Jose e Juliana foram presos novamente por envolvimento no sequestro no início do mês.
Alexandre Lima

Uma ação conjunta entre delegados da Capital e da fronteira, conseguiram através da continuidade dos trabalhos, relacionados ao caso do sequestro do irmão do Conselheiro do TCE do Acre, Rocheco Ribeiro, ocorrido no início do mês, no interior do município de Porvenir, distante cerca de 27km da capital de Pando, Cobija, lado boliviano.

Batizada de ‘Operação Pátria Amada Legítima’ resultou novamente na prisão do casal, José Braga da Silva (44) e Juliana Ferreira Arias (40), na zona rural de Epitaciolândia, na estrada Fontenele de Castro, ramal Bahia, onde cumpriram o mandado de prisão emitida pelo juiz Flávio Mariano Mundin, que acatou o pedido feito pelo delegado Roberto Lucena, responsável pelo caso.

Delegados Nilton Boscaro e Roberto Lucena estão buscando capturar os outros envolvidos no sequestro.

O nome Pátria Amada Legítima, foi referencia aos trabalhos desenvolvidos pela Polícia Civil, para tentar identificar os verdadeiros envolvidos no sequestro na região de fronteira. De acordo com Roberto, os agentes vêm trabalhando sempre em busca da verdade dos fatos e não atua apenas com suposição.

Sebastião Ferreira da Conceiçao, vulgo ‘Tião Cutia’, está sendo procurado. Ligue 181.

“O casal preso durante a operação, são de fato sequestradores reais, essa é a resposta que a Polícia Civil está dando para a sociedade verdadeira”, destacou o delegado. Segundo foi divulgado, os suspeitos exigiram cerca de R$ 150 mil reais para que a vítima fosse libertada com vida.

Parte do dinheiro já teria sido utilizado e alguns pertences da vítima foi encontrado na casa do casal. Outros dois já foram identificados, a foto de Sebastião Ferreira da Conceiçao, vulgo ‘Tião Cutia’, está sendo divulgada para que a população possa ajudar, denunciando às autoridades do Acre.

Matérias relacionadas:

Juiz manda soltar sequestradores de irmão de Polanco e diz que delegado abusou da autoridade

Irmão de conselheiro do TCE/Acre é liberado após 36 horas e pagamento de resgate

Familiares e autoridades esperam contato sobre caso de sequestro de irmão de Conselheiro Polanco

 

Comentários