Conecte-se conosco





Acre

Operação da PF sequestra 150 veículos, avião e lancha de organização criminosa

Publicado

em

Operação Carga Prensada é realizada em Rondônia, Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. Grupo é suspeito de enviar droga em caminhões.

 

Uma operação da Polícia Federal (PF) deflagrada nesta quarta-feira (15) sequestrou 150 veículos, vários deles de luxo, pertencentes a uma organização criminosa com forte atuação nacional no tráfico de drogas.

A operação Carga Prensada é realizada nos estados de Rondônia, Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. Ao todo, 270 policiais cumprem 45 mandados de prisão e 63 mandados de busca e apreensão.

A Justiça também autorizou o sequestro de aeronave, uma lancha e imóveis de propriedade da organização criminosa. Todos os bens foram comprados através de atividades ilícitas.

Aeronave de organização criminosa foi sequestrada por operação — Foto: PF/Divulgação

Aeronave de organização criminosa foi sequestrada por operação — Foto: PF/Divulgação

Segundo investigação da PF, os integrantes da quadrilha faziam o envio de grandes quantidades de cocaína de Rondônia, através de caminhões, para outros estados.

“Ao mesmo tempo, o grupo realizava a aquisição de cargas de maconha do Mato Grosso do Sul para serem distribuídas nos estados de Rondônia e Acre”, diz a PF.

 

Desde o início da investigação, no final de 2019, mais de 2,5 toneladas de drogas foram apreendidas pelas polícias (PRF e PM).

Além do tráfico, a quadrilha atuava no comércio ilegal de armas de fogo, lavagem de capitais e falsidade ideológica.

PF apreendeu carro de luxo durante operação Carga Prensada em RO — Foto: Divulgação/PF

PF apreendeu carro de luxo durante operação Carga Prensada em RO — Foto: Divulgação/PF

Em Rondônia, os mandados da PF são cumpridos nas seguintes cidades:

  • Espigão D’Oeste (16 mandados)
  • Rolim de Moura (8)
  • Ariquemes (12)
  • Alta Floresta D’Oeste (2)
  • São Miguel do Guaporé (1)
  • Jaru (2)
  • Nova Brasilândia (3).

 

A Justiça também autorizou o bloqueio de contas da organização criminosa nas redes sociais.

PF faz buscas em casas de suspeitos durante operação em Rondônia

PF faz buscas em casas de suspeitos durante operação em Rondônia

Nesta quarta-feira foram apreendidos outros objetos em posse dos suspeitos, como jóias de ouro, armas, relógios, computadores, e dinheiro em espécie.

A polícia diz que um dos suspeitos chegou a movimentar R$ 10 milhões em contas bancários, dinheiro obtido através do tráfico de drogas e armas.

Com fuzil, PF faz buscas em mansão de suspeitos durante Operação Carga Prensada

Com fuzil, PF faz buscas em mansão de suspeitos durante Operação Carga Prensada

Para lavar o dinheiro do tráfico, os suspeitos usavam uma casa de jogos de fachada, onde, de fato, ninguém era sorteado e os próprios integrantes da quadrilha ficavam com o dinheiro.

Os mandados cumpridos na operação Carga Prensada foram expedidos pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Vilhena.

Operação Carga Prensada: Agentes cumpriram mandados de busca contra organização criminosa — Foto: PF/Reprodução

Operação Carga Prensada: Agentes cumpriram mandados de busca contra organização criminosa — Foto: PF/Reprodução

Início das investigações

 

Segundo a PF, as investigações começaram através de uma apreensão de drogas feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e pela Polícia Militar (PM), em 2019, que identificou uma organização criminosa ligada a uma facção criminosa, tráfico de cocaína ,maconha, armas e lavagem de capitais.

Durante as investigações, conduzida pela delegacia da PF de Vilhena (RO), foi possível vincular oito flagrantes de tráfico de drogas desse grupo aos investigados.

A droga era sempre transportada pelo grupo em meio a cargas em veículos de grande porte. A Operação Carga Prensada tem o apoio da Polícia Militar e do Ministério Público de Rondônia (MP-RO).

Reportagem em atualização

Carros de luxo faziam parte do 'patrimônio' de organização criminosa — Foto: PF/Divulgação

Carros de luxo faziam parte do ‘patrimônio’ de organização criminosa — Foto: PF/Divulgação

Comentários

Em alta