Representantes das forças policiais informaram durante entrevista na manhã desta quinta-feira (30) na Delegacia de Investigações Criminais (Dic) no bairro Cadeia Velha, em Rio Branco, que duas pessoas envolvidas na morte do sargento aposentado do Exército Brasileiro, João Evangelista Barbosa de Souza, 58 anos, encontrado morto na rua Dom João XI, no conjunto Carandá, no bairro Bahia Nova, já foram identificadas.

A polícia não divulgou os nomes dos acusados para não atrapalhar as investigações.

De acordo com o delegado Getúlio Teixeira um dos coordenadores da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) os suspeitos foram identificados e a motivação do crime foi por membros da facção da região pensarem que a vítima estaria passando informações a polícia.

“Desde que ocorreu o crime a DHPP com o apoio do CORE está nas ruas fazendo diversas diligências em busca de identificar os autores e conseguimos aí cerca de 72 horas depois identificá-los. São dois autores que cometeram o crime um deles é um menor de idade, logo após cometerem o delito eles se evadiram do local e da região. Estamos em diligências em busca de prendê-los, inclusive o menor já tem um mandado de internação. Já temos a motivação do crime e agora nos resta materializar algumas situações dentro dos autos, localizar e prendê-los. Pelo fato da vítima ser um militar, os criminosos imaginaram que ele poderia está passando alguma informação que prejudicava a facção predominante na região. Foi um crime encomendado, como houve diversas prisões na região, os membros da organização criminosa pensou que ele que estava passando informações aos policiais”, disse o delegado.

Entenda o Caso

O sargento aposentado do Exército Brasileiro, João Evangelista Barbosa de Souza, de 58 anos, foi executado com 4 tiros e 4 facadas na tarde desta segunda-feira (27) na Rua Dom João XI, no conjunto Carandá, no bairro Bahia Nova, em Rio Branco.

Segundo informações da polícia, a vítima estava em casa numa cadeira de balanço assistindo televisão acompanhado de uma pessoa ainda não identificada, quando foi surpreendido com quatro tiros nas costas e quatro facadas no pescoço. O acusado fugiu do local.

Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas ao chegar ao local o sargento se encontrava morto.

Policiais Militares do 3°Batalhão estiveram no local e isolaram a área para os trabalhos dos peritos em criminalística, em seguida tentaram collher informações, mas ninguém quis se pronunciar, pois no local impera a lei do silêncio.

O caso segue sob investigação dos Agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Comentários