Vagner Galli não está contente com a atual condição do Partido na fronteira – Foto/divulgação

O Partido Progressista (PP) no município de Brasiléia, onde deu a maior votação histórica para um candidato ao governo do Acre, poderá ter sua primeira baixa no alto escalão local. Depois de quase 20 anos na luta e dedicação ao atual governador Gladson Cameli, o apoiou desde quando foi candidato a deputado federal.

Sentindo-se traído no interior do Acre, Vagner Galli, que já foi vereador e presidente da Câmara Municipal, poderá estar se desligando da presidência do Partido nesta quarta-feira, dia 16, após episódio ocorrido no gabinete do atual governador.

Se sentindo ‘esquecido’ juntamente com vários militantes na fronteira, após não ter atualmente nenhum de seus Progressistas na lista das atuais indicações. Vagner fez uma postagem no grupo do partido em Brasileia, deixando entender que está saindo da sigla partidária.

Segundo ele: “que qualquer tratativa referente ao PP de Brasiléia, conversem com os dois mandatários vereadores, Charbel e Joelso, em breve todos saberão o motivo de minha ausência na política, e quem sabe até do meu desligamento do PP”.

Segundo informações, Vagner não se sentiu confortável com o tratamento que o Partido vem dispensando aos seus militantes progressistas. Uma vez que, até o momento, nenhum foi lembrado para compor o atual governo na fronteira. Com sua possível saída, poderá acontecer uma grande “debandada” em massa da sigla municipal.

 

Comentários