Conecte-se conosco

Geral

Segunda etapa do Enem 2022 terá operação para reforçar segurança

Publicado

em

Provas serão realizadas neste domingo

 

A segunda etapa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) contará com a atuação das forças de segurança pública federais em todo o país. As provas serão realizadas neste domingo (20). Na primeira etapa do Enem 2022 houve 57 ocorrências policiais, 32 prisões e 20 incidentes, e foram realizadas 1.822 escoltas de malotes de provas.

A operação envolve a participação integrada dos órgãos responsáveis pela realização, logística, transporte e segurança das provas, como o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Consórcio Aplicador; e das instituições de segurança pública a quem cabe o policiamento dos locais de prova, do transporte e guarda dos exames, a investigação de possíveis fraudes e o patrulhamento das vias de acesso às escolas, entre outros pontos.

Entre as instituições envolvidas estão a Polícia Federal (PF), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Ministério da Defesa (MD), a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), as Secretarias de Segurança Pública – Polícias Militar e Civil, Corpos de Bombeiros Militares, Defesa Civil e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)  e as Guardas Municipais, além de concessionárias de energia, água e telefonia.

Como será

A Operação Enem 2022 abrange a aplicação de provas dos dias 13 e 20 de novembro, além da que ocorre nos dias 10 e 11 de janeiro de 2023, para os candidatos privados de liberdade (PPL) e para aqueles que, por algum motivo justificável, não puderem realizar as provas nas datas oficiais ou possuem decisão judicial para reaplicação do exame.

Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a Operação Enem 2022 envolve a atuação integrada de aproximadamente 70 mil profissionais dos órgãos e agências participantes nos 26 estados e no Distrito Federal. Aproximadamente 7,7 mil viaturas das forças de segurança pública são empregadas na operação.

O trabalho é monitorado em tempo real pelo Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), do Ministério da Justiça, em Brasília. Nos estados, o monitoramento é feito dos Centros Integrados de Comando e Controle Estaduais (Cicces) ou de estruturas similares.

Participação

Dados preliminares do Inep indicam a participação de 2.490.880 no primeiro dia de aplicação do exame, no dia 13 de novembro. O número corresponde a 73,3% dos cerca de 3,4 milhões de inscritos nas duas versões (impressa e digital). Entre os presentes, 2.458.504 realizaram as provas em papel, e 32.376 em computador.

Os participantes fizeram provas de linguagem, códigos e suas tecnologias, e ciências humanas e suas tecnologias, além da redação com o tema “Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil”. Neste domingo, será a vez dos candidatos resolverem questões de ciências da natureza e suas tecnologias, e matemática e suas tecnologias. O Inep divulgará os gabaritos até o dia 23 deste mês, conforme previsto em edital.

Edição: Kleber Sampaio

Comentários


Geral

Twitter pode ter dado preferência a candidatos da esquerda no Brasil, diz Musk

Publicado

em

REUTERS/MIKE BLAKE/FILE PHOTO

Novo dono da rede social falou sobre possíveis manipulações que teriam beneficiado candidatos também nos Estados Unidos

O dono do Twitter, Elon Musk, disse, neste sábado (3), achar “possível” que a equipe da empresa de mídia social, na gestão passada, tenha dado preferência a candidatos de esquerda durante as eleições brasileiras deste ano.

“Vi muitos tuítes preocupantes sobre as recentes eleições no Brasil. Se esses tuítes forem precisos, é possível que o pessoal do Twitter tenha dado preferência a candidatos de esquerda”, escreveu Musk.

O bilionário deu as declarações quando falava sobre possíveis manipulações das eleições americanas e não apresentou provas sobre a atuação da gestão anterior da empresa.

Musk completou a compra do Twitter em 27 de outubro, poucos dias antes do segundo turno da eleição presidencial do Brasil, com a disputa entre Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

No início deste ano, Bolsonaro recebeu Musk em uma reunião em São Paulo, quando chamou a aquisição do Twitter pelo bilionário americano de “um sopro de esperança” e o apelidou de “lenda da liberdade”.

Tanto Lula quanto Bolsonaro usaram amplamente o Twitter durante o processo eleitoral. Na campanha, diversos políticos e influenciadores tiveram a conta suspensa por ordem judicial por divulgação de notícias apontadas como falsas e após questionarem o resultado da eleição.

Com informações da Agência Reuters

Comentários


Continue lendo

Geral

Cão farejador encontra meio quilo de drogas dentro de saco de ração em Tarauacá

Publicado

em

Durante o serviço da noite desta sexta-feira, 2, guarnições do Tático e Canil do 7° Batalhão de Polícia Militar (7° BPM) apreenderam meio quilo de drogas no bairro Avelino Leal, em Tarauacá. Um homem de 20 anos foi preso.

As equipes policiais realizaram uma abordagem a um veículo S10, de cor branca e, com ajuda do Cão Farejador Amora, foram encontrados dentro de um saco de ração, três pacotes de oxidado, totalizando 510 gramas, além de 205 reais e dois aparelhos celulares.

O condutor do veículo, que informou ser integrante de uma organização criminosa, foi preso e encaminhado à delegacia da cidade, para serem tomadas as medidas cabíveis.

Comentários


Continue lendo

Geral

Justiça nega liberdade a policial penal que matou picolezeiro

Publicado

em

Por Antônio Malvadeza

O Juiz Álesson Braz, da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar de Rio Branco, indeferiu habeas corpus impetrado pela defesa do policial penal Alessandro Rosas Lopes, com pedido de revogação da prisão do réu.

O magistrado justificou que ainda permanecem presentes os requisitos da autorização da prisão preventiva, especialmente para a manutenção da ordem pública.

“A garantia da ordem pública torna-se necessária, pela necessidade pela gravidade concreta do delito, já que a vítima atingida pelas costas estava em fuga”, concluiu Álesson Braz.

No recurso impetrado, a defesa de Alessandro Rosas argumentou que o acusado está preso há quase dois anos e que o laudo de insanidade mental já foi realizado há seis meses. Para o advogado, a liberdade de Alessandro, preso por matar o vendedor de picolés Gilcimar Honorato, não representa nenhum risco à eficácia do processo, uma vez que restam apenas a conclusão do laudo de insanidade mental e o interrogatório do réu. O Ministério Público do Acre se manifestou pelo indeferimento do pedido.

O crime ocorreu no dia 12 de dezembro de 2020 em um bar do Conjunto Esperança. Os dois homens teriam discutido, e ao perceber que Alessandro Rosas havia sacado uma pistola, Gilcimar Honorato saiu correndo na tentativa de escapar e foi baleado pelas costas, morrendo no local.

O agente foi preso em flagrante, e diante da autoridade policial alegou ter agido em legítima, hipótese descartada após a oitiva das testemunhas, sendo autuado por homicídio triplamente qualificado. Desde então, a defesa de Alessandro vem tentando sem sucesso colocá-lo em liberdade.

Comentários


Continue lendo

Em alta