Conecte-se conosco





Geral

Pacientes ficam até 4 horas em ambulâncias em busca de leito Covid em Rio Branco: ‘vivemos um caos’

Publicado

em

O Pronto Socorro de Rio Branco e o Into-AC atingiram a lotação máxima, no PS, todos os 30 leitos de UTI estão ocupados e no Into os 50 leitos estão com pacientes. De acordo com o boletim de assistência divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa terça-feira (16), 14 pacientes aguardam na fila por um leito de UTI e 25 por leitos de enfermaria.

Com hospitais lotados, profissionais de Saúde relatam caos e preocupação de não ter para onde levar pacientes no AC — Foto: Augusto Aiache/Arquivo pessoal

Por Iryá Rodrigues

Com hospitais lotados, o Acre enfrenta colapso no sistema de saúde tanto na rede pública como privada. Sobrecarregados e preocupados sem ter para onde levar pacientes que precisam de assistência, profissionais relatam o caos vivido nos últimos dias. Eles dizem que ficam até 4 horas fazendo uma verdadeira peregrinação atrás de vagas em hospitais de Rio Branco.

Um profissional do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que preferiu não ser identificado, relatou como tem sido as noites dos médicos e enfermeiros que se formaram para salvar vidas, mas que estão tendo dificuldades de atender aos chamados dos pacientes, pois não há vagas nos hospitais da capital acreana.

_______________________

“Estamos vivendo um verdadeiro caos, o Into lotado, o pronto-socorro lotado, a UPA lotada, não recebem mais nossos pacientes. Estamos ficando com pacientes dentro de viaturas por 3, 4 horas”, relatou.

_______________________

O profissional lembrou de um caso dos últimos dias, que foi o chamado para atender uma idosa que estava com a saturação em quase 90%. O profissional relatou que não tinha como não atender ao chamado, mas que, infelizmente, não tinha para onde levar a paciente, que precisava de atendimento médico urgente. A situação, segundo ele, tem se tornado constante.

__________________________

“Estamos sem amparo, cansados, exaustos. Me angustia ter que escolher qual paciente vou deixar ou levar. Não há vagas de jeito nenhum. A última vaga livre no meu plantão foi preenchida após muita luta, na UPA do Segundo Distrito. Isso eu estou falando de vaga para paciente que precisa de oxigênio e não está entubado, mas está grave. Fora os pacientes sem Covid que precisam de oxigênio, não vamos aguentar. Me sinto impotente, angustiado, me coloco no lugar dos familiares. Estou abalado psicologicamente. Já venho trabalhar com taquicardia, porque sei que não vou conseguir salvar ou ajudar. Realmente estamos como Manaus ou pior”.

___________________________

Preocupado, outro profissional que trabalha dentro do Into, onde funciona o maior hospital de campanha do estado, diz que a unidade está com a capacidade no limite. “Não tenho como receber [mais pacientes], está tudo cheio.”

Assistência e leitos no Acre

Em Rio Branco, o Pronto Socorro de Rio Branco e o Into-AC atingiram a lotação máxima no último domingo (14). No PS, todos os 30 leitos de UTI estão ocupados e no Into os 50 leitos estão com pacientes. De acordo com o boletim de assistência divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde nessa terça-feira (16), 14 pacientes aguardam na fila por um leito de UTI e 25 por leitos de enfermaria.

A reportagem tentou contato nesta quarta-feira (17) com o secretário de saúde, Alyson Bestene, para saber qual a previsão para abertura de novos leitos, mas não obteve retorno até última atualização desta reportagem.

Em entrevista ao Jornal do Acre 1ª Edição na última segunda-feira (15), o secretário falou sobre a situação dos leitos no estado.

“Hoje, há um ano da pandemia, estamos tanto na rede pública, como privada, com 100% de ocupação de leitos de UTI e de enfermaria. O número de casos aumentou consideravelmente nas últimas semanas. Um planejamento da Sesacre, junto com a Assistência, é de ampliar novos leitos. O governo do estado determinou que a gente já trabalhe com aquela estrutura do antigo Bope, que está sendo reformada para ampliar leitos do Into, dando uma capacidade de mais 32 leitos para atendimento Covid”, informou Bestene.

O secretário destacou ainda que 40 leitos foram abertos no Hospital do Idoso para atendimento de pacientes com Covid-19. Assim como da tentativa de ampliação de leitos no pronto-socorro de Rio Branco.

“Todo esse trabalho tem sido feito. Mas, é importante lembrar que a população também precisa se fazer presente nessa luta, todos nós unidos vamos combater a Covid-19. Primeiro observando as medidas restritivas, as medidas de prevenção, que é usar máscara, lavar bem as mãos, usar álcool em gel e além de tudo evitar ao máximo aglomerar. Tendo esse controle, a gente vai estar preservando vidas. Então, esse é um pedido que fica”, concluiu.

Conforme boletim divulgado pela Sesacre, diante da taxa de ocupação de leitos sobrecarregada no Sistema Único de Saúde, o estado segue trabalhando, com apoio do governo federal, com a transferência de pacientes para outras localidades onde há disponibilidade de leitos para tratamento da Covid-19.

Comentários

Em alta