Foto: arquivo
Foto: arquivo

A Câmara Municipal aprovou em primeiro turno na 37ª Sessão Ordinária, realizada nesta terça-feira (2), o projeto de lei 39/2014 do Poder Executivo que estima a receita e fixa a despesa para o exercício de 2015, a Lei Orçamentária Anual (LOA).

O projeto estima a receita do município em R$ 38 milhões de reais em 2015, e durante a 37ª sessão ordinária alguns vereadores questionaram determinados valores contidos na peça orçamentária, os vereadores opositores ferrenhos da (Frente Popular de Brasiléia), à administração atual, lutaram pela permaneça dos atuais 15% que o prefeito Everaldo Gomes (PMDB), vinha trabalhando com dificuldade durante todo o ano de 2014.

Durante a discussão do projeto do executivo alguns vereadores se manifestaram sobre o assunto e pontuaram suas opiniões sobre o orçamento, o vereador de situação Benedito Lima Rocha (PMDB), apresentou projeto de emenda modificativa onde pede remanejamento de valores da cultura para o esporte do município de Brasiléia, o mesmo foi seguido à unanimidade pelo demais pares.

De acordo com a Secretário de finanças a proposta orçamentária teve um aumento maior que a proposta orçamentária do exercício de 2014, segundo o Executivo, o aumento foi motivado em razão de acréscimos nas transferências em virtude de incremento das atividades econômicas no município de Brasiléia.

Segundo o líder do prefeito na casa, vereador Marivaldo (PMDB) “A LOA define as despesas do município e suas obrigações legais, as quais a administração vem cumprindo”.

O  vereador Joelso Pontes (PP) ressaltou que obrigatoriamente o município deve investir o orçamento de 2015 na Educação, principalmente Saúde e planejamento. “Precisamos mudar a cara do município com uma vasta limpeza nos bairros de Brasiléia, o município precisa entrar em 2015 de cara nova”, frisou o mesmo.

O vereador Ivanaldo da Costa Rufino (SDD) reforçou que o aumento dos investimentos promovem mudanças significativas em 2015.

O presidente da câmara Mario Jorge Gomes Fiesca (SDD) destacou que as autarquias também estão incluídas na receita. “Cada setor tem suas necessidades e muitos precisam de uma receita maior que este ano, mas é preciso limites”.

Após o pronunciamento dos vereadores, o projeto foi aprovado em 1º turno por votação da maioria dos pares. Conforme esclareceu o presidente da Câmara, vereador Mario Jorge Gomes Fiesca (SDD), o projeto retornará em outra sessão para apreciação em 2º turno.


 

Matéria de Marcus José – Jornal oaltoacre.com/2014

Comentários