Conecte-se conosco

Acre

Políticas afirmativas e retorno da Secretaria de Mulheres é pauta da Tribuna Popular

Publicado

em

A sessão da Câmara de Vereadores de Rio Branco, na quinta-feira, 20, começou com um debate sobre políticas afirmativas para as mulheres. Nos últimos anos, o Acre liderou o ranking nacional de feminicídios no Brasil.

Convidada pela vice-presidente da casa legislativa, vereadora Lene Petecão (PSD), a presidenta do Instituto Mulheres da Amazônia (IMA), Concita Maia Manchineri, participou da Tribuna Popular e, além de apresentar a Agenda 21/2030 das Mulheres da Amazônia, aproveitou o espaço para solicitar o retorno da Secretaria Municipal de Mulheres na capital acreana.

“Nós não queremos mais morrer, nós não queremos mais ser violentadas. Nós não queremos ver os nossos direitos serem desconsiderados. Nós queremos políticas públicas que garantam a nossa dignidade e a nossa cidadania. Então, é nesse sentido que queremos solicitar aos vereadores e vereadoras, que possam faze ruma articulação junto ao Poder Executivo, para o retorno da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres”, destacou Concita.

O pedido de Concita foi endossado pela vereadora Lene Petecão. “Precisamos de uma secretaria para cuidar das mulheres de Rio Branco e precisamos urgentemente colocar essa pauta na ordem do dia para que volte a Secretaria das Mulheres, é nossa essa secretaria. O governador já deu um passo importante, disse que tava criando, não, ele estava devolvendo o que era nosso e nós estamos pedindo também o que era nosso no município”, salientou.

Exemplares da Agenda 21/2023 foram entregues aos parlamentares. O documento foi construído e elaborado por representantes dos nove Estados da Amazônia Legal Brasileira e apresenta estratégias para fortalecer as políticas públicas para mulheres na região. Além de elaborar propostas que possibilitem avançar na garantia e na ampliação de direitos sobre os territórios numa perspectiva interseccional e integradora de múltiplas realidades, influenciando mudanças na agenda pública que melhore a qualidade de vida das mulheres em suas diversas pluralidades.

Projeto de Lei

Durante a sessão, Lene Petecão apresentou o Projeto de Lei (PL) que propõe a inclusão no calendário oficial de Rio Branco do Dia Municipal de Conscientização e Combate ao Feminicídio (25 de março) e a Violência contra a Mulher. Além disso, a parlamentar também propôs, juntamente com a vereadora Elzinha Mendonça (PSB), da Comissão Legislativa Municipal de Permanente de Monitoramento das Políticas de Enfrentamento ao Feminicídio e de todas as Formas de Violência contra a Mulher.

As pautas apresentadas pela vice-presidente da Câmara de Rio Branco foram construídas em parceria com o Instituto Mulheres da Amazônia. (Por Maria Meireles / Assessoria Parlamentar)

Comentários

Acre

Rodovias federais, internet de alta velocidade e habitação são prioridades do governo do Acre na Plenária PPA Participativo 2024-2027

Publicado

em

O governador Gladson Cameli apresentou neste sábado, 3, as três propostas elaboradas pelo governo do Acre durante a Plenária Estadual do Plano Plurianual (PPA) Participativo. A recuperação de rodovias federais, expansão de internet de alta velocidade e construção de moradias populares são as principais prioridades apontadas pelo gestor.

Acre sediou neste sábado, 3, a Plenária Estadual do PPA Participativo. Foto: Neto Lucena/Secom

“Nossas BR’s são de extrema necessidade para a população e economia do nosso estado, assim como uma internet rápida para conectar os 22 municípios. Também necessitamos de recursos para construir casas populares, já que o déficit habitacional é muito grande”, afirmou o governante.

Rodovias federais, internet de alta velocidade e construção de casas populares foram as propostas apresentadas pelo governador Gladson Cameli. Foto: Neto Lucena/Secom

As propostas já foram apresentadas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva em janeiro deste ano e reforçadas pelo governador Gladson Cameli no PPA Participativo.

Durante entrevista coletiva à imprensa, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Márcio Macêdo, falou que o governo federal dará atenção especial as propostas elaboradas nos estados da Amazônia.

“O presidente Lula tem absoluta consciência de que a temática ambiental ganhou uma centralidade no Brasil muito grande. Os povos da floresta precisam ser tratados com dignidade e incluídos no desenvolvimento regional. A Amazônia é uma área estratégica para o nosso país”, argumentou.

Waldez Góes, ministro da Integração Nacional, destacou a elaboração de um programa específico para o desenvolvimento, proteção e segurança das fronteiras. “Vamos assinar um termo de cooperação com os 11 estados em região fronteiriça para a construirmos os planos estaduais de fronteira. A partir deste instrumento, poderemos viabilizar e visualizar problemas, vocações e desafios para que na transversalidade do governo, possamos estar apoiando”, declarou.

Márcio Macêdo, ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, enfatizou que governo federal dará atenção especial ás propostas da Amazônia. Foto: Neto Lucena/Secom

Comentários

Continue lendo

Acre

Marfisa garante que não vai renunciar de ser vice para assumir cargo no governo

Publicado

em

Vice-prefeita de Rio Branco, Marfisa Galvão – Foto: Alexandre Lima/arquivo

A vice-prefeita de Río Branco, Marfisa Galvão (PSD) garantiu a reportagem doac24horas neste sábado, 3, que não irá renunciar ao cargo de vice do prefeito da capital, Tião Bocalom (PP), para assumir a secretaria de assistência social do governo do Acre, comandado pelo governador Gladson Cameli, conforme cogitado anteriormente.

Segundo a gestora, a decisão da renúncia não seria positiva, haja vista que foi eleita para o cargo em 2020. “Isso é ruim pra mim, me afastar para assumir um cargo, então, não vou trocar minha função de vice. Não irei mais renunciar para assumir cargo no Estado, vou cumprir o dever até o fim, trabalhando”, declarou.

Apesar de ter tomado sua decisão, a esposa do senador Petecão disse que, de fato, recebeu sondagens de interlocutores de Gladson para assumir a pasta. “As conversas com o governo aconteceram entre pessoas ligadas ao Alysson Bestene e o Gladson sempre falava comigo para trabalhar na assistência social. Quando sai na prefeitura, ele [Gladson] falou para mim ficar com ele. Então, foi essas as conversas e eu não cobrei nada a ninguém”, explicou.

Galvão revelou ainda que sua decisão já foi comunicada à direção do PSD e sugeriu que a sigla escolha outro nome para a função, caso ainda haja o convite no governo. “Já comuniquei ao PSD e se eles quiserem nomeiem outro para o Estado. Apenas trabalharei com o governo em parceria”, comentou.

Porém, apesar de ter escolhido permanecer na gestão de Bocalom, Marfisa afirmou que não irá ficar ao lado do prefeito fingindo boas aparências. Segundo ela, na ausência do chefe do executivo municipal, apenas vai assumir o cargo dentro da lei. “O prefeito me quer ao lado dele, mas não me sinto bem. Então, não vou ficar lançando obra com ele, é impossível. Só vou trabalhar quando o Bocalom viajar e tocar o que a lei exige”, concluiu.

Comentários

Continue lendo

Acre

Acusado de esfaquear idoso e tenta contra a vida de policial tem prisão preventiva decretada

Publicado

em

A Justiça do Acre decretou a prisão preventiva de Adelcio Ferreira Nunes, o Dunga.

A decisão foi do Juiz da Comarca de Xapuri Luis Gustavo Alcalde Pinto, após analisar o flagrante neste sábado, 3.

“A materialidade e os indícios suficientes de autoria se encontram evidenciados no processo, conforme boletim de ocorrência e depoimentos em sede policial”, escreveu o magistrado.

De acordo com as informações, na tarde de sexta-feira, 2, Dunga teria esfaqueado o idoso João Rinaldo Alves Maia de 63 anos.

Logo em seguida o autor do crime tentou invadir um posto de saúde da cidade para matar a vítima. Mas foi contido por um policial militar.

O PM, que não estava em serviço, chegou a dar voz de prisão, mas frente a ameaça do acusado que portava uma faca, atirou em Dunga. Baleado o criminoso foi socorrido na própria unidade de saúde.

A partir de agora a Polícia Civil terá o prazo de 10 dias para finalizar o inquérito

Comentários

Continue lendo

Em alta