fbpx
Conecte-se conosco

Brasil

Saúde e nutrição com Clayton Camargos: álcool não é saudável

Publicado

em

Saúde e nutrição com Clayton Camargos: álcool não é saudável
Clayton Camargos

Saúde e nutrição com Clayton Camargos: álcool não é saudável

No Brasil, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2022, o mercado de bebidas alcoólicas registrou um aumento de 5,2%, indicando que os brasileiros estão consumindo mais álcool.

Um editorial da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicado em janeiro de 2023 na revista científica The Lancet Public Health afirma que não há níveis seguros de consumo de álcool para a saúde.

https://www.who.int/europe/news/item/04-01-2023-no-level-of-alcohol-consumption-is-safe-for-our-health

O editorial enfatiza que o consumo de álcool é um fator significativo para mais de 200 tipos de prejuízos sanitários, incluindo câncer, doenças cardiovasculares e hepáticas, depressão, bem como comportamentos violentos, acidentes incapacitantes e fatais.

A OMS defende que as nações adotem políticas públicas de saúde que promovam a diminuição do consumo apoiadas por medidas como a elevação de impostos, a limitação da venda para menores de idade e a proibição da publicidade de bebidas alcoólicas.

De outra parte, a afirmação de que baixos níveis de ingestão de álcool podem trazer benefícios à saúde e proteção contra todas as causas de mortalidade é altamente controversa.

Embora estudos observacionais e metanálises relatem que indivíduos que consomem quantidades moderadas de álcool tendem a viver mais e têm menor probabilidade de desenvolver doenças cardíacas em comparação com abstêmios, há evidências de que esses resultados são influenciados por vieses sistemáticos, como o uso de indicadores de saúde não relacionados ao consumo de álcool, incluindo dieta, higiene bucal, renda individual e peso corporal.

Outros vieses incluem a falha em distinguir entre abstêmios completos, ex-bebedores e a possibilidade de que os abstêmios possam ter problemas de saúde por outras causas.

O que temos de novo?

No início de 2023, pesquisadores canadenses da University of Victoria veicularam no Journal of American Medical Association uma revisão sistemática e metanálise abrangendo 107 estudos publicados até julho de 2021, envolvendo mais de 4,8 milhões de participantes.

O título do artigo: Association Between Daily Alcohol Intake and Risk of All-Cause Mortality – A Systematic Review and Meta-analyses, em livre tradução, “Associação entre a ingestão diária de álcool e o risco de mortalidade por todas as causas – uma revisão sistemática e metanálise”.

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2802963

O que o estudo mostrou?

A revisão sistemática detectou que os erros em outras investigações envolvendo a classificação incorreta de bebedores ocasionais como abstêmios eram frequentes, com 86 das 107 pesquisas apresentando tais discrepâncias.

Após considerar possíveis vieses e efeitos de confusão associados à amostragem e classificação incorreta de ex-bebedores, foi constatado que a ingestão de baixa quantidade de álcool, menos de 25 g/dia ou 02 drinques/dia, não ofereceu nenhum benefício protetor contra o risco de mortalidade por todas as causas em nenhum dos sexos frente aos abstêmios.

No entanto, o risco de mortalidade por todas as causas foi significativamente maior para mulheres que consumiram mais de 25 g de álcool/dia e homens que beberam mais de 45 g de álcool/dia. Além disso, pessoas com alcoolismo tiveram um risco 19% maior de morte.

Cabe destacar, idosos que bebem pouco tendem a ser mais saudáveis não por uma proteção brindada pelo álcool, mas porque aqueles que adoecem precisam parar de beber por orientação médica.

Por fim, é importante lembrar que correlação não é causalidade.

Beber uma taça de vinho por dia faz bem à saúde?

Durante muito tempo, foi difundida a hipótese sedutora de que o consumo equilibrado de álcool poderia estar associado a um estilo de vida saudável e sofisticado. No entanto, a ingestão limitada de bebidas alcoólicas não traz benefícios à saúde, enquanto o consumo excessivo pode trazer graves prejuízos.

É importante lembrar que os efeitos da sua ingestão variam de pessoa para pessoa e dependem de uma série de fatores, incluindo idade, sexo, histórico de saúde e genética.

Idealmente, para promover a saúde de forma efetiva, o consumo de álcool deveria ser completamente evitado, mesmo em quantidades moderadas.

Informação é prevenção.

Você tem alguma dúvida sobre saúde, alimentação e nutrição? Envie um e-mail para [email protected] e poderei responder sua pergunta futuramente.

Nenhum conteúdo desta coluna, independentemente da data, deve ser usado como substituto de uma consulta com um profissional de saúde qualificado e devidamente registrado no seu Conselho de Categoria correspondente.

Clayton Camargos é sanitarista pós graduado pela Escola Nacional de Saúde Pública – ENSP/Fiocruz. Desde 2002, ex gerente da Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade (CNRAC) do Ministério da Saúde. Subsecretário de Planejamento em Saúde (SUPLAN) da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF). Consultor técnico para Coordenação-Geral de Fomento à Pesquisa Em Saúde da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE) do Ministério da Saúde. Coordenador Nacional de Promoção da Saúde (COPROM) da Diretoria de Serviços (DISER) da Fundação de Seguridade Social. Docente das graduações de Medicina, Nutrição e Educação Física, e coordenador dos estágios supervisionados em nutrição clínica e em nutrição esportiva do Departamento de Nutrição, e diretor do curso sequencial de Vigilância Sanitária da Universidade Católica de Brasília (UCB). Atualmente é proprietário da clínica Metafísicos.

CRN-1 2970.

The post Saúde e nutrição com Clayton Camargos: álcool não é saudável first appeared on GPS Brasília – Portal de Notícias do DF .

Fonte: Nacional

Comentários

Continue lendo

Brasil

Justiça nega pedido para reduzir pena de Robinho por estupro coletivo

Publicado

em

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu em março deste ano que o ex-jogador Robinho deveria cumprir no Brasil a sentença da Justiça Italiana que o condenou a 9 anos de prisão por estupro coletivo.

O juiz Luiz Guilherme C. de M. Santos, da Vara de Execuções Criminais de São José dos Campos, negou o recurso, magistrado afirmou que estupro, por si só, já configura crime hediondo, independentemente de pessoas que tenham participado.

Com assessoria

A Justiça de São Paulo negou um pedido da defesa do ex-jogador Robinho para que a pena dele seja reduzida. Atualmente, Robson de Souza cumpre pena de 9 anos em regime fechado por um estupro coletivo cometido na Itália em 2013, na época em que ele atuava no AC Milan. O ex-atleta está na Penitenciária 2 de Tremembé, a “Cadeia dos Famosos”.

Em maio deste ano, a defesa de Robinho apresentou um recurso para que o crime pelo qual o ex-jogador cumpre pena seja reconhecido como “comum”. Segundo o advogado Mario Vale, o crime de estupro coletivo não consta no rol de crimes hediondos. Com base nisso, ele pedia um novo cálculo da pena.

Nessa segunda-feira (22/7), o juiz Luiz Guilherme Cursino de Moura Santos, da Vara de Execuções Criminais de São José dos Campos, negou o recurso. O magistrado afirmou que estupro, por si só, já configura crime hediondo, independentemente da quantidade de pessoas que tenham participado.

“Para a configuração da hediondez deste crime, não se faz necessária a incidência de majorante, qual seja, a sua prática em concurso de duas ou mais pessoas, posto que o núcleo do tipo penal [estupro], por si só, já é considerado hediondo”, disse Cursino.

O magistrado ainda apontou que em 2013, quando o crime pelo qual Robinho foi condenado foi praticado, o estupro já “figurava legalmente no rol dos crimes hediondos”.

Pena no Brasil

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu em março deste ano que o ex-jogador Robinho deveria cumprir no Brasil a sentença da Justiça Italiana que o condenou a 9 anos de prisão por estupro coletivo.

O placar da votação ficou em 9 a 2 a favor do cumprimento da pena no Brasil. De acordo com o voto do relator, Francisco Falcão, a Justiça Federal deve ser comunicada imediatamente para cumprimento da sentença em regime fechado. A maioria concordou com esse posicionamento, que chegou a ser tema de debate entre os ministros.

A defesa do jogador chegou a impetrar um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar suspender a prisão imediata do ex-jogador, mas o ministro Luiz Fux negou. Robinho foi preso no dia seguinte, em 21 de março, em Santos, no litoral paulista.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Além do Madeira, outros cinco rios de Rondônia registram mínimas históricas este ano

Publicado

em

O relatório é resultado de um acompanhamento semanal, desdobramento de um trabalho em conjunto de autoridades estaduais e federais que estão desenvolvendo ações para mitigar os efeitos da seca, que neste ano, de acordo com previsões meteorológicas pode ser mais intensa

O comandante da Corporação comentou acerca do assunto e reiterou que a seca intensa no estado é uma realidade que pode causar muitos problemas a todos

Dos 9 rios que banham Rondônia, cinco registraram mínimas abaixo da média no comparativo entre os dois anos anteriores. Os dados são fornecidos pela Agência Nacional de Águas (ANA), e endossados pelo governo do estado, que possui uma sala de situação com monitoramento constante do fluxo hídrico. O relatório é resultado de um acompanhamento semanal, desdobramento de um trabalho em conjunto de autoridades estaduais e federais que estão desenvolvendo ações para mitigar os efeitos da seca, que neste ano, de acordo com previsões meteorológicas pode ser mais intensa. A escassez de água está prevista em toda a região Norte e se dá em decorrência do El Niño (fenômeno natural caracterizado pelo aquecimento anormal das águas do oceano Pacífico na sua porção equatorial).

Segundo o relatório produzido pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), com medições referentes à semana do dia 15/7 a 22/7, o rio Madeira, em Porto Velho, estava com 2,71 metros de profundidade. O rio Machado, em Ji-Paraná, registrou 6,36 metros; enquanto o rio Jaruaru, em Jaru, 0,64 metros. O rio Pimenta, em Pimenta Bueno, está com 3,70 metros; o rio Mamoré, em Guajará-Mirim, 6,14 metros; e o Guaporé, em Costa Marques, 4,01 metros. O rio Jamari, em Ariquemes, está com 1,44 metros; e o rio Candeias, em Candeias do Jamari, com 9,99 metros.

O comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia (CBMRO), coronel Nivaldo de Azevedo, é o coordenador do comitê de Crise Hídrica, que foi criado pelo governo de Rondônia para gerenciar o problema. O comandante da Corporação comentou acerca do assunto e reiterou que a seca intensa no estado é uma realidade que pode causar muitos problemas a todos. “Não choveu o suficiente para encher os mananciais e os lençóis freáticos. Esse fator, somado ao fato de que a seca do ano passado também foi forte, gerou uma seca mais intensa em 2024. Estamos fazendo o monitoramento periódico e buscando soluções para garantir o fornecimento de água, mas o problema é real e precisamos da colaboração de todos.”

Ainda segundo o comandante do CBMRO, o monitoramento dos rios continua e a população precisa colaborar com o consumo consciente de água. Os esforços que o governo tem aplicado em torno da situação só irão surtir efeito com a participação de todos. “Municípios, estado, órgãos de fiscalização e controle, União, todos estão engajados no processo. As pessoas também precisam colaborar utilizando água de forma consciente, sabendo que estamos enfrentando um momento difícil em se tratando de recursos hídricos”, enfatizou.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Militar da Base Aérea é preso por tentativa de furto

Publicado

em

O militar ainda tentou negociar, afirmando que pagaria, mas a Polícia foi acionada, ele recebeu voz de prisão e levado para a sede da Polícia Civil.

A prisão denum militar da Base Aérea de Porto Velho aconteceu na noite desta segunda-feira (23), em uma loja, localizada na Avenida Rio Madeira, bairro Flodoaldo Pontes Pinto.

Funcionários da loja viram quando o militar saiu do estabelecimento levando a mochila sem pagar, avaliada em R$ 500.

Uma equipe de segurança conseguiu segurar o militar até a chegada da Polícia.

O militar ainda tentou negociar, afirmando que pagaria, mas a Polícia foi acionada, ele recebeu voz de prisão e levado para a sede da Polícia Civil.

Comentários

Continue lendo