Conecte-se conosco





Cotidiano

Pesquisadores farão expedição no Acre com o intuito de avaliar saída para o Pacífico

Publicado

em

Técnicos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) apresentará na próxima sexta-feira, 15, no Acre o resultado da nota técnica da ‘Ponte do Abunã e a Integração da Amacro ao Pacífico’ com o intuito de explicar a importância de avaliar o impacto ambiental e socioeconômico das transformações produtivas em direção ao oeste da Amazônia sul-americana.

A expedição científica permitirá propor a estruturação de um grupo de trabalho entre os governos subnacionais dos estados que compõem a AMACRO, o governo peruano e demais interlocutores amazônicos, como os povos nativos e representantes da sociedade civil.

“Tal esforço é fundamental para o diálogo construtivo e para a efetividade das políticas públicas futuras no espaço geoeconômico amazônico. Institucionalizar uma agenda positiva pode ser um fator determinante para contornar as desarmonias entre a esfera econômica e a ambiental, contrabalancear interesses e manter uma estrutura que reflita permanentemente o desenvolvimento sustentável do entorno amazônico”, salientou o Dr. Pedro Silva Barros, Técnico de Planejamento e Pesquisa e coordenador do Projeto “Integração Regional: O Brasil e a América do Sul”

O intuito da expedição é realizar reuniões de trabalho nas capitais Cuiabá/MT, Porto Velho/RO e Rio Branco/AC e nas áreas de fronteira, com o objetivo de levantar insumos para a elaboração de um “Texto para Discussão”, que tem a finalidade discutir o papel das instituições e dos projetos de infraestrutura no desenvolvimento regional Sul-Americano.

Os técnicos farão visitas nas áreas de produção das principais mercadorias exportadas pelos estados, como: os cereais no Mato Grosso, a proteína animal em Rondônia e a madeira e castanha no Acre e a visitação as principais infraestruturas de interconexão bioceânica rodoviária, como pontes (em especial a Ponte do Abunã/RO e as pontes internacionais que ligam o Acre à Bolívia e ao Peru), aduanas (em Assis Brasil/AC, Epitaciolândia/AC e Brasiléia/AC) e as áreas produtivas com potencial de exportação via Oceano Pacífico através dos portos peruanos de Ilo e Matarani.

Com informações de Ac24horas

Comentários

Em alta