Reservatório do abrigo aos imigrantes está vazio

2209-cotidiano-haitianoscareregandoagua-altinomachado_410_305De agazeta.net

Imigrantes sofrem com falta d’água no abrigo de Rio Branco. Vizinhos da chácara onde estão acolhidos cerca de 540 haitianos e senegaleses denunciam a situação. Por outro lado, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) nega problemas no abastecimento.

Na saída da chácara, onde estão abrigados os imigrantes, a movimentação de pessoas carregando garrafas pet é constante. A dona de casa Adriana Germano abriu as torneiras da residência há cerca de uma semana para atender os imigrantes abrigados em Rio Branco. “Passar sede deve ser horrível. Então, eu deixo eles pegarem água à vontade, mas também é preciso denunciar porque há uma semana eles estão sem água”, afirma.

Segundo Adriana, os vizinhos também são solidários, e muitas vezes recolhem as garrafas para enchê-las com água gelada. Mesmo assim, muitos bebem direto da torneira, sem se importar com a água quente.

Em alguns horários existe até fila em frente à casa para abastecer as garrafas. “As mulheres também usam a mureta de casa para lavar roupa, ou então são os homens que enchem as garrafas e elas lavam aqui perto na sombra”, conta.

No abrigo, estão atualmente cerca de 500 pessoas, entre haitianos e senegaleses. Com o forte calor, a maioria fica fora das salas e dormitórios.

Em contato por telefone com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), o secretário em exercício Nivaldo Nicácio informou que problemas no abastecimento acontecem no abrigo, “como ocorre em qualquer outro ponto da cidade nessa época do ano”.

Por outro lado, uma das administradoras do local disse pessoalmente à equipe de reportagem que não há falta d’água no abrigo. Ressaltou inclusive que o abastecimento é feito através de um poço e que, se faltar água, “é só ligar a bomba”.

Nossa equipe constatou falta de água em torneiras e numa caixa d´água instalada dentro de um dormitório.

Comentários