O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concluiu, nesta sexta-feira, os testes públicos de segurança no sistema eletrônico de votações. Desde quarta-feira, um grupo de investigadores da Polícia Federal (PF) simulou ataques nesse sistema para verificar possíveis fragilidades. De acordo com o TSE, não foi identificado nenhum problema capaz de colocar em risco as eleições deste ano.

“Não há essa possibilidade de uma invasão do sistema para chegar às urnas. Inviolável até hoje ela se demonstrou. Nunca se documentou nenhum tipo de fraude relativamente às eleições”, afirmou o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso.

Barroso fez questão de frisar que nunca foi comprovado desvios nas votações pela urna eletrônica e lembrou que as irregularidades eram comuns na época do voto impresso. “Às vezes, as pessoas têm saudade de um tempo que não houve. No tempo do voto manual, impresso, é que nós tínhamos muitos episódios de fraudes. No tempo da urna eletrônica, nunca se comprovou fraude alguma.”

Os primeiros testes públicos de segurança para a eleição deste ano foram realizados ainda em 2019. No ano passado, os peritos realizaram 13 planos de ataques. Desses, dois demonstraram fragilidades no sistema. Eles foram repetidos nessa última fase e, segundo o TSE, não conseguiram alterar dados de eleitores e de candidatos.

Combate às Fake News

O presidente do TSE garantiu que o órgão está preparado para combater as fake news durante o processo eleitoral. Barroso afirmou que o tribunal fez uma parceria com as plataformas de mídias sociais para evitar o “comportamento inautêntico” de perfis.

“O tribunal já se reuniu com todos os grandes provedores de internet, com as principais mídias sociais, e obtivemos o compromisso deles de uma parceria intensa para enfrentarmos os comportamentos inautênticos nas redes sociais, seja pela realização de impulsionamentos ilegais, robôs, perfis falsos.”

Horário de votação

As eleições ocorrem em 15 e 29 de novembro (primeiro e segundo turno). Por conta da pandemia de coronavírus, o horário da votação neste ano foi ampliado em uma hora. Os eleitores poderão votar para prefeito e vereador entre 7h e 17h. Nos anos anteriores, a votação começava às 8h.

Para quem tem mais de 60 anos, que é considerado grupo de risco para a Covid-19, haverá atendimento preferencial nas seções eleitorais até às 10h. A intenção é evitar aglomerações.

Comentários