A Polícia Civil do Estado de Rondônia, por intermédio da 2ª Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (2ª DRACO), deflagrou nesta sexta-feira, 21, a segunda fase da Operação Faces da Liberdade, fase entitulada Operação Oz, na cidade de Rio Branco/AC.

A ação contou com o apoio da Polícia Civil do Estado do Acre, e deu cumprimento a mandados de prisão temporária e busca e apreensão, os quais foram deferidos pelo juiz de direito da comarca de Alta Floresta D’Oeste, Fabrizio Amorim de Menezes.
Assessoria da PC-RO

A Polícia Civil de Rondônia, por intermédio da 2ª Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (2ª Draco), deflagrou na manhã desta sexta-feira (21), no município de Rio Branco (AC), a segunda fase da Operação Faces da Liberdade, denominada Operação Oz, que investiga crimes de peculato, associação criminosa e falsificação de documento público, praticados na tentativa de subtrair saldo bancário de conta de pessoa falecida.

Segundo a Polícia, a ação que conta com o apoio de policiais civis do Acre, visa cumprir um mandado de prisão temporária e um de busca e apreensão. As cautelares foram expedidas pela justiça de Alta Floresta do Oeste.

______________________

O prejuízo às vítimas chega a aproximadamente R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais).

______________________

As medidas judiciais cumpridas são consequência do desenrolar das investigações, após o cumprimento dos mandados judiciais realizados no dia 6 de agosto com a deflagração da primeira fase da Operação Faces da Liberdade e visam esclarecer de forma cabal as circunstâncias dos crimes de peculato, associação criminosa e falsificação de documento público, praticados na tentativa de subtrair saldo bancário de conta de pessoa falecida, tendo como vítima o espólio de Dorothy Doval, bem como no levantamento do saldo bancário de Natália Novais, lesando seu espólio.

A ação contou com o apoio da Polícia Civil do estado do Acre e deu cumprimento a um mandado de prisão preventiva em desfavor de A.R.M.A, de 40 anos e dois mandados de busca e apreensão. As determinações judiciais foram deferidas pelo juiz Fabrizio Amorim de Menezes, da Comarca de Alta Floresta D’Oeste.

De acordo com a Polícia, o prejuízo às vítimas, somado, chega a aproximadamente R$ 4 milhões. A Polícia Civil de Rondônia segue apurando os fatos, visando identificar todos os criminosos e recuperar todos os ativos subtraídos pela organização criminosa.

O nome desta segunda fase da Operação Oz, faz alusão aos caminhos dourados percorridos pela personagem principal do filme O Mágico de Oz, chamada Dorothy, mesmo nome da pessoa cujo espólio figura como objeto dos crimes sob investigação.

A Polícia Civil do Estado de Rondônia segue apurando os fatos, visando identificar os demais envolvidos na organização criminosa e recuperar todos ativos subtraídos das vítimas.

A Polícia Civil do Estado de Rondônia segue apurando os fatos, visando identificar todos os criminosos e recuperar todos os ativos subtraídos pela organização criminosa.

Comentários