Com a previsão da insuficiência de anestesistas no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) a partir de novembro, o Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) encaminhou cópias das escalas para o Ministério Público Estadual (MPE) e Conselho Regional de Medicina (CRM), além de oficiar a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) para que possa existir um corpo clínico suficiente para a continuidade do atendimento, levando em conta a eficiência, a qualidade e a preservação da qualidade de saúde próprio trabalhador.

Segundo o primeiro-secretário do Sindmed-AC, Guilherme Pulici, foi verificado que nos finais de semana, em novembro, a escala aponta a presença de apenas um anestesista, problema que acaba se repetindo em alguns dias da semana. O motivo é a falta de reposição do quadro de funcionários, colocando em risco os servidores e os pacientes.

“O caso é grave e prevendo deficiências nos serviços do Pronto Socorro decidimos agir para garantir que o médico seja protegido e para evitar riscos à população”, explicou o sindicalista.

O presidente do Sindmed, Ribamar Costa, explicou que espera uma resolução para o problema, porque o atendimento deficiente resultará em caos no hospital que é uma referência para todos os acreanos.

“A função do médico é salvar vidas e, em caso de vários pacientes em situação grave, ele poderá atender apenas um por vez, o que é praticamente dizer que será uma escolha de quem viverá ou morrerá”, alertou o representante dos médicos.

Ribamar Costa disse estar aberto para dialogar com o governo do Estado sobre a necessidade de contratação por meio de concurso público dos demais profissionais para o preenchimento dos quadros vagos das unidades de saúde. O objetivo é garantir uma escala completa, evitando a sobrecarga de trabalho e oferecendo maior qualidade no serviço público.

Comentários