Mesmo antes da instalação oficial do Grupamento Especial de Fronteira (Gefron) no Juruá, as atuações já começaram e mostram resultados positivos, com ações realizadas em todo estado. Na soma de resultados da Operção Hórus, que teve inicio no Alto Acre, na cidade de Brasileia, com continuidade no Vale do Juruá na última semana, o grupamento composto por policiais civis, militares e bombeiros já apreendeu mais de 20 quilos de cocaína, armas, entre outros objetos do crime, além de ter efetuado a prisão de seis pessoas e neutralizado outras duas que reagiram as abordagens.

O Gefron será implantado oficialmente em Cruzeiro do Sul no dia 18 de novembro, com a participação do Ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro, como ainda do governador do Acre Gladson Cameli. As ações serão desenvolvidas através do trabalho integrado de todas as forças de segurança do Estado do Acre, com o suporte financeiro do Governo Federal, atuando no combate ao tráfico de drogas, como ainda em todos os crimes transfronteiriços.

“O Gefron foi criado para suprir a lacuna da região de fronteira, predominantemente da competência federal, mas com a integração de estado e união ocuparemos esse espaço. Já vínhamos fazendo uma investigação em cooperação entre a polícia civil e o 6º Batalhão, identificando regiões onde haviam os chamados ‘piratas do rio’ e rotas quentes do tráfico de droga, e desde o início da semana começamos essa operação”, explicou o coordenador do Gefron Rêmulo Diniz, ao falar da operação no Juruá.

Nesta operação realizada no Rio Juruá, os policiais conseguiram prender um indivíduo envolvido nos assaltos as embarcações registrados nos últimos meses na região, como ainda mataram outros dois, entre eles o líder da facção criminosa, que atiraram contra os policiais no momento da abordagem. Os dois tinham mandado de prisão em aberto, um deles era foragido do presídio de Cruzeiro do Sul. O acusado que foi preso confessou que estavam prontos para assaltar três baleeiras que subiam de Cruzeiro do Sul.

“O cidadão que não reagiu a ocorrência foi preso e teve seus direitos garantidos. Infelizmente os outros dois enfrentaram a polícia com disparos de arma de fogo de grosso calibre contra guarnição, e foi necessário o uso da técnica e foram neutralizados. Isso é uma situação que foge da realidade que eles deveriam apenas se entregar as forças do estado, mas insistem em tentar contra a vida dos policiais, e infelizmente teve esse confronto”, finalizou o coordenador.

Comentários