fbpx
Conecte-se conosco

Acre

Unindo cinema e música, Orquestra Jovem da Ufac lota Usina de Arte com apresentação apoiada pelo governo do Acre

Publicado

em

A Usina de Arte João Donato, em Rio Branco, foi palco de uma noite emocionante. Ao som da Orquestra Jovem da Universidade Federal do Acre (Ufac), a plateia pôde apreciar um repertório com os maiores clássicos das obras cinematográficas, unindo duas artes apaixonantes: música e cinema.

O evento contou com o apoio do governo do Acre, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM). Com incentivo a eventos como esse, a gestão reforça o compromisso com a arte e espaços culturais da nossa cidade.

Espetáculo uniu música e cinema. Foto: Neto Lucena/Secom

No local que leva o nome do músico João Donato, quem assistia ouviu atenta cada nota musical vinda do grupo, que emocionou com as escolhas minuciosas. Antes de cada canção, eram dadas informações sobre a trilha sonora.

O presidente da FEM, Minoru Kinpara, falou desse compromisso com a cultura e garantiu que novos projetos como esse serão cada vez mais incentivados. “Temos fortalecido uma parceria que já existe, que é muito antiga entre a universidade, a fundação e outras associações, e agora nosso objetivo é fortalecer a universidade.”

Kinpara relembrou da importância desses encontros serem na usina que leva o nome de um dos acreanos mais renomados do estado.

“A gente tem um que dos objetivos do João Donato, antes de morrer, era comemorar os 90 anos aqui no Acre e essa usina é a cara dele, Ele veio aqui, participou, fez muitas apresentações e é um tributo a ele”, reforçou ao revelar que uma homenagem ao músico está sendo organizada pela FEM.

“Vamos fazer uma grande festa também comemorando esse homem que realmente representou o Acre e sempre teve orgulho, fez questão de dizer que era acreano, então isso nos orgulhou muito.”

Evento teve parceria do governo do Acre e Ufac. Foto: Neto Lucena/Secom

‘Música é transformadora’

Quem esteve no evento destacou que essa é uma iniciativa que precisa ser disseminada. O público, composto por pessoas de todas as idades, famílias inteiras, falou da emoção de poder consumir um espetáculo como esse de maneira totalmente gratuita.

Cristiane Alves soube da apresentação porque a filha toca na orquestra, porém estava viajando e não tocou essa noite. Mas, a mãe veio prestigiar os amigos.

“Mesmo ela não vindo, vim prestigiar, porque é um projeto que contribui para o intelecto do jovem, da criança e, além de tudo, a música é disciplina. Então, no mundo de hoje a gente poder apresentar a música clássica para os jovens é muito bom”, contou.

Abimael Alves, de 17 anos, também fez questão de comparecer ao evento. Ele, que toca violão e canta, acredita que esse tipo de apresentação contribui para diversos segmentos da sociedade, contribuindo para o desenvolvimento do estado.

“Vim porque eu gosto muito de música e eventos como esse incentivam cada vez mais a população a se envolver com a arte.”

Aryne Cunha, defensora pública, esteve no evento para prestigiar o marido, mas também como apreciadora da arte. Com ela, a família inteira acompanhou o espetáculo.

“Além de prestigiar o evento, vim ter a alegria de ver meu marido tocar flauta na orquestra. A música é transformadora. Hoje, quando vemos nossos jovens tão distraídos com redes sociais, a gente vê que a música é um caminho de educação, de integrar nossos jovens na sociedade e envolvê-los em uma atividade que vai contribuir para a vida deles”, destacou.

Foi a primeira vez que a Orquestra Jovem se apresentou na Usina de Arte João Donato. Foto: Neto Lucena/Secom

O projeto

A Orquestra Jovem da Ufac existe desde 2009 e é coordenada pelo maestro Thomaz Rocha, músico e servidor da instituição. O grupo é um projeto de extensão que busca democratizar o ensino de instrumentos no estado do Acre.

O maestro explica que cada semestre é uma nova temporada do projeto. Os alunos se inscrevem e começam os ensaios, desde aulas teóricas até as práticas.

“Nós decidimos fazer um concerto com músicas temas de filmes, porque são trilhas sonoras conhecidíssimas. E é um espetáculo para ser mais próximo do público, pra trazer um pouco de felicidade também. Quando a gente propõe uma atividade com orquestra, às vezes tem pessoas que não conhecem o instrumento de orquestra, mas numa oportunidade como essa toda a família participa e pode conhecer”, destaca.

Ver a casa cheia para ele foi motivador, destacando que a cultura tem um alto consumo na capital. O maestro também falou da emoção de tocar pela primeira vez na Usina de Arte. “Casa lotada desse jeito só nos dá boas expectativas”, disse.

A professora Lya Beiruth, diretora de arte, cultura e integração comunitária da Ufac, pontuou que o objetivo é estreitar ainda mais a parceria entre governo do Estado e Ufac.

“A gente apoia enquanto universidade, enquanto instituição, mas a gente precisa de investimentos para trabalhar com os próprios integrantes do grupo, com bolsas de estudo. Então a gente traz a apresentação para a comunidade entender a importância que é esse trabalho. A gente trabalha arte, cultura, integração comunitária e investe em talento, descobrindo talentos, investindo neles, então a gente precisa aproveitar esse momento para sensibilizar as pessoas para que a gente possa ampliar e aprimorar esse tipo de serviço para a sociedade, que é tão importante”, conclui.

E, ao finalizar a apresentação com Lembranças do Seringal, de Hélio Melo, a orquestra trouxe à luz como o Acre é cultural e como eventos como esse reúnem um público interessado em arte.

Fonte: Governo AC

Comentários

Continue lendo

Acre

Acusado de assassinar diarista a tiros é condenado a mais de 30 anos de prisão

Publicado

em

Em 20 de janeiro de 2020, o réu participou de uma fuga em massa do presídio, na qual 26 detentos escaparam do maior complexo penitenciário do Acre após escalar a muralha com “terezas” (cordas feitas de lençóis).

Sebastião foi rendido, obrigado a ajoelhar-se e executado com dois disparos na cabeça. O corpo foi encontrado somente à noite, horas após o crime.

A 1ª Vara do Tribunal do Júri, em Rio Branco, condenou a mais de 30 anos de prisão o detento Raimundo Nonato dos Santos Fonseca, conhecido como “Didi”, acusado de executar o diarista Sebastião Rodrigues da Silva. O crime ocorreu no dia 3 de março de 2020, na residência da vítima, localizada no Beco Ouricuri, no Bairro Recanto dos Buritis.

De acordo com a investigação, Sebastião foi rendido, obrigado a ajoelhar-se e executado com dois disparos na cabeça. O corpo foi encontrado somente à noite, horas após o crime.

A denúncia apresentada pelo promotor Carlos Pescador foi julgada procedente, e o conselho de sentença do Tribunal do Júri acatou a tese do MP, condenando Raimundo Nonato dos Santos Fonseca. Didi terá que cumprir 31 anos e 14 dias de prisão em regime fechado. A decisão foi do juiz Robson Aleixo, durante sessão realizada na quinta-feira, 18, no Fórum Criminal da capital.

Durante o interrogatório, Didi assumiu a autoria do assassinato do diarista Sebastião Rodrigues da Silva. Consta na investigação que Sebastião foi rendido, obrigado a ficar de joelhos e, em seguida, foi assassinado com pelo menos dois tiros na região da cabeça.

Segundo o promotor Carlos Pescador, a vítima foi assassinada porque Didi suspeitava que ela teria passado informações a policiais penais sobre o paradeiro dos fugitivos do presídio. Em 20 de janeiro de 2020, o réu participou de uma fuga em massa do presídio, na qual 26 detentos escaparam do maior complexo penitenciário do Acre após escalar a muralha com “terezas” (cordas feitas de lençóis). Didi foi recapturado no dia 5 de junho de 2020 por investigadores da Delegacia de Homicídios. Na decisão, o juiz negou ao réu o direito de recorrer à sentença em liberdade.

Comentários

Continue lendo

Acre

Cruzeiro do Sul reforça segurança com barreiras e abordagens

Publicado

em

O Plano de Contingência tem força para conter qualquer ação criminosa que venha a acontecer, citou o comandante da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, tenente coronel Edivan Rogério.

A ideia é potencializar ações conjuntas com a proximidade de grandes eventos em Cruzeiro do Sul como a Expoacre Juruá

As forças de segurança mantêm dez barreiras em pontos de Cruzeiro do Sul e devem ampliar os locais de abordagens nos próximos dias. Há ainda revistas nos veículos e, em alguns casos, aos motoristas e passageiros. As ações da Polícia Militar, Grupo Especial de Fronteira- Gefron e Exército Brasileiro tiveram início na última terça-feira, 16, sem data para acabar e patrulhamentos urbanos e rurais também foram intensificadas. Tudo é parte de um Plano de Contingência de Segurança Pública.

“Neste período de verão, quando o movimento aumenta e com os eventos, teremos várias operações com o cercamento de toda a cidade.

Nós iniciamos com dez barreiras e deveremos ter muito mais. Temos também patrulhamento móvel. O Plano de Contingência tem força para conter qualquer ação criminosa que venha a acontecer”, citou o comandante da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, tenente coronel Edivan Rogério.

As medidas foram planejadas em reunião na segunda-feira,15, com os representantes da secretaria de Segurança Polícia Pública, Polícia Militar, Polícia Federal, direção do presídio Manoel Nery e Comando de Fronteira Juruá / 61° Batalhão de Infantaria de Selva -BIS. Além do Exército, outras Forças Federais vão colaborar com as ações preventivas. A ideia é potencializar ações conjuntas com a proximidade de grandes eventos em Cruzeiro do Sul como a Expoacre Juruá, Novenário de Nossa Senhora da Gloria e Festival da Farinha. Atenção especial é dada pelas autoridades de segurança, ao presídio Manoel Nery, em Cruzeiro do Sul.

Comentários

Continue lendo

Acre

Fazendeiro é assaltado, feito refém e tem caminhonete roubada no município de Plácido de Castro

Publicado

em

Nesta ação bem-sucedida, dois suspeitos foram capturados em flagrante e foram posteriormente encaminhados à delegacia de Senador Guiomard.

Os criminosos foram encaminhados para a Delegacia de Senador Guiomard/ Foto: Reprodução

No município de Plácido de Castro, localizado no Km 66 da estrada municipal, o fazendeiro Feliciano Abraão Neto foi vítima de um roubo na última quarta-feira, dia 17. Neto foi mantido como refém por um grupo de criminosos durante o incidente (sequestro), na sua propriedade rural, a ação rápida de um parente do fazendeiro, que notou movimentações suspeitas na propriedade foi crucial para a intervenção. O familiar imediatamente alertou a Polícia Civil, que agiu no caso.

Policiais militares do grupamento de intervenção rápida e ostensiva (Giro) e da companhia de policiamento de choque (Cpchoque) do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar prenderam nesta quinta-feira, 18, quatro pessoas suspeitas de envolvimento em um roubo na propriedade rural do fazendeiro Neto, seguido de sequestro. O flagrante ocorreu no bairro Calafate, em Rio Branco, onde o quarteto foi apreendido com armas de fogo e pertences da vítima que foram recuperados na ação policial.

Os militares receberam informações de um roubo a uma fazenda, situada no município de plácido de castro e que os criminosos teriam subtraído um veículo Toyota Hilux, celulares e uma arma de fogo tipo espingarda com munições e que o proprietário da fazenda teria sido sequestrada pelos autores e que ainda estaria sumido.

Os policiais em ronda encontraram a caminhonete abandonada em Rio Branco. Durante patrulhamento no Laelia Alcântara, bairro Calafate, os militares avistaram dois indivíduos em frente a uma residência, eles ao perceberem a presença da polícia se evadiram, durante a fuga jogaram um objeto no chão, a equipe policial se dividiu para pegar o objeto e continuar as buscas pelo suspeitos. Os policiais que foram na busca do objeto encontraram uma mulher (monitorada por tornozeleira eletrônica), recolhendo o material no chão, ao receber voz de parada os policiais observaram que se tratava de uma arma de fogo e munições.

As guarnições continuaram as buscas pela dupla que fugira por uma região de mata, logrando êxito em encontrar, durante diálogo os suspeitos confessaram que participaram do crime e contaram onde a vítima estava sendo mantida em cárcere. Equipes policiais se deslocaram ao endereço, que também era no Calafate, chegando ao local os policiais encontraram um suspeito de posse de uma arma de fogo e com a vítima encapuzada.

Os policiais encontraram diversos pertences subtraídos no crime, roçadeira, aparelhos celulares, arma de fogo. A vítima reconheceu os envolvidos e os objetos apreendidos. Os militares encaminharam quatro pessoas à delegacia, juntamente com todo material apreendido para que fossem tomadas as providências cabíveis ao fato.

A vítima reconheceu os envolvidos e os objetos apreendidos. Os militares encaminharam quatro pessoas à delegacia, juntamente com todo material apreendido para que fossem tomadas as providências cabíveis ao fato.

Felizmente, a ação rápida de um parente que notou movimentações suspeitas na propriedade do fazendeiro Neto, foi crucial para a intervenção das forças. O familiar imediatamente alertou a Polícia Civil, que agiu prontamente. Durante a madrugada do dia 18, nesta ação bem-sucedida, os criminosos foram capturados em flagrante e foram posteriormente encaminhados à delegacia de Senador Guiomard.

O fazendeiro foi resgatado e já está em segurança. O trabalho das forças de segurança do estado foi essencial para o desfecho positivo deste sequestro relâmpago, recuperando tanto o fazendeiro Feliciano Abraão Neto quanto sua caminhonete, entre outros pertences.

Comentários

Continue lendo