No Acre, o projeto teve início pela região do Vale do Juruá.
Durante as atividades, são colhidos dados e depoimentos.

Do G1 AC

Pesquisadores realizam estudo sobre as condições de segurança (Foto: Cedida pela equipe de pesquisa)
Pesquisadores realizam estudo sobre as condições
de segurança (Foto: Cedida pela equipe de pesquisa)

Pesquisadores do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Acre (Ufac) realizam um estudo sobre as condições de segurança pública em 16 municípios do Acre que fazem fronteira com o Peru e a Bolívia. O diagnóstico irá ajudar no planejamento e execução das ações da Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron), além de auxiliar nas atividades do Plano Estratégico de Fronteiras da Secretaria Nacional de Segurança Pública.

No Acre, o projeto teve início pela região do Vale do Juruá composta por cinco municípios: Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo que fazem fronteira com o Peru. Acrelândia, Assis Brasil, Brasileia, Capixaba, Epitaciolândia, Feijó, Jordão, Manoel Urbano, Plácido de Castro, Santa Rosa dos Purus e Sena Madureira completam a lista das 16 cidades.

Durante as atividades de campo, são colhidos dados e depoimentos de autoridades e cidadãos comuns sobre a prestação do serviço e estrutura dos órgãos de segurança pública. Os homicídios, o movimento econômico gerado pelas drogas ilícitas, o tráfico de pessoas e a imigração ilegal de estrangeiros, estão entre os problemas apontados como os que causam maior ameaça à segurança nas regiões fronteiriças, informou o grupo de pesquisadores.

A pesquisa é coordenada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) por meio de acordo firmado com o Ministério da Justiça. Em todo País, a atividade abrange 588 municípios e 11 estados, sendo 122 municípios na faixa fronteiriça.

Comentários