A deputada estadual Eliane Sinhasique (PMDB) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), na manhã desta quarta-feira (13), para falar da situação dos marceneiros do Polo Moveleiro de Epitaciolândia. Segundo ela, eles foram enganados pelo Governo e hoje estão no prejuízo.

“Esses marceneiros trabalhavam na zona urbana de Epitaciolândia e receberam a proposta do Governo de ir para Galpões, no Distrito Industrial. Lá, eles tinham a promessa de trabalhar com madeira certificada do manejo Filipinas, porém isso nunca ocorreu”.

Deputada Estadual Eliane Sinhasique (PMDB/AC) – Foto: Divulgação/ALEAC

Outro problema é quanto à estrutura dos Galpões, que custaram cerca de R$ 490 mil, e estão em precárias condições. “Chove dentro dos Galpões que estão destelhados e com muitas rachaduras. Além disso, os marceneiros precisam comprar água em Epitaciolândia para abastecer as Caixas d’água”.

A distância do Polo fez com que a clientela se afastasse, pois outras marcenarias se instalaram na cidade, mais perto da população.

“Essa política de desenvolvimento sustentável, feita de qualquer jeito, está levando os marceneiros à depressão, pois eles tinham clientes e agora estão nessa situação! Prometeram mundos e fundos e não cumpriram nada”.

Por último, os galpões podem fechar, porque o Instituto de Meio Ambiente do Acre (IMAC) está exigindo a Licença Ambiental. “Mas, para conseguir essa licença é necessário ter os documentos do Galpão e a Secretaria de Desenvolvimento da Indústria, do comércio e dos Serviços Sustentáveis do Acre (Sedens) não disponibilizou”.

Sinhasique está tentando conseguir agenda com o secretário de Desenvolvimento da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis do Acre, Sibá Machado, para buscar solução para o problema.

Comentários