Com a queda, Ferreira voltará a lecionar na Universidade Federal do Acre (Ufac), onde é servidor concursado.

Fábio Pontes, da ContilNet Notícias

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Acre está sem superintendente desde o início da semana, quando foi publicado o decreto com a exoneração de Reginaldo Ferreira da Silva do cargo. Apesar de o decreto com sua saída ser justificada como “a pedido”, a queda se deu após ele perder o apoio do grupo político do PT que o indicou para a função, a Democracia Socialista (DS).

Reginaldo foi indicado pelos petistas desta tendência em maio do ano passado. A DS tinha a preferência para fazer a indicação no Estado, já que à época respondia pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, pasta a qual o Incra está subordinado. Na ocasião, o ministério era comandado por Miguel Rossetto, hoje auxiliar direto da presidente Dilma Rousseff na Secretaria Geral da Presidência.

Superintendente do Incra no Acre, Reginaldo da Silva, deixa o cargo por falta de apoio político/Foto: Regiclay Saady
Superintendente do Incra no Acre, Reginaldo da Silva, deixa o cargo por falta de apoio político/Foto: Regiclay Saady

Desde que assumiu o Incra no Acre, Reginaldo Ferreira passou a se distanciar da DS e do PT como um todo, ensaiando até mesmo uma aproximação com o PCdoB, acreditando encontrar nos comunistas força suficiente para se assegurar no cargo. Conforme Contilnet apurou, ele também passou a adotar uma “postura salto-alto” com os servidores da instituição.

Além de não contar com a retaguarda da DS, o ex-superintendente também não tinha a simpatia dos servidores, que o apontavam como “arrogante”, segundo relatos de três funcionários consultados sob condição de anonimato. “Ele passava a impressão de que o Incra no Acre começou a existir a partir de sua chegada”, afirma um deles.

Com a queda, Ferreira voltará a lecionar na Universidade Federal do Acre (Ufac), onde é servidor concursado. A DS afirma não ter mais interesse em fazer indicações para o cargo, deixando a sugestão de um novo superintendente a cargo exclusivo do governador Tião Viana. Um dos nomes mais cotados para substituir Ferreira é o funcionário de carreira do Incra Márcio Alércio; ele tem o apoio do secretário José Reis (Agricultura e Pecuária).

Comentários