fbpx
Conecte-se conosco

Brasil

“Que o mundo se prepare para a derrota de Maduro”, diz líder da oposição venezuelana

Publicado

em

CNN-Brasil

María Corina Machado foi proibida de ocupar cargos públicos por 15 anos em recente decisão da Controladoria-Geral da República. María Corina Machado, oposicionista candidata a presidente na Venezuela, falou sobre o que ela acredita estar em jogo nas eleições venezuelanas: “Que o mundo se prepare para a derrota de [Nicolás] Maduro, porque é isso que vai acontecer, vamos derrotá-lo”.

Em entrevista à CNN, Machado destacou que o que está vendo no país neste momento, antes das primárias da oposição, “nunca tinha visto”, já que se construiu uma força “que torna este momento algo inédito.”

“As pessoas assumem que esta é uma luta do bem contra o mal”, acrescentou.

Machado assegurou ainda que “o regime sabe disso” e “por isso agem desta forma desesperada que se invertem, que se invertem. Fizeram o primário adquirir força e um desafio que não tinha até três dias atrás.”

Nesse sentido, a líder venezuelano destacou que as primárias na Venezuela criarão legitimidade “em um desafio direto ao regime, à tirania”. O que, afirma, “será o primeiro passo para a derrota do sistema”.

“A primária vai ser uma oportunidade de construir força, força cívica, força cidadã e, a partir desse dia, com toda a legitimidade que vem de uma sociedade participativa dentro e fora do país, aí vamos concretizar um processo de coordenação com uma estratégia muito firme que se dirige à comunidade internacional para fazerem o que têm de fazer.”

Machado também definiu as primárias como “um marco que fará com que o mundo inteiro entenda o que nós, venezuelanos, estamos dispostos a fazer dentro [do país] e do quarto do nosso país que está espalhado pelo mundo, mas que deseja voltar. É meu compromisso fazer com que os venezuelanos retornem ao seu lar eterno.”

Machado é proibida de ocupar cargos públicos por 15 anos

Machado está impedida de ocupar cargos públicos na Venezuela por 15 anos, segundo documento da Controladoria-Geral da República divulgado na semana passada.

A desclassificação de Machado ocorreu após consulta ao deputado da oposição José Brito, membro da Comissão de Controladoria da Assembleia Nacional, que informou que iria questionar a Controladoria sobre a situação de Machado.

No entanto, em sua entrevista à CNN, Machado descreveu a inabilitação como “um pequeno obstáculo ao lado de todos os outros que temos pela frente para conseguir eleições competitivas”.

Em seguida, completou: “Todos nós sabemos. Um Conselho Nacional Eleitoral é um tentáculo da tirania, um registro eleitoral absolutamente falho. Ou seja, está usando dinheiro ou intimidação, não permitindo que os venezuelanos votem fora. Você percebe a magnitude dos desafios temos agora. Faltam 18 meses e se conseguimos tudo isso nesses últimos cinco meses, prepare-se para o que vamos fazer: Construir os alicerces de uma nação.”

No início da entrevista, Machado sustentou que o objetivo final de todo o esforço da oposição “é deslocar essa tirania que destruiu o país, construir os alicerces de uma nação, o retorno de nossos filhos para casa”.

E, nesse sentido, sublinhou que “despertou uma força enorme, contagiante. Isso abalou o país, fez a comunidade internacional entender que isto é grave”.

A ex-deputada é uma das quatro mulheres entre as 14 inscritas na disputa da oposição. Machado é conhecido por seu discurso desafiador contra o atual presidente da Venezuela e potencial candidato do partido governista, Nicolás Maduro.

Machado foi cofundador da Súmate, organização não governamental que monitora a transparência eleitoral. Em seu discurso após a assinatura do ato de nomeação, ele enviou uma mensagem à comunidade internacional: “A todos os democratas do mundo eu digo: preparem-se para a derrota de Nicolás Maduro em 2024.” Pela derrota do sistema atual, “deste regime, já começou nas ruas da Venezuela e é irreversível”.

Machado diz que decisão da Controladoria “é uma besteira”

Machado se inscreveu nas primárias de outubro, nas quais a oposição escolherá um candidato para enfrentar o porta-estandarte do partido governista em 2024.

Segundo o documento da Controladoria, Machado é punido com 15 anos de inabilitação por “erros e omissões em suas declarações de bens”.

CNN entrou em contato com a Controladoria e o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) para obter a confirmação de forma independente.

Após a divulgação do documento, a ex-deputada disse que “uma desqualificação do regime é uma besteira, vale zero. O desespero é um péssimo conselheiro. Isso estava chegando, mas se eles achavam que essa farsa ia desestimular a participação, agora vamos com mais força”.

Em evento de campanha em Barinas, a adversária disse que uma desclassificação contra ela foi “inventar”.

“Eles estão errados se pensam que neste momento com manobras, com seu TSJ, Controladoria, CNE arrastados para a tirania, o povo da Venezuela vai parar ou abaixar a cabeça. Isso acabou. Aqui há uma única entidade, uma única voz que empodera e é o povo da Venezuela”, disse.

O ex-candidato presidencial Henrique Capriles Radonski, que enfrentará Machado nas primárias, disse: “A inabilitação de María Corina Machado por 15 anos é uma ação inconstitucional, infundada e vergonhosa”.

 

Comentários

Brasil

Manifestação com apoiadores de Bolsonaro lota avenida Paulista em SP

Publicado

em

Ex-presidente comparece ao ato, que ocupa nove quarteirões da avenida

A manifestação de apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro acontece neste domingo (25).

De acordo com imagens aéreas, são nove quarteirões completamente ocupados, e os organizadores do evento estimam um público de 700 mil pessoas.

Bolsonaro chegou acompanhado da mulher, Michelle Bolsonaro, e do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas.

Os governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), e de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), também compareceram.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Brasil é hexacampeão mundial de Beach Soccer

Publicado

em

Rodrigo marca de bicicleta. Brasil vence a Itália e leva o caneco mundial pela sexta vez – Foto: Reprodução Youtube CazéTV

Sexta conquista veio neste domingo (25/2) após vitória por 6 a 4 sobre a Itália na final da Copa do Mundo realizada nos Emirados Árabes

O Brasil é hexacampeão mundial de Beach Soccer. Afinal, neste domingo (25/2), na final da Copa do Mundo-2024, em Dubai, nos Emirados Árabes, os Canarinhos venceram a Itália por 6 a 3. Com isso,  a Seleção levantou a taça e recuperou a hegemonia que tinha perdido desde 2017 (a Rússia era a atual campeã). Rodrigo, o melhor do mundo, fez três gols, um deles de bicicleta, o que é bem comum no futebol de praia. Bruno Xavier, Breno e Genovale (contra) fizeram os gols canarinhos. Para os italianos marcaram Fazzini (dois) e Genovali (dois).

O Brasil também foi campeão em 2006, 2007, 2008, 2009 e 2017. Mas, se considerarmos os mundiais que a Fifa não organizou, este é o 15º  caneco, já que a Seleção Brasileira venceu todos os mundiais anteriores (foram nove anuais – exceto em 2001 – entre 1995 e 2005).

O jogo foi duríssimo para o Brasil, que acabou sendo favorecido quando o goleiro Casoperi foi expulso. Ele era o melhor em campo, com defesas excepcionais no segundo dos três tempos. Para se ter ideia, até a expulsão do italiano, o jogo estava 1 a 1. O Brasil logo fez 2 a 1 (pelo regulamento, ao sair um gol, o time rival pode voltar a ter cinco jogadores em campo, mas o expulso segue fora). E apenas no terceiro tempo foi que a Seleção deslanchou. Ao abrir 6 a 3, passou a administrar o tempo. Chegou a levar um gol. Mas não dava mais tempo para nada. Brasil hexa.

 

Comentários

Continue lendo

Brasil

Popó vence luta contra Bambam em menos de 40 segundos: “Você me desrespeitou muito”

Publicado

em

Tetracampeão mundial disparou uma sequência de golpes no primeiro vencedor do Big Brother Brasil (BBB), que precisou se segurar nas cordas do ringue para não cair

Bambam havia prometido chocar o mundo com seu desempenho na luta, mas não teve chance sequer de disparar um golpe | Foto: Jhony Inácio / Estadão Conteúdo / CP

Por: Correio do Povo

Acelino Popó Freitas nocauteou Bambam em apenas 36 segundos e venceu a principal luta do Fight Music Show 4 (FMS) na madrugada deste domingo. O tetracampeão mundial disparou uma sequência de golpes no primeiro vencedor do Big Brother Brasil (BBB), que precisou se segurar nas cordas do ringue para não cair. Sem limites de knockdowns, Popó foi dado como vencedor no embate após derrubar seu adversário pela segunda vez em apenas 36 segundos de luta.

O nocaute aconteceu logo no primeiro round. Bambam havia prometido chocar o mundo com seu desempenho na luta, mas não teve chance sequer de disparar um golpe. Atordoado, Bambam não conseguiu manter a guarda e se defender dos ataques do Popó.

“Há quatro dias fez 24 anos que lutei aqui. Digo com toda a humildade, com todo respeito ao Bambam, ele foi responsável em toda essa casa estar cheia hoje. O que ele me provocou, ele provocou tipo assim, ‘quero ver esse Popó derrubar esse cara’. Quem tá aqui hoje veio pra ver isso, não só por causa de mim, só estava âncora ali pra derrubar ele. Ele foi o cara que fez todo o marketing, que encheu e deu todas as audiências”, disse Popó no discurso da vitória.

O lutador ainda ressaltou que ao Bambam desmerecer uma pessoa ligada ao esporte, automaticamente desmerece também a modalidade em si. Além disso, o atleta fez um apelo direto ao respeito, não apenas para si, mas também para sua família, destacando a importância dos valores éticos e do reconhecimento mútuo no mundo esportivo.

“Deu até as costas pra mim de tão frouxo que você é. Você falou que seu soco é tipo um foguete, mas é tipo o do Elon Musk, deu de ré”, destacou. De acordo com as regras do FMS, a vitória de Popó não entra para o seu cartel.

O Fight Music Show foi criado em 2022 e reúne ex-lutadores profissionais e celebridades pela quarta vez. Na primeira edição, por exemplo, Popó enfrentou o comediante Whindersson Nunes em um embate que terminou em empate técnico.

A noite também teve outros confrontos, como a vitória de MC Gui contra Nego do Borel e de Emilene Juarez (mulher de Popó) contra Fernanda Lacerda, que interpretou a personagem Mendigata no programa Pânico na Band.

Comentários

Continue lendo






Em alta