A falta de gestão e critérios na escolha dos pagamentos prioritários feitas pelo governo do Estado tem levado a população a sofrer e até provar risco de morte aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Uma denúncia revela que ao menos três pessoas estão há dias na fila para realizar um exame cardíaco específico no estado.

Conforme revelado pelos familiares de José Alcivam Mesquita de Melo, de 43 anos de idade, paciente portador de necessidade especial, ele se encontra hospitalizado há 18 dias à espera de um cateterismo cardíaco com urgência, mas sem notícias, pois o governo não pagou a conta milionária com a empresa responsável pelos exames.

Onde foi parar o dinheiro do SUS?

O procedimento não está sendo feito por falta de pagamento da equipe de cateterismo e da Hemocardio, empresa responsável pelos exames. Segundo os denunciantes, são pelo menos quatro pacientes no setor na mesma situação.

Há cerca de 60 dias o atraso nos pagamentos e, posteriormente, a suspensão dos exames, já havia sido denunciado na Assembleia Legislativa do Estado Acre (Aleac). Mesmo assim o governo insistiu em esconder o fato.

Governo mentiu?

Ainda no começo do mês de junho deste ano o governo do Estado anunciou que a fila de espera para o exame de cateterismo teria sido zerado. À época o fato foi muito comemorado pela Secretaria de Saúde do Estado do Acre (Sesacre).

Segundo o governo a fila pelos procedimentos de cateterismo pelo Sistema Único de Saúde (SUS) teria sido fruto do trabalho na Central de Regulação da Sesacre por conta da maior agilidade no agendamento para a realização do serviço. Só esqueceram de pagar a conta com a empresa e a fila da morte está de volta.

O que é cateterismo cardíaco

O Cateterismo cardíaco é um procedimento para detectar a existência e a gravidade de obstruções nas artérias do coração, além de checar as alterações no funcionamento das válvulas e do músculo cardíaco. O exame alerta sobre o funcionamento do exame e a prevenção das doenças cardíacas.

Em mais de 80% das vezes, ele é indicado para o diagnóstico da doença arterial coronária (angina e o infarto), as mais frequentes. Mas identifica também doenças das válvulas (estenoses e insuficiências mitral e aórtica), músculo cardíaco (miocardiopatias) e doenças congênitas (defeitos no desenvolvimento do coração).

Comentários