O governador Gladson Cameli não vê seu governo com o volume da crise que algumas pessoas pregam e acha que nesses seis primeiros meses os maiores problemas de sua gestão são oriundos das pressões por cargos e “da fuxicada”.

Cameli recordou que pediu para que sua assessoria faça um levantamento sobre as realizações de sua gestão até o mês de junho. Ele lamenta que alguns fatos negativos ganhem mais eco do que ações importantes do governo.

O governador citou como exemplos a convocação das pessoas que passaram no concurso da Segurança Pública em 2017; as obras da AC-40; a conclusão da verticalização do Pronto Socorro; a entrega de viaturas policiais e armas às polícias; pagamentos dos servidores em dia e parcelamento do 13º salário que não foi pago pelo governo anterior; o início do processo pelo cancelamento da pensão de ex-governadores; investimentos em recuperação de ramais; e diálogo aberto e democrático com sindicatos de servidores públicos.

“Infelizmente o nosso maior problema é a fofoca, é a pressão por cargos, por coisinhas pequenas”, avaliou o governador.

Comentários