) fez o primeiro jogo dele no segundo escalão da liga espanhola, pelo Real Madrid Castilla, que é o time B do atual campeão europeu. O atacante do Barcelona (Espanha), por sua vez, foi a campo pela primeira vez vestindo a camisa da equipe B do Vitória de Guimarães, no segundo nível do futebol português.

O clube onde o atleta se profissionalizou, contudo, não é necessariamente aquele em que fez a formação (ou parte dela). Weverton, por exemplo, começou na base do Juventus-AC e foi para o sub-20 do Corinthians após se destacar pelo time acreano na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2005. O goleiro, porém, nunca atuou no Timão, emprestado para Remo (onde disputou o primeiro jogo da carreira), Oeste e América-RN, ao longo de três temporadas.

Thiago Silva é outro caso. Cria das categorias de base do Fluminense, o zagueiro debutou como profissional emprestado ao RS Futebol, na terceira divisão gaúcha, em 2003. Ele foi cedido ao Juventude, ao time B do Porto (Portugal) e ao Dínamo Moscou (Rússia), até, enfim, vestir a camisa do Tricolor carioca em uma partida oficial pela primeira vez, três anos depois.

Há situações nas quais os jogadores sequer tiveram oportunidades de representarem os clubes que os formaram. Raphinha, por exemplo, foi negociado com o Vitória de Guimarães sem um único jogo pelo Avaí, onde era uma promessa. Mesma situação de Fabinho, que chegou ao Fluminense em 2011, após defender o Paulínia-SP na Copa São Paulo, mas foi embora no ano seguinte para o Rio Ave (Portugal), que o emprestou ao Real Madrid Castilla.

Fred, por sua vez, saiu do Atlético-MG aos 16 anos para o extinto Porto Alegre Futebol Clube, migrando em seguida para o Inter, onde se profissionalizou. Já Bremer, antes de São Paulo e Galo, foi vinculado ao Desportivo Brasil-SP entre 2014 e 2017. O clube de Porto Feliz (SP), tradicional na formação, emprestou-o aos paulistas em 2016 e o negociou com os mineiros no ano seguinte. O Tricolor, aliás, chegou a ter Ederson como goleiro da base em 2008, quando ele tinha 15 anos, mas o dispensou por telefone.

Dos 26 convocados por Tite, apenas um ainda possui ligação com algum dos clubes em que fez parte do processo de formação. Atacante do Flamengo e profissionalizado no Fluminense, Pedro viveu quase cinco anos na base rubro-negra, onde fez a transição do futsal para o campo, oriundo do próprio Tricolor, até ser dispensado em 2013. Após atuar por Duquecaxiense-RJ e Artsul-RJ, ele retornou à equipe das Laranjeiras em 2014, estreando no time principal três anos depois.

Edição: Fábio Lisboa

Comentários

Cotidiano

Casemiro critica quem celebrou lesão de Neymar: ‘Sem educação e sem caráter’

Publicado

em

Volante disse também que o atacante, que está fora das duas próximas partidas da Copa, é um dos melhores jogadores do mundo

O volante Casemiro afirmou neste sábado (26) que pessoas que desejam o mal de outra “não têm educação nem caráter”. A afirmação veio após o jogador da seleção brasileira ser questionado sobre diversas manifestações nas redes sociais de pessoas que vibraram com a lesão sofrida pelo atacante Neymar, que torceu o tornozelo na partida de estreia do Brasil na Copa do Mundo.

Devido à entorse, o jogador do Paris Saint-Germain está fora da partida diante da Suíça, na segunda-feira, e, provavelmente, contra Camarões também.

Casemiro lamentou a contusão e afirmou que, apesar de o Brasil ter muitos bons jogadores, nenhum tem o nível de Neymar.

“Ele é um dos melhores jogadores do mundo e infelizmente não estará no próximo jogo. Temos jogadores de qualidade, mas, comparando-os com Neymar, é difícil encontrar alguém do nível dele”, disse o volante.

Na sexta-feira (25), o atacante Raphinha compartilhou um post em suas redes sociais em que criticava a atitude de brasileiros que torcem contra Neymar e que comemoram a lesão do jogador. Neste sábado, Casemiro foi indagado sobre o assunto. Primeiro, disse não ter visto as manifestações contrárias. Depois destacou que também se incomoda com isso.

Casemiro reforçou as críticas dos companheiros do atacante. “A mim incomoda também, claro, principalmente contra um companheiro do meu time. A gente vive num mundo em que existem pessoas boas e ruins. A partir do momento que uma pessoa deseja o mal da outra, e não falo nem sobre ser o Neymar, ela não tem educação, não tem caráter”, afirmou, em coletiva no CT da seleção brasileira, em Doha, no Catar.

O Brasil, um dos favoritos ao título, treinou neste sábado com os portões fechados para o confronto com a Suíça, segunda-feira (28), no qual pode garantir a classificação antecipada para as oitavas de final desde que vença e Camarões não vença a Sérvia no mesmo dia.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Messi marca, Argentina supera México e segue viva na Copa do Mundo

Publicado

em

OGol

A Argentina segue viva na Copa do Mundo do Catar. Com muito drama, o time conseguiu vencer o México por 2 a 0, com belos gols de Lionel Messi e Enzo Fernández, em uma partida marcada pela entrega dos jogadores e pouca inspiração no ataque.

Com a vitória, os argentinos sobem para a segunda posição do Grupo C, com três pontos, e dependem só de si para garantir a classificação para as oitavas de final. No dia 30 de novembro, a Argentina enfrenta a Polônia às 16h. O México cai para a última colocação do grupo, com um ponto, mas ainda pode se classificar, com uma vitória contra a Arábia Saudita e uma derrota da Polônia.

Faltou futebol

A partida era de Copa de Mundo, mas o estádio tinha um clima de Libertadores, com as duas torcidas cantando muito. Dentro de campo, o jogo era truncado, com uma disputa intensa pela bola no meio-campo. Com vinte minutos jogados, nenhum dos times tinha acertado o alvo na primeira etapa.

O jogo manteve esse ritmo por grande parte do primeiro tempo. Argentina e México se entregavam muito na marcação, mas mostravam pouco repertório no campo de ataque. Assim como seus companheiros de ataque, Messi tocava pouco na bola.

A primeira finalização no alvo veio aos 33 minutos. Messi tentou surpreender Ochoa e bateu falta lateral direto para o gol. O goleiro mexicano estava atento e conseguiu a defesa.

A melhor oportunidade do primeira etapa veio em outra cobrança de falta, mas dessa vez para o México. Da entrada, Vega bateu bem na bola, mas a defesa de Martínez foi melhor. O goleiro argentino voou e encaixou a bola.

Messi e Enzo Fernandez decidem jogo para a Argentina

Os primeiros minutos da segunda etapa mostraram o mesmo padrão do primeiro tempo, com os dois times sem conseguir trocar passes e com pouca inspiração no ataque. Aos seis minutos, Messi teve uma falta para bater da entrada da área, mas mandou longe do gol.

Messi buscou mais o jogo no segundo tempo, e aos 18 minutos, foi recompensado. O camisa 10 recebeu na frente da área e bateu rasteiro, no cantinho, sem chances para Ochoa. Gol do alívio argentino, pelos pés de seu maior craque.

A Seleção Argentina ficou mais confortável com o gol marcado e jogou toda a responsabilidade para o México. Tata Martino fez mudanças no ataque, mas a Seleção Mexicana não levava perigo ao gol de Martínez.

Nos minutos finais, o gol para assegurar a vitória. Após jogada ensaiada em cobrança de escanteio, Enzo Fernandez dominou, invadiu a área e bateu no ângulo, para marcar um golaço. 2 a 0 Argentina, mais viva do que nunca na Copa do Mundo.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Mbappé decide, França vence Dinamarca e garante vaga nas oitavas da Copa

Publicado

em

Por OGol

Em um grande jogo, a França venceu a Dinamarca por 2 a 1, pela segunda rodada do Grupo D da Copa do Mundo, e garantiu uma vaga nas oitavas de final. Mbappé foi o destaque da seleção francesa, marcando os dois gols da vitória.

Agora com seis pontos, os franceses precisam apenas de um empate contra a Tunísia para garantir a primeira colocação do grupo. A partida ocorre no dia 30 de novembro, às 12h. No mesmo dia e horário, a Dinamarca enfrenta a Austrália e precisa vencer o jogo para se classificar.

França é melhor, mas não marca

As duas Seleções criaram poucas oportunidades no começo do primeiro tempo. A França tentava levar vantagem nos duelos individuais, com Dembelé e Mbappé pelos lados, mas não finalizava com perigo, enquanto a Dinamarca buscava impor seu ritmo no jogo com o controle da posse de bola.

A primeira chance de perigo da partida veio aos vinte minutos. Demeblé fez boa jogada individual pelo lado direito e cruzou na área. Rabiot se antecipou a marcação e mandou um foguete de cabeça. Schmeichel espalmou e a defesa afastou o perigo.

Aos 29, a França assustou a Dinamarca mais uma vez. Mbappé fez fila na defesa e cruzou na área. Koundé apareceu no ataque, dominou com estilo e bateu para o gol.  A bola tinha a direção do gol, mas Hojbjerg fez o bloqueio e salvou a Dinamarca.

Acuada, a Dinamarca finalizou pela primeira vez aos 35. Cornelius recebeu em velocidade no contra-ataque, e finalizou para fora com perigo, a esquerda do goleiro Lloris. Quatro minutos depois, a França respondeu. Dembelé ganhou da marcação e cruzou rasteiro na área. Mbappé entrou livre para finalizar, mas pegou mal e mandou por cima do gol.

Mbappé faz dois e França vence

Mbappé foi o responsável pela primeira chance real de gol do segundo tempo. O camisa 10 dominou no meio-campo, girou sobre a marcação e partiu em velocidade. De perna esquerda, ele bateu forte, mas Schmeichel estava bem posicionado e fez a defesa.

Aos 15, Mbappé teve outra oportunidade, e dessa vez não desperdiçou. Ele iniciou a jogada no meio-campo, arrancou e tocou para Theo Hernandez. O lateral devolveu para Mbappé, que de primeira, mandou a bola para o fundo do gol.

A resposta da Dinamarca foi rápida. Aos 22 minutos, Eriksen cobrou escanteio, e Andersen desviou na primeira trave. A defesa da França falhou, e Christensen apareceu livre para mandar de cabeça para o gol. Tudo igual.

Depois do empate, o jogo melhorou. As duas seleções partiram para o ataque e tiveram ótimas chances de marcar, mas a bola não entrou. Até que aos 40 minutos, a França partiu para o ataque pela direita. Griezmann recebeu de Coman e cruzou na medida para Mbappé, que completou de primeira e fez o segundo da França.

Os dinamarqueses tentaram pressionar pelo gol de empate, mas não conseguiram marcar. Melhor para a França, que venceu por 2 a 1, e garantiu sua vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo.

Comentários

Continue lendo

Em alta