Conecte-se conosco





Cotidiano

No Acre, equipe do Ministério da Saúde avalia como positivas ações do Estado para enfrentar crises sanitárias

Publicado

em

Após visitar as dependências do Hospital Regional do Juruá, em Cruzeiro do Sul, para alinhar ações de saúde e de gerenciamento dos planos de combate à mazelas que afligem a estrutura hospitalar do Estado, a equipe, composta por membros do Ministério da Saúde, do secretário de Estado de Saúde do Acre e da coordenação regional de saúde do Juruá, Tarauacá e Envira, seguiu para o município de Mâncio Lima, onde visitou o Hospital Dr. Abel Pinheiro, que passa por uma reforma e ampliação, iniciada no início desta semana, pela gestão estadual.

Equipe aprova ações do governo do Acre no combate às crises da saúde pública. Foto: Cedida.

Para o secretário de Estado de Saúde do Acre, Alysson Bestene, a visita do órgão federal é relevante ao momento de crise.

“Com a presença do Ministério aqui no Juruá foi possível fazer toda a avaliação e levantarmos as necessidades dos serviços de ampliação de saúde. O governador, com a parceria do governo Federal, vai avançar muito esses serviços nessa região. Será uma estrutura que fica para a população no período pós-pandemia”, destaca Bestene.

O secretário explica como será a reformulação feita no plano de contenção da pandemia no Estado. “Nas atividades comerciais, teremos o funcionamento de horários. No fim semana, só abrirá aquilo que for essencial e no meio dela teremos o horário aberto para o comércio e outras atividades com capacidade reduzida”, expõe.

A visita foi realizada em todas a instalações da unidade hospitalar de Mâncio Lima. Foto cedida.

O assessor do Departamento de logística em Saúde da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde, Ridauto Lúcio Fernandes, reconhece todo o empenho do governo do Acre em investir na reestruturação do sistema hospitalar da região.

“A gente percebeu que a estrutura está no nível adequado. Estamos vendo as instalações sendo modernizadas, a parte do oxigênio foi bem cuidada e planejada, a chegada de equipamentos modernos como tomógrafos. É um alento saber que isso vai contribuir muito para a solução dos problemas”, afirmou o assessor.

Após reformas, unidade poderá atender mais de 50 mil juruaenses. Foto cedida

Também presente no evento, o secretário nacional de Atenção Especializada em Saúde, coronel Franco Duarte, parabenizou o Estado pela forma com que vem lidando com as crises sanitárias. “O Acre está no caminho correto, mas tem detalhes a ajustar. Para que possamos manter vidas é importante estarmos atentos e expandir a nossa rede, no caso a daqui do Vale do Juruá”, ressalta.

A coordenadora regional de saúde do Juruá, Tarauacá e Envira (Sesacre), Catiana Rodrigues, se diz agradecida pela boa avaliação feita pela equipe às instalações hospitalares da regional. “Levando em consideração todo o acompanhamento e trabalho da gestão atual no Juruá e em todo Acre, nós estamos bem a frente no que diz respeito às unidades hospitalares, aos equipamentos, aos protocolos e aos fluxos voltados para a questão dos atendimentos”, disse.

Governo investe R$ 2 milhões em reforma e ampliação o Hospital Dr. Abel Pinheiro

O governo Gladson Cameli está investindo mais de R$ 2 milhões na reforma e ampliação do Hospital Dr. Abel Pinheiro para que sejam restaurados parte da cobertura, forro e piso; para que haja revestimento das paredes e esquadrias e para que reforme-se os banheiros, portas e janelas, além de pintar e demarcar os espaços de mobilidade específicos para deficientes físicos tradados na unidade.

“A vinda do MS aqui nos enche de esperança. Nada mais importante do que a presença deles aqui para verificar a situação in loco. Essa obra passou muito tempo parada e nesse governo, já em abril do ano passado, foi entregue totalmente o bloco B. Na quarta-feira passada deu-se o início da reforma do bloco A. A visita dá a noção das nossas necessidades para que, enfim, possamos desafogar o Hospital de Cruzeiro do Sul. Hoje, temos aqui um centro cirúrgico e obstétrico e isso possibilita tratar doentes neste município. Quando o este bloco, em reforma, ficar pronto, terá capacidade de ampliar os atendimentos para quase 50 mil pessoas”, finaliza o gerente da unidade hospitalar de Mâncio Lima, Hélio Neto.

Comentários

Em alta