Conecte-se conosco





Acre

Saúde alerta para avanço do sobrepeso infanto-juvenil no Acre

Publicado

em

O sobrepeso é fator de risco para várias doenças, incluindo a Covid-19, e tem crescido entre os adolescentes do Acre. A pandemia, por outro lado, agravou a situação, segundo alerta da endocrinologista pediátrica, Catarina Souza, que atua na Fundhacre.

Os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que em 2025, o percentual de obesidade na fase infantil chegará a 75 milhões no planeta. No Brasil, conforme as notificações do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional, de 2019, mostram que 16,33% das crianças brasileiras entre cinco e dez anos estão com sobrepeso.

“Nos últimos três anos a incidência de obesidade infantil aumentou muito no Acre, um dos principais fatores relacionados ao sobrepeso é o sedentarismo, principalmente pelo tempo de uso direcionado as telas de telefone, tablets, televisão e computadores, são mais de 6 horas, com a pandemia isso agravou a saúde infantil”, destaca a médica da Fundhacre.

Há muitas consequências negativas que excesso de peso em meninos e meninas pode acarretar, entre eles, problemas nas articulações, desequilíbrio emocional, sendo eles, a depressão e ansiedade, sobretudo se associados ao bullying e o cyerullying, respectivamente, violência verbal e física que traz consequências irreparáveis na autoestima das crianças; as imagens ofensivas, mensagens intimidadoras, provocativas e discriminatórias são responsáveis por tristeza, isolamento e medo.

Na Fundhacre, a endocrinologista pediatra atende bebês e crianças com alterações hormonais e acompanha as principais doenças relacionadas a baixa estatura, obesidade, puberdade precoce, diabetes, alterações nos hormônios da tireoide, hipertensão e alterações na produção de hormônios e metabolismos dos ossos.

A profissional atendeu em 2020 mais de 240 pacientes, de janeiro a agosto, e neste ano, os atendimentos foram retomados, e ocorrem gradualmente na unidade.

A família tem um papel fundamental na saúde das crianças, e no estilo de vida delas, isto é, atividades físicas, refeições equilibradas e horas moderadas nas telas dos tablets, esse conjunto serão responsáveis pelo bem-estar na fase infantil, evitando que futuramente, haja malefícios no processo de crescimento.

Além disso, o Ministério da Saúde lançou em 2019, a campanha: “1, 2, 3 e já! Vamos prevenir a obesidade infantil”, tendo como objetivo orientar os pais com um guia alimentar sugerindo uma alimentação natural, rica em legumes e frutas na mesa do consumidor, pois a adoção de hábitos saudáveis é primordial para o desenvolvimento das crianças.

(Agência de Notícias do Acre)

 

Por  

Comentários

Em alta