Funcionária pública Ádria Barros Costa espera que as autoridades tomam providências sobre o caso

LEANDRO CHAVES, DO CONTILNET

“Que os culpados paguem pelo que fizeram com o nosso irmão, que não merecia ter morrido desse jeito”. A frase cheia de dor e revolta é de Ádria Barros Costa, irmã do tenente da Polícia Militar (PMAC) Amarildo Carneiro, que faleceu na manhã desta quarta-feira (5) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Pronto-Socorro de Rio Branco após ter sido baleado em assalto no Xavier Maia no início da semana.

Em entrevista à Contilnet nas dependências do PS, enquanto aguardava a liberação do corpo do irmão para o Instituto Médico Legal (IML), ela implorou às autoridades para que tomem providências para prenderem os culpados. “Foi um choque muito grande. A família inteira está sofrendo”.

A funcionária pública acredita que o Acre precisa de ajuda para conter a violência. “Precisamos de mais viaturas da polícia, especialmente motos, porque os bandidos estão nesse tipo de veículo”.

O 1º tenente da PMAC, Pedro Freitas de Lima, que representava a corporação no PS na manhã desta quarta, convivia com Carneiro por mais de 30 anos e lamenta a morte do colega. “Ele representava o melhor lado da polícia. Era companheiro e ajudava todas as pessoas”, disse.

A pedido de Pedro, ao sair do IML até o final desta tarde o corpo será levado para o sepultamento no carro do Corpo de Bombeiros como forma de homenagem ao militar, que deixou esposa, uma filha e dois netos.

Ulysses: “criminosos que atiraram em tenente serão encontrados”

Para Ulysses, fica a tristeza, saudade e vazio que jamais será ocupado e afirmou por meio de seu perfil oficial no Facebook que “os autores dessa bárbara ação, frios facínoras, serão encontrados e responderão por esses crimes”.

O comandante da Polícia Militar do Acre, coronel Ulysses Araújo, foi uma das autoridades que consternaram condolências pela morte do subtenente da PM Amarildo Carneiro Costa, que faleceu na manhã desta quarta-feira, 5, após ser ferido a tiros durante uma tentativa de assalto em Rio Branco. Ulysses afirmou por meio de seu perfil oficial no Facebook que “os autores dessa bárbara ação, frios facínoras, serão encontrados e responderão por esses crimes”.

Para Ulysses, fica a tristeza, saudade e vazio que jamais será ocupado. “Mas principalmente fica o exemplo do policial militar que durante toda a sua vida cumpriu seu extremo juramento de servir e proteger a sociedade”, comentou.

Amarildo deixa esposa e filha. Segundo o comandante, elas estão sendo assistidas pela Polícia Militar do Acre. O Oficial Amarildo, de 56 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã desta quarta-feira na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Pronto-Socorro de Rio Branco.

Ele perdeu um rim e teve outros órgãos afetados pelo projétil que atingiu o seu abdômen.

Entenda o caso

Amarildo saiu de casa na noite de segunda-feira (3) para ir comprar um churrasco para seus netos e enquanto caminhava na rua dois homens não identificados, membros de organização criminosa, se aproximaram em uma motocicleta e o garupa de posse arma de fogo anunciou o assalto.

O policial reagiu, puxou a pistola da cintura e no momento que estava destravando a arma, o criminoso efetuou dois tiros. Um dos projeteis atingiu o militar no abdômen e outro no braço. Em seguida os bandidos fugiram sem levar a arma de fogo do policial.

A ambulância do suporte avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, prestou os primeiros atendimentos a vítima e a conduziu ao Pronto Socorro de Rio Branco em estado grave.

PM diz em nota que subtenente morreu de insuficiência renal

O Comando Geral da Polícia Miltar do Acre (PM/AC) divulgou nota de pesar sobre o falecimento do subtenente da PM, Amarildo Carneiro Costa, 56 anos, ocorrido na manhã desta quarta-feira (5), na UTI do Pronto Socorro de Rio Branco.

Segundo a nota, Amarildo morreu vítima de insuficiência renal, mas em nenhum momento o comandante da PM, coronel Ulysses Araújo, que assina a nota, cita a tentativa de assalto que ocasionou os ferimentos no policial aposentado, onde um dos assaltante atirou duas vezes contra Amarildo.

Confira a nota na íntegra:

NOTA DE FALECIMENTO

O Comando da Polícia Militar do Estado do Acre manifesta o mais profundo pesar pelo falecimento do subtenente da Reserva Remunerada, Amarildo Carneiro Costa, aos 56 anos, ocorrido na manhã desta quarta-feira, 05 de fevereiro, no Pronto Socorro de Rio Branco/AC, em decorrência de insuficiência renal.

O militar ingressou na Corporação em 1986 e serviu em diversas unidades, sendo reconvocado em 2016. Carneiro Costa, como era conhecido na caserna, nos deixa um legado de bons serviços prestados e de respeito e admiração entre pares e subordinados. Ele deixa esposa e filha.

À família enlutada prestamos as mais sentidas condolências e rogamos a Deus que possa confortar-lhes neste momento de profunda tristeza e dor.

Disse-lhe Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim ainda que morto viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá.” (João 11:25-26)

Rio Branco-AC, 05 de fevereiro de 2020.

Ulysses Freitas Pereira de Araújo – CEL PM
Comandante-geral da PMAC

Comentários