Conecte-se conosco





Brasil

Novo recorde de velocidade de internet é alcançado no Japão: 319 Tb/s

Técnica usa método diferenciado e nova fibra ótica. Conexão é 640 mil vezes superior ao almejado 5G.

Publicado

em

Foto: Reprodução/Internet

Por Pedro Cardoso, para o TechTudo

Pesquisadores do Instituto Nacional de Informação e Tecnologia das Comunicações do Japão (NICT, na sigla em inglês) alcançaram um novo recorde de velocidade de internet: 319 Terabits por segunndo (Tb/s), em experiência realizada nos laboratórios da faculdade. Como um comparativo, a última marca era de 178 Tb/s conquistada por cientistas da Universidade College de Londres (UCL), em agosto de 2020.

Apesar de empolgante, a velocidade está muito longe de chegar aos nossos lares e smartphones. Fabricantes de celulares e operadoras de telefonia estão trabalhando atualmente para implementar a internet 5G, que tem uma velocidade prometida de até 500 Mb/s sem depender de fios. A marca japonesa é quase 640 mil vezes maior, porém dependente de fios.

Uso de fibra ótica ainda é o método mais confiável para propagação da internet – Foto: Divulgação/StellarNet

O experimento foi realizado pelo NICT utilizando um cabo de fibra ótica especial, com quatro núcleos no espaço de apenas um. De acordo com o site Vice, que divulgou a novidade, isso é importante para uma rápida adoção aproveitando as estruturas e instalações da fiação atual.

No teste, os cientistas simularam o envio de um pacote de dados a uma distância de 3.000 km e conseguiram fazer isso sem perda de velocidade. Para esta análise, eles utilizaram um pente de laser de 552 canais, emitindo ondas em diversos comprimentos, que foram impulsionadas por amplificadores feitos de minerais raros.

O gasto com material para atingir essa velocidade é enorme, o que poderia inviabilizar a utilização da tecnologia no dia a dia a curto prazo. Entretanto, talvez o usuário comum nem precise de tanto assim neste momento, uma vez que serviços de streaming como a Netflix, para citar um exemplo, exigem uma conexão de apenas 25 Mb/s. Já aplicações envolvendo games, telemedicina e transmissões mais robustas podem exigir conexões mais velozes.

De fato, os pesquisadores pensaram nesta técnica para levar grandes quantidades de informações a maior distância possível em um curto espaço de tempo, sem degradação do sinal, o que deve encontrar uso em escala industrial.

Comentários

Em alta