Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) diz que rotina de segurança foi ‘intensificada’.

Por falta de pagamento, bloqueadores de celulares são desativados em presídios do AC — Foto: Aline Nascimento/G1
Por G1 AC — Rio Branco

Os bloqueadores de celulares estão há três dias sem funcionar nos presídios do Acre. A informação foi confirmada pelo próprio Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), que confirmou que a interrupção foi devido à falta de pagamento para a empresa que oferece o serviço.

Os aparelhos são responsáveis por bloquear ligações telefônicas nas unidades penitenciárias da capital. Em nota assinada já pelo novo presidente, Arlenilson Cunha, o Iapen confirmou que a interrupção pela empresa prestadora do serviço ocorre na última quarta-feira (11).

“Com a interrupção, a rotina de segurança existente foi intensificada em todas as unidades, visando evitar a prática e a entrada de novos ilícitos”, garante a nota.

Cunha também diz que está tomando conhecimento agora de todos os contratos do Iapen e que “realizará reuniões com os fornecedores e empresas contratadas para que as providências cabíveis sejam adotadas”, finaliza a nota.

Mudança na presidência

Na última sexta-feira (13), o governo do Acre oficializou a saída de Lucas Gomes da presidência do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC). Ele já havia anunciado sua saída do cargo pelas redes sociais na quarta-feira (11) após mais de um ano à frente da autarquia.

“Mesmo com graves problemas financeiros e um endividamento crônico herdado da gestão passada, mudamos a cara do Instituto imprimindo disciplina e ordem no ambiente prisional […] Saio com a cabeça erguida e com a convicção de que cumpri o meu dever com coragem, probidade e retidão”, afirmou Gomes na publicação em que anunciava sua saída.

O novo presidente, Arlenilson Barbosa Cunha, atuou como diretor do presídio de Senador Guiomard, no interior do Acre, por um período de três anos e é servidor efetivo do Iapen no cargo de policial penal.

Comentários