O chefe da Região Policial de Cusco, Wilbert Leyva, disse à agência estatal andina que os turistas estão detidos na delegacia do distrito de Machu Picchu e que são investigados pelo Ministério Público pelo suposto crime contra o patrimônio cultural.

Região onde Machu Picchu está localizada, aponta isso como evidência de que os turistas defecaram no templo. O grupo era formado por quatro homens e duas mulheres.
As informações são da revista Exame.

Um grupo de seis turistas foi preso no último domingo (12) acusado de invadir uma área restrita da cidade de Machu Picchu, danificando o Templo do Sol. Eles são suspeitos de defecarem no local sagrado. Entre eles, há cidadãos do Brasil, França, Chile e Argentina. Um dos envolvidos seria um acreano.

Em comunicado oficial, Wilbert Leyva, chefe de polícia de Cusco, afirmou: “Os seis turistas foram detidos e estão sendo investigados pelo Ministério Público pelo suposto crime contra o patrimônio cultural”.

“Os turistas estão sendo investigados pelo suposto crime contra o patrimônio cultural”, disse o chefe de polícia de Cusco

Segundo Levya, as autoridades atestaram “a fissura de um elemento lítico, que caiu de um muro e provocou uma fenda no piso” no Templo do Sol. Somado a isso, material fecal foi encontrado no local.

A direção regional de Cultura de Cusco, região onde Machu Picchu está localizada, aponta isso como evidência de que os turistas defecaram no templo.

O grupo era formado por quatro homens e duas mulheres. No momento da prisão, eles estavam na área do mirante do Templo do Sol e os agentes atribuídos a eles causaram a queda de uma pedra de uma das muralhas da cidadela, erguida no topo de uma montanha.

Além disso, na área, a polícia encontrou restos fecais, por isso presume que alguns dos detidos fizeram suas necessidades biológicas nessa área.

Machu Picchu é o principal destino turístico do país e todos os dias é visitado por milhares de viajantes, que acessam o local de trem pela cidade de Cusco, localizada 1.165 quilômetros a sudeste de Lima.

Após a prisão, após uma avaliação feita pelo chefe do Parque Arqueológico de Machu Picchu , soube-se que uma pedra do Templo do Sol havia caído. “Foi verificada a fratura de um elemento lítico, que rompeu uma parede que caía e causava uma fenda no chão”, relataram após inspeção. “Além disso, restos fecais foram encontrados em uma área adjacente. (Foto: Internet)

O chefe da Região Policial de Cusco, Wilbert Leyva, disse à agência estatal andina que os turistas estão detidos na delegacia do distrito de Machu Picchu e que são investigados pelo Ministério Público pelo suposto crime contra o patrimônio cultural.

O Departamento de Cultura de Cusco relatou a fratura de um elemento lítico destacado de uma parede e que caiu de uma altura de aproximadamente 6 metros, causando uma rachadura no chão.

Por sua vez, o chefe do Parque Arqueológico Nacional de Machu Picchu, José Bastante, solicitou à Polícia que agilizasse as investigações para determinar a responsabilidade dos agressores e, se aplicável, ser sancionada.

As multas por danificar o patrimônio cultural do local podem ser de pelo menos quatro anos de prisão.
Os detidos são quatro homens e duas mulheres de diferentes nacionalidades: o favio Eduardo Vera Vergara (30) do Chile ; Marion Lucie Martínez da França; Cristiano Da Silva Ribeiro (30) e Magdalena Abril Retamal (20) do Brasil ; E Leandro Sactiva (32) e Nahuel Gómez (28) da Argentina.

Comentários