Conecte-se conosco





Geral

Polícia investiga festa clandestina durante pandemia em sítio em Mâncio Lima

Publicado

em

Festa teria acontecido no último final de semana em um sítio no Ramal do Batoque, na zona rural de Mâncio Lima. Delegado diz que foi iniciada uma investigação para confirmar local onde ocorreu a festa, proprietário e as pessoas que participaram.

Festa clandestina com aglomeração é realizada em Mâncio Lima, no interior do Acre

Por Iryá Rodrigues

A Polícia Civil investiga uma festa clandestina em Mâncio Lima.

O evento teria ocorrido no último final de semana em um sítio no Ramal do Batoque, na zona rural da cidade, em meio à pandemia de coronavírus. Um decreto estadual proíbe a realização deste tipo de evento.

Pelas imagens de vídeos que chegaram ao conhecimento da polícia e que viralizaram nas redes sociais nesta terça-feira (4) é possível ver muitas pessoas dançando durante dia e noite, sem máscaras e consumindo bebida alcoólica.

O delegado José Obetaneo dos Santos, que conduz a investigação, disse que foi expedida ordem de missão para que os investigadores da Polícia Civil identifiquem o local exato onde ocorreu a festa, o dono da propriedade e os participantes. Após isso é que ele deve instaurar o inquérito civil.

“Chegou ao meu conhecimento por volta das 6h desta terça e logo em seguida expedi ordem de missão e os investigadores já estão identificando os personagens, local e a quem pertence a chácara. Também precisamos confirmar se foi neste final de semana, se essa chácara é realmente em Mâncio Lima ou se fica em Rodrigues Alves, que fica bem próximo. Garanto que vamos identificar e todos serão responsabilizados”, disse o delegado.

A informação é de que dois ônibus teriam saído da cidade de Cruzeiro do Sul levando pessoas para a festa. Mais de 100 integrantes teriam participado do evento.

O estado do Acre está em faixa de emergência, representada pela bandeira vermelha, desde o dia 1º de fevereiro, depois que as unidades de saúde do estado ficaram com quase 100% de ocupação dos leitos. Nessa faixa, há restrições no funcionamento do comércio, com 20% da capacidade de público e limitação de horário e proibição de eventos comemorativos e sociais. Desde o início da pandemia, o governo baixou decreto que obriga uso de máscara e proíbe aglomerações.

Festa clandestina teria ocorrido durante dois dias em sítio em Mância Lima, no interior do Acre — Foto: Reprodução

A coordenadora da equipe volante de enfrentamento à Covid-19 na cidade, do Centro de Operações de Emergência (COE), Francisca Cordeiro, disse que a equipe chegou a ir até a entrada da chácara logo após receber o vídeo no final de semana. Mas, como não havia movimentação em frente ao local e não tinha certeza de que era mesmo naquela propriedade, eles não entraram.

“Fizemos um relatório com base na denúncia que recebemos, vamos encaminhar para o setor da Tributação da Prefeitura que vai analisar se é para mandar ou não para o Ministério Público. Pelo vídeo, percebemos que tinham umas quatro pessoas do nosso município, e o restante era todo de Cruzeiro do Sul”, afirmou Francisca.

Covid-19 em Mâncio Lima

Com pouco mais de 19,3 mil habitantes, Mâncio Lima registra 1797 casos confirmados de Covid-19 e 25 mortes pela doença, segundo último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, divulgado nessa segunda-feira (3).

Mâncio Lima está em 9º lugar no ranking dos municípios com maior incidência dos casos, com 930 casos para cada 10 mil habitantes. A taxa de letalidade é de 1,4% e a de mortalidade é de 12,9 para cada 10 mil habitantes.

Comentários

Em alta