Com pedido de suspeição afastado, Mirla Regina já pode marcar data do julgamento do prefeito

Arguição de suspeição contra a juíza Mirla Regina, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Acre, foi derrotada em sessão da corte realizada na manhã desta segunda-feira (9). A derrota foi por unanimidade e a magistrada segue como relatora do processo que propõe a cassação do mandato do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, e de seu vice, Zequinha Lima, ambos do PP. Os dois são acusados de irregularidades na campanha de 2016 e se a cassação for mantida, ambos não podem ser candidatos nas eleições de 2020.

A suspeição da juíza havia sido solicitada pelos advogados Arquelau e Hilário de Castro Melo, que fazem a defesa do prefeito Ilderlei Cordeiro. Eles apontaram a juíza como parcial em relação ao prefeito, mas os seis membros do Tribunal decidiram que Mirla Regina está apta à relatoria e o caso segue até que a magistrada marque uma data para o julgamento final para definir se o prefeito e vice continuam ou não na vida pública. Se se confirmar a cassação, além da perda do mandato, Ilderlei e Zequinha ficariam inelegíveis pelos próximos oitos anos, de acordo com o que propõe o Ministério Público Eleitoral. Ambos se apresentam como pré-candidatos à Prefeitura de Cruzeiro do Sul em 2020.

Comentários