Por Wanglézio Braga – Foto: Hugo Mope

Mais uma reunião entre as prefeituras de Brasileia e Epitaciolândia juntamente com o governo de Pando foi realizada para tratar do plano de reabertura das fronteiras entre Brasil e Bolívia. A novidade da vez foi à inclusão do consulado da Bolívia no Brasil nas tratativas bem como a direção da Zona Franca de Cobija/Bolívia, uma das principais interessadas na abertura. De pronto, foi decidido nesta quarta-feira (02), que o consulado fará um ofício destinado à Polícia Federal do Brasil no Acre solicitando a aplicação do princípio de reciprocidade.

Os gestores de lá e cá estão com muita pressa devido o aumento do desemprego, fome e da queda da economia que gira entorno da Zona Franca e nos municípios brasileiros. Eles querem a reabertura já para o próximo dia 5 de setembro. Há mais de 160 dias que as fronteiras terrestres entre Brasil e Bolívia estão fechadas na região do Alto Acre por conta da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

Hoje (02), a cidade boliviana de Guayaramirin e o município de Guajará-Mirim, em Rondônia, abriram sua fronteira fluvial. Por lá, limites foram impostos como: Apenas moradores das duas cidades vizinhas poderão atravessar a fronteira. Para isso, os cidadãos devem comprovar residência nas cidades gêmeas.

A regra de reciprocidade foi determinada pela delegada de Polícia Federal (PF) em Guajará-Mirim, Danielle de Abreu Candez, nesta quarta-feira, 02, por meio de ofício as autoridades locais informando a liberação do Porto Oficial do município para a entrada de moradores da cidade vizinha, limitando assim a permanência dos mesmos apenas no município de Guajará-Mirim, ficando proibido a circulação em outras cidades do Estado de Rondônia.

Vale lembrar que Cobija e Guayaramirin foram autorizadas a abrirem suas fronteiras após uma Resolução Multiministerial publicada dia 1º, terça-feira, pelo Ministério das Relações Exteriores da Bolívia. Cinco cidades foram liberadas para a trafegabilidade. Além de Cobija e Guayaramerin, também o trânsito será livre para San Matias, Puerto Suarez e Puerto Quijarro.

Comentários