“Como representante da Educação e CUT, solidarizo-me com está paralisação que é pra lá de justa”, declarou Rosana Nascimento

Trabalhadores em Saúde estiveram na tarde desta quarta-feira (19), na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinteac), em busca de apoio para a greve da categoria, que foi deflagrada ontem. “Como representante da Educação e CUT, solidarizo-me com está paralisação que é pra lá de justa”, declarou Rosana Nascimento.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sintesac), João Batista dos Santos, informou que o movimento paredista atinge 70% da categoria e lamentou a intransigência do governo estadual. “Pedimos desculpas à população. A equipe palaciana, infelizmente, não acena com nenhuma proposta para repor as nossas perdas salarias”, disse ele.

Professora Rosana Nascimento, durante paralisação do Sintesac /Foto: ASCOM Sintesac
Professora Rosana Nascimento, durante paralisação do Sintesac /Foto: ASCOM Sintesac

Os sindicalistas marcaram para a próxima sexta-feira (21), a partir das 8 horas, em frente à Casa Rosada, um ato para denunciar o descaso do governo com o setor. “Vamos fazer uma grande mobilização e mostrar a situação da saúde”, anunciou a vice-presidente do Sindicato dos Técnicos e Enfermeiros do Acre (Spate), Alesta Amâncio, afirmando que nas unidades de saúde faltam profissionais, medicamentos e condições de trabalho.

Outra pauta comum às duas categorias é situação dos servidores irregulares. Os sindicalistas propõem a criação de um plano de carreira para garantir todos os direitos. “O governo gasta muito e mal. Banca mordomias como o pagamento de diárias, cargos comissionados, salários de ex-governadores, entre outras sangrias, denuncia Rosana Nascimento”, enfatizando a união dos servidores em defesa de direitos e dos serviços essenciais.

(Assessoria do Sinteac)

Comentários