Em algumas mortes ocorridas na cidade, inclusive de forma cruel, havia a participação de mulheres pertencentes a organizações criminosas.

Onze mulheres e um homem foram presos pela Polícia Civil na manhã de ontem quinta-feira (6) durante a deflagração da Operação Metastasis, coordenada pela Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) de Porto Velho contra facções criminosas que atuavam principalmente em conjuntos habitacionais.

De acordo com a Polícia a operação é resultado de meses de investigação policial, visando a responsabilização criminal de lideranças e membros das organizações criminosas atuantes dentro e fora dos presídios estaduais em crimes graves como homicídio, roubo, tráfico de drogas entre outros.

Durante os trabalhos policiais, os investigadores apuraram que as mulheres presas durante a operação estavam ligadas diretamente na atuação no mundo do crime. Em algumas mortes ocorridas na cidade, inclusive de forma cruel, havia a participação de mulheres pertencentes a organizações criminosas.

Ainda segundo a Polícia, grande parte das mulheres presas investigadas, são esposas de apenados.

Segundo a Polícia, as investigações era prioridade, em razão do quadro grave de guerra entre as facções.

As investigações avançaram, e a Polícia utilizou modernas técnicas, capazes de interceptar o conteúdo das ordens que partiam de dentro das unidades prisionais, por meio de comunicações telefônicas ou aplicativos de mensagens, como WhatsApp e até por meio de bilhetes manuscritos.

Antes da operação foi possível impedir um ataque criminoso a moradores do Orgulho do Madeira, que resultou na prisão em flagrante de criminosos e na apreensão de armas de grosso calibre.

No dia 25 de junho deste ano, uma nova e significativa apreensão foi registrada, mais uma vez envolvendo farto armamento que seria usado em empreitadas criminosas.
Todos os presos foram encaminhados para o sistema prisional, onde ficaram à disposição da justiça.

Comentários