Ônibus saiu de São Paulo com destino ao Peru, mas fico retido na fronteira. Governo do Acre negocia com o governo peruano para permitir a entrada dos imigrantes.

‘Presos’ na divisa com Acre e Rondônia devido à pandemia, 40 peruanos dormem dentro de ônibus em posto fiscal no AC — Foto: Arquivo pessoal
Por Alcinete Gadelha

Um ônibus particular com 40 imigrantes peruanos foi impedido de entrar no Acre, na quinta-feira (7), devido à pandemia do coronavírus.

A informação foi confirmada pelo comandante da Polícia Militar, coronel Ulysses Araújo. Enquanto o governo acreano tenta resolver o impasse com o lado peruano, os imigrantes dormem no ônibus que ficou retido no posto fiscal do estado.

O ônibus foi parado no posto Fiscal da Tucandeira, no Km 115 da BR-364, em Rio Branco. A PM já conta com a barreira mantida 24 horas na região e mais duas guarnições do batalhão de Operações Especiais (Bope) foram encaminhadas para o local em apoio.

O grupo saiu de São Paulo e teria como destino Iñapari, no Peru. Só que eles não têm como entrar no país por conta da fronteira fechada, informou o comandante, o que faria com que eles ficassem em Assis Brasil, no interior do estado.

“A gente recebeu a informação que o ônibus estava vindo para Assis Brasil e o decreto não autoriza esse tipo de transporte, por enquanto. A gente já verificou e a maioria é de imigrantes ilegais e já houve um contato do gabinete do vice-governador com o gabinete de Madre de Dios e estão tentando uma autorização para que o Exército possa liberar a entrada deles lá”, informou.

Para tentar resolver o problema, Araújo disse que está sendo feito esse contato com as autoridades peruanas e se for liberada a entrada do grupo no Peru, a polícia do Acre vai fazer a escolta deles até que sejam entregues em Iñapari.

“Só podemos fazer isso quando tiver essa autorização porque se não a gente vai levar eles para onde? A responsabilidade não pode ser nossa. Como nós recebemos uma determinação da própria Secretaria de Segurança para que não fosse autorizada a entrada, com base no decreto governamental e a gente está executando”, concluiu o comandante.

Acompanhamento

O secretário de saúde do Acre, Alysson Bestene, informou que os peruanos estão sendo monitorados por uma equipe da Vigilância Sanitária que foi encaminhada para o local ainda na quinta.

“A equipe está lá desde ontem e eles estão sendo monitorados e quando tiver essa liberação a gente vai acompanhar até o destino”, informou Bestene.

Fronteira fechada

Desde final do mês de março que o município de Assis Brasil já decretou situação de emergência e acumula mais de 300 imigrantes que não conseguem entrar no Peru por conta do fechamento da fronteira.

A medida de impedir a entrada dos peruanos no Acre é para evitar o acúmulo de mais pessoas no município do interior, conforme informou o secretário de saúde.

“A gente tem conversado, tanto a vigilância sanitária do estado como do município tem acompanhado e eles estão lá no abrigo. O Estado ajuda na parte da alimentação e também estão sendo monitorados”, concluiu.

O Acre contabilizou 1.014 pessoas diagnosticadas com Covid-19 até a quinta-feira (7). As mortes foram para 36, conforme boletim da Secretaria de Saúde estadual (Sesacre).

Comentários