Apreensão aconteceu durante operação Ordo, iniciada no dia 10 de outubro. Cerca de 300 invasores foram retirados da região, segundo PM.

Armamento é apreendido pela polícia durante operação em fazenda de Porto Velho — Foto: Reprodução/TV Globo
Por G1 RO e Rondoniagora.com

Em nota à imprensa, o Governo do Estado detalhou as ações dos últimos dias para solucionar os assassinatos de policiais militares e restabelecer a ordem em Mutum-Paraná. Foram presos suspeitos e apreendidos materiais de guerrilha na região. Veja:

A Polícia Militar de Rondônia planejou uma ação policial conjunta com os demais órgãos de segurança pública que compõe a Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (SESDEC) para resgatar os policiais militares vitimados e a logística de armamentos, munições, viaturas e colete do local dos crimes. Após o cumprimento da ação policial no dia 4, foi iniciada a fase de investigação dos fatos pela Polícia Judiciária Civil de Rondônia, no sentido de esclarecer a dinâmica dos acontecimentos, identificar, localizar e prender os criminosos.

Durante a semana, os trabalhos investigativos, realizados pela Polícia Civil de Rondônia, por meio da Delegacia de Homicídios e com o apoio da Inteligência da PM, renderam a identificação dos envolvidos, e com as decisões do Poder Judiciário, foram expedidos mandados de busca, prisão e apreensão. Alguns foram cumpridos, resultando na prisão de dois suspeitos de envolvimento nos crimes do dia 3, além de mais cinco suspeitos conduzidos, totalizando, até o momento, sete pessoas presas.

Nesse final de semana 10 e 11 aconteceu uma ação policial integrada coordenada pela PMRO na região da fazenda Norbrasil. O objetivo era efetuar o cumprimento de alguns mandados de busca, prisão e apreensão, e também efetivar a reintegração de posse da área rural invadida. Houve a incursão da tropa nos lotes invadidos da fazenda, sendo constatada a presença aproximada de 500 pessoas na área em litígio. Houve animosidade dos invasores, havendo a necessidade do uso de técnicas de Controle de Distúrbios Civis para preservar a integridade física de todos que se encontravam presentes no momento da ação.

A região invadida foi controlada pela ação policial ainda na manhã de sábado, onde os Oficiais de Justiça iniciaram os trabalhos de reintegração de posse no local, com o apoio da equipe policial militar para a concretização da decisão judicial.

Foram encontrados na localidade munições de arma de fogo, armas brancas, coletes balísticos, binóculos, uniformes camuflados, vários veículos entre automóveis e motocicletas, rádios transceptores, bem como também estrutura de internet instalada com antenas parabólicas e placas de energia solar.

Na manhã de domingo (11) foi realizado o trabalho de varredura da região, bem como o término da triagem dos ocupantes da área invadida.

A área em litígio foi desocupada, sendo retirados os pertences dos invasores, os quais também foram removidos por meio de ônibus e caminhões para uma localidade segura próxima. O processo de varredura da região ainda continua.

Arma e rádios de comunicação apreendidos na fazenda — Foto: WhatsApp/Reprodução

Segundo apurado nas investigações, os procurados integram uma organização criminosa e praticam diversos crimes na localidade, com treinamento e armamento de guerra utilizando fuzis e metralhadoras para prática de homicídios, torturas, incêndios e roubos.

Na mesma operação do fim de semana, segundo a polícia, cerca de 300 invasores foram retirados da área.

Equipamento para comunicação por rádio foi encontrado na fazenda — Foto: WhatsApp/Reprodução

Morte de PM’s

No último dia 3 de outubro, o tenente da reserva José Figueiredo sobrinho pescava com amigos em uma propriedade rural quando foi identificado, torturado e morto por um grupo armado. Uma testemunha disse que os criminosos cometeram o crime após constatar que a vítima era militar.

A Polícia Militar (PM) foi chamada e ao chegar na localidade para retirar o corpo de Figueiredo, houve um ataque por parte dos criminosos e o sargento Márcio Rodrigues da Silva foi alvejado e morto.

Por conta da intensidade do ataque, os policiais precisaram recuar e os corpos das vítimas só foram retirados em uma operação no domingo (4). Outros quatro militares ficaram feridos no ataque em que o sargento foi morto. Um deles segue internado na UTI.

Foragidos; Veja suspeitos de participação nos assassinatos de policiais; denuncie

A Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida (DECCV) de Porto Velho divulgou as imagens de 15 foragidos da justiça acusados de terem participação nas mortes de dois policiais militares e nas tentativas de homicídio praticadas contra outros seis militares. Os crimes aconteceram no dia 3 na fazenda Nova Brasil, em Mutum-Paraná , distrito da Capital.

________________________

No último sábado (10) a Polícia Civil deflagrou a Operação Ordo com o objetivo de cumprir 17 mandados de prisão  preventiva.

Na ação, dois acusados foram presos, restando 15 que estão sendo procurados pela Polícia.

________________________

Entre os foragidos está Gedeon José Duque que é considerado de alta periculosidade e era o chefe da organização criminosa que armou uma emboscada para os policiais.

Qualquer informação sobre o paradeiro dos criminosos pode ser repassada através do 197 da Polícia Civil ou 190 da Polícia Militar. Não precisa se identificar.

Segundo a delegada Leisaloma Carvalho, o tenente Figueiredo e mais três amigos estavam pescando quando foram surpreendidos por dez criminosos fortemente armados com metralhadoras, fuzis e pistolas. “Eles já chegaram atirando nas vítimas.

O bando pensava que as vítimas eram seguranças da fazenda e que estavam ali para conter quem entrasse no local.

Depois de vasculharem o carro que as vítimas estavam, eles descobriram a identidade do tenente, afastaram ele de perto dos amigos e o executaram friamente com vários tiros no peito e cabeça”, detalhou a delegada.

Após matar o tenente, os criminosos ordenaram que as demais vítimas saíssem do local. Foi nesse momento que elas pediram ajuda e a Polícia Militar foi acionada.

Sem saber do armamento pesado que o grupo criminoso tinha em seu poder, os policiais militares foram para a região. Ao anoitecer as equipes chegaram na fazenda, e encontraram troncos de arvore impedindo a passagem.

Comentários