A diretoria do Sindicato dos Professores da Rede Pública de Ensino do Acre (SinproAcre) está convocando os professores contratados sem concurso público em 1988 e que foram beneficiados pela Lei Naluh para comparecerem na sede do Sindicato com o objetivo de tratar sobre uma alternativa contra o congelamento dos salários, determinado pelo governo do Estado.

A proposta é reunir todas as pessoas prejudicadas para debater com a Procuradoria Geral do Estado (PGE)a proposta de criação de um Plano de Carreira em Extinção para garantir a progressão funcional e demais benefícios para os cerca de 200 educadores afetados pela ADI 3609. A proposta será apresentara para a Procuradoria Geral do Estado (PGE) com o objetivo de existir a apresentação de um projeto de lei para ser apresentado na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac).

O congelamento dos salários foi tema de uma reunião entre os diretores do SinproAcre, professores e o deputado estadual Daniel Zen, na quarta-feira (27/09), para buscar apoio parlamentar no caso de encaminhamento de um projeto de lei para garantir a progressão funcional dos educadores que foram prejudicados pelo congelamento da carreira.

“Buscamos o apoio para garantir um debate com a Procuradoria Geral do Estado no sentido de sensibilizar para as necessidades dos professores. Com o apoio dos parlamentares já poderíamos contar com a aprovação dessa matéria na Assembleia Legislativa caso a PGE aceite nossa proposta”, explicou a presidente do SinproAcre, Alcilene Gurgel.

Segundo o vice-presidente, Edileudo Rocha, a diretoria do Sinproacre também convoca todos os professores que foram contratados por volta de 1988 para buscar a entidade no sentido de fortalecer o debate para a necessidade da classe.

“Solicitamos a união de todos os professores em uma ocasião como essas. Os governantes devem valorizar os professores que tanto lutaram para formar os profissionais que geram a riqueza do Estado”, afirmou o sindicalista.

Comentários