Conecte-se conosco





Cotidiano

Trio acusado de matar homem e deixar corpo algemado em rio é condenado a mais de 70 anos

Publicado

em

Trio acusado de matar homem com tiro na nuca e deixar corpo algemado às margens do rio foram julgados nessa quinta-feira (2) — Foto: Divulgação PC/AC

Por Iryá Rodrigues

Os três acusados de matar o jovem Alexandre dos Anjos Magalhães, de 23 anos, encontrado morto às margens do Rio Acre no dia 13 abril de 2018, foram condenados a penas que somadas ultrapassam os 70 anos.

_____________

O julgamento do trio ocorreu na quinta-feira (1) na 2ª Vara do Tribunal do Júri, em Rio Branco.

_____________

O cadáver foi achado na região conhecida como Praia do Amapá, em Rio Branco, próximo a um posto de captação do Departamento de Saneamento do Acre (Depasa). Além de ter sido algemada, vítima tinha marcas de tiros na nuca.

Corpo da vítima foi achado às margens do Rio Acre em abril de 2018 — Foto: Arquivo pessoal

Conforme o Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC), o réu Francimar Conceição da Silva foi condenado a 22 anos, 7 meses e 7 dias de prisão; Amauri Sandro da Silva a 23 anos; e John Cleison Rodrigues 23 meses e 23 anos e 3 meses.

Eles foram condenados pelo crime de homicídio com as qualificadoras de motivo torpe e recursos de que dificultou a defesa da vítima. Além dos réus, duas testemunhas foram ouvidas durante o júri popular.

O advogado dos três réus Raimundo Pinheiro Zumba disse que Francimar chegou a confessar o crime, mas os outros dois réus negaram participação. Segundo ele, logo após o júri, a defesa manifestou intenção de recorrer da condenação do trio.

Amauri Lima foi preso cerca de um ano após o crime. Os outros dois réus já estavam presos por outros crimes.

Conforme a denúncia do Ministério Público, Magalhães foi sequestrado no bairro Taquari e levado para uma área de mata às margens, onde foi julgado e sentenciado a morte pelos criminosos.

Outros crimes

Os réus Francimar Conceição da Silva e Amauri Sandro tiveram as penas aumentadas este mês pelo crime de participação em organização criminosa.

Em 20 agosto do ano passado eles tinham sido condenados a 6 e 5 anos de prisão, respectivamente. Porém, após uma decisão da 3ª Vara Criminal, a pena de Amauri aumentou para mais de 18 anos e de Francimar para 31 anos.

Francimar também é um dos três acusados que vão responder pela morte de três adolescentes que desapareceram após saíram da Expoacre no dia 5 de agosto de 2018.

Comentários

Em alta