Conecte-se conosco





Destaque Texto

Seca: Capital do Acre não tem chuvas significativas há quase dois meses

Publicado

em

Última chuva relevante foi registrada no dia 26 de julho, quando choveu 20 milímetros na capital acreana.

Período de estiagem tem castigado acreanos com fumaça e pouca chuva — Foto: Iryá Rodrigues/G1

Por G1 AC — Rio Branco

Há quase dois meses que a capital do Acre, Rio Branco, não tem uma chuva significativa. Isso é o que mostra dados da Defesa Civil do Acre divulgados no sábado (19).

Segundo o órgão, a última chuva volumosa na capital acreana foi registrada no dia 26 de julho, quando choveu 20 milímetros.

Agosto choveu apenas dois milímetros.

Até este sábado, a Defesa Civil informou que já choveu 14 milímetros durante o mês, porém, sem muita relevância para mudar o clima. “Não é significativo, mas se for contar que nessa época não chove nada e agosto só choveu dois milímetros agora está um pouco melhor. Mas, era para chover mais”, explicou a cadete Laiza Mendonça, do Corpo de Bombeiros do Acre.

Poluição

Sem chuva e com queimadas, a fumaça e poluição tomam conta do ar. Dados dos sensores de monitoração mostram que atualmente a qualidade do ar está quase cinco vezes acima da qualidade ideal para a respiração.

Fumaça de queimadas em Rio Branco — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

O relatório da sala de situação de monitoramento hidrometeorológico do Acre mostrou que, na sexta-feira (18), o índice de materiais particulados inaláveis chegou a 108.00 μg/m³, na capital.

Porém, a Organização Mundial de Saúde (OMS) prevê que a quantidade de material particulado por metro cúbico aceitável é de 25 microgramas. Acima disso, a qualidade é ruim para a saúde humana.

“Tendo em vista em que estamos, qualquer chuva já ajuda, mesmo que não seja relevante, mas ajuda”, destacou Laiza.

Outra preocupação nesse período de estiagem é com relação ao nível do Rio Acre. Em agosto, o manancial chegou a entrar em situação de emergência devido ao baixo nível. Neste sábado, o manancial marcou 1,66 metros.

Sem chuvas, ar fica poluído com fumaça das queimadas registradas durante o período de estiagem — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Previsão

Ainda segundo Laiza, a próxima chuva significativa está prevista entre os dias 21 e 22 de setembro.

Os dados mostram que pode chover entre 17 a 20 milímetros.

“A previsão é que entre os dias 21 e 22 pode ter uma chuva de 17 a 20 milímetros, mas isso pode ser mais ou menos. A previsão de chuva forte e significativa mesmo, seguindo os anos anteriores, é a partir de 15 de outubro, podendo varias de 100 a 150 milímetros de chuva”, concluiu a cadete.

Comentários

Em alta