A Polícia Civil afirmou na manhã desta terça-feira (4) à reportagem da Folha do Acre na Delegacia de Investigações Criminais (Dic) no bairro Cadeia Velha em Rio Branco, que Edivaldo da Silva Vieira, 23 anos, morto com três no início da tarde desta segunda-feira (3) dentro de uma barbearia enquanto cortava o cabelo na Rua Arara, no conjunto Wilson Ribeiro, no bairro Calafate, era presidiário em liberdade condicional que estava foragido e já havia cometido vários crimes.

De acordo com o Delegado Remulo Diniz, coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Edivaldo havia cortado a tornozeleira eletrônica e já tinha sido preso e indiciado pelos crimes de roubo, receptação e homicídio.

“Edivaldo era uma pessoa conhecida das autoridades policiais, tanto da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Dcore, bem como, da Comarca de Bujari e Senador Guiomard, locais onde ele já tinha sido preso e indiciado pelos crimes de roubo, receptação e homicídio aqui na capital. Ele matou um senhor aqui no bairro Papoco e o acondicionou em uma geladeira tentando se eximir das responsabilidades. Ele foi preso e por questões judiciais ele estava em liberdade, havia cortado a tornozeleira eletrônica e estava em fuga. Após disso ele havia gravado um vídeo que havia saído da facção, mas não se sabe já que ele era um pessoa dada para aqueles crimes e com dependências por entorpecentes. Ele estava cortando o cabelo quando dois homens chegaram efetuaram três tiros e a vítima veio a óbito no local. Estamos apurando, buscando elementos de prova que tentem levar a real motivação do crime e também autoria”, disse o delegado.

???Entenda o Caso

Um homem identificado como Edivaldo da Silva Vieira, 23 anos, foi executado com vários tiros no início da tarde desta segunda-feira (3) dentro de um salão de beleza. O crime aconteceu na Rua Arara, no conjunto Wilson Ribeiro, no bairro Calafate, em Rio Branco.

Segundo informações repassadas à polícia, a vítima estava cortando o cabelo no salão quando dois homens não identificados encapuzados invadiram o local e de posse de armas de fogo efetuaram vários tiros contra Edivaldo, sendo que três dos projéteis o acertou na cabeça, pescoço e ombro. Os criminosos fugiram do local.

A ambulância do suporte avançado 01 do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas ao chegar no local o jovem já estava morto.

Agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram no local, buscaram informações e iniciaram as investigações. A área foi isolada por policiais militares do 4°Batalhão para os trabalhos do perito criminal.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para os devidos procedimentos.

A Polícia não soube informar a motivação do crime. Até o encerramento desta matéria ninguém foi preso

Comentários