Chuvas devem ficar dentro da normalidade como já era esperado, afirma.
Segundo o Sipam, este é o trimestre mais seco do ano em todo o Acre.

Eco-1

 G1

O Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) descarta a previsão de uma seca severa para o Acre nos meses de junho, julho e agosto, que é o trimestre mais seco no estado.

O Centro Regional do Sipam em Porto Velho, responsável pela área abrangida pelo Acre, Rondônia e Mato Grosso, diz que  a transição do período de chuvas para o de seca deve ocorrer dentro da normalidade.

O órgão destacou ainda que o fenômeno El Niño está enfraquecendo e deve influenciar menos a circulação sobre o continente nos meses de maio, junho e julho. O  metereologista do Sipam, Luís Alves, também afirma que as chuvas devem ocorrer dentro da previsão esperada no decorrer do trimestre.

“Não há nenhuma previsão de seca severa. A previsão é de chuvas normais neste mês de maio, como vem ocorrendo, e de redução a partir de junho, tudo dentro do previsto, não deve ocorrer nenhuma seca extrema”, afirma.

O metereologista ressalta ainda que na última semana as chuvas foram intensas principalmente em Brasileia e Xapuri. O cenário deve mudar a partir de junho, mas sem alterações excepcionais.

“Esses [junho, julho e agosto] são os três meses mais secos do ano em todo o Acre. Depois disso, as chuvas retornam mesmo a partir de setembro e vão aumentando.

Comentários