Entre as dicas está não fazer transferências bancárias para vendedores. Um morador de Brasileia, interior do Acre, chegou a perder R$ 16 mil ao fechar negociação por um aplicativo de vendas.

Segundo a Polícia Civil do Acre, número de ocorrências de estelionato cresceu no estado nos últimos meses. — Foto: Gabriel Costa/G1
Por Aline Nascimento

Com um número de 20 ocorrências de estelionato registradas nos últimos meses, a Polícia Civil do Acre passou a divulgar uma alerta com cuidados que a população precisa ter ao fazer uma negociação por meio de aplicativos de vendas. A polícia informou que não tem o número exato de casos, mas iniciou um levantamento das ocorrências.

Um morador de Brasileia, interior do Acre, chegou a perder R$ 16 mil ao cair no golpe. Segundo a polícia, a vítima depositou o dinheiro em uma conta bancária do Mato Grosso do Sul. O valor seria a primeira parte da compra de um carro. A segunda parte seria depositada quando o veículo estivesse com o comprador.

“A vítima fez um depósito no valor de R$ 16 mil em um conta do Mato Grosso do Sul para comprar um veículo de R$ 30 mil, os outros R$ 14 mil ia dar quando recebesse o veículo. O criminoso simulou que seria o proprietário do carro, mas o proprietário era de Brasileia, e tinha colocado o veículo à venda”, explicou o delegado Roberth Alencar.

Ainda segundo a polícia, o criminoso primeiro ligou para a vítima para pegar as informações do veículo. Com os dados, o suspeito esperou a primeira vítima ligar e fechar o negócio. A polícia acredita que tanto a conta bancária como o dono do chip do telefone usado sejam de ‘laranjas’.

“Deu a conta de um terceiro e o saque foi feito em seguida. Tentamos o estorno da transferência, mas já havia sido feito o saque. Solicitamos os dados da conta, temos o cadastro da proprietária da conta e vamos fazer o encaminhamento de carta precatória para Mato Grosso para que ela seja ouvida. Também vamos pedir a quebra do sigilo do celular”, detalhou Alencar.

Cuidados

Apesar de ainda não obter dados específicos, o delegado afirmou ainda que o número de golpes de estelionato cresceu, principalmente na capital, Rio Branco. As orientação, segundo Alencar, devem ser tomadas não em apenas compras feitas nos aplicativos de vendas, mas em qualquer outra forma de vendas pela internet.

Com um número de 20 ocorrências de estelionato registradas nos últimos meses, a Polícia Civil do Acre passou a divulgar uma alerta com cuidados que a população precisa ter ao fazer uma negociação por meio de aplicativos de vendas. A polícia informou que não tem o número exato de casos, mas iniciou um levantamento das ocorrências.

Um morador de Brasileia, interior do Acre, chegou a perder R$ 16 mil ao cair no golpe. Segundo a polícia, a vítima depositou o dinheiro em uma conta bancária do Mato Grosso do Sul. O valor seria a primeira parte da compra de um carro. A segunda parte seria depositada quando o veículo estivesse com o comprador.

“A vítima fez um depósito no valor de R$ 16 mil em um conta do Mato Grosso do Sul para comprar um veículo de R$ 30 mil, os outros R$ 14 mil ia dar quando recebesse o veículo. O criminoso simulou que seria o proprietário do carro, mas o proprietário era de Brasileia, e tinha colocado o veículo à venda”, explicou o delegado Roberth Alencar.

Ainda segundo a polícia, o criminoso primeiro ligou para a vítima para pegar as informações do veículo. Com os dados, o suspeito esperou a primeira vítima ligar e fechar o negócio. A polícia acredita que tanto a conta bancária como o dono do chip do telefone usado sejam de ‘laranjas’.

“Deu a conta de um terceiro e o saque foi feito em seguida. Tentamos o estorno da transferência, mas já havia sido feito o saque. Solicitamos os dados da conta, temos o cadastro da proprietária da conta e vamos fazer o encaminhamento de carta precatória para Mato Grosso para que ela seja ouvida. Também vamos pedir a quebra do sigilo do celular”, detalhou Alencar.

Cuidados

Apesar de ainda não obter dados específicos, o delegado afirmou ainda que o número de golpes de estelionato cresceu, principalmente na capital, Rio Branco. As orientação, segundo Alencar, devem ser tomadas não em apenas compras feitas nos aplicativos de vendas, mas em qualquer outra forma de vendas pela internet.

Comentários